A alma da jornalista

Publicado em 23 de dezembro de 2011

“A maioria dos gays revelou uma rotina onde prevalecem piadas, chacotas ou mesmo palavrões. Apesar de tudo, permanecem calados. Muitos chegam a apanhar. Poucos são os que ousam levar o caso para uma delegacia de polícia ou mesmo desabafam com a família”.

Parágrafo extraído da excelente reportagem sobre o altíssimo grau de homofobia alimentado por parte da população de Belém, segundo Estado do país intolerante com os homossexuais, publicada na edição deste domingo do Diário do Pará.

O trecho foi pinçado para mostrar as preocupações sociais da jornalista Rita Soares, do setor de reportagens especiais do jornal, em tudo o que escreve, sem ser demagógica e nem resvalar para a pieguice.

Raríssimas vezes, em todos os trabalhos dela lidos pelo poster, Rita deixou de ir fundo às fragilidades humanas, apontando escuridão e desleixo da sociedade para com os socialmente desprotegidos.