As conquistas das mulheres marabaenses depois da criação da Coordenadoria da Mulher

Durante a Semana Internacional da Mulher, o blog faz questão de memorizar um período importantíssimo na história de lutas das mulheres marabaenses, ao longo dos anos:  ano em que foi criada a Coordenadoria  da Mulher em Marabá.

Exatamente no ano de 2014,  quando o prefeito do município era o jornalista João Salame.

Àquela época, a esposa do prefeito, Bia Cardoso Salame, atuou exaustivamente para que a instituição fosse realidade no município.

“O João (Salame) encampou a luta das mulheres marabaenses, dando todo apoio para que a Coordenadoria da Mulher fosse criada. Logo no primeiro ano do seu governo, em 2013, iniciamos contatos, articulações e mobilização em Brasília para obter aprovação de nosso projeto. Estivemos em contatos com diretora do Programa Mulher Viver Sem Fronteira, Rosangela Rugo, na capital federal, de quem recebemos todo apoio. Foi a partir da criação da Coordenadoria da Mulher que o município passou a receber recursos federais destinados  a aplicação de políticas voltadas à mulher”, conta Bia Salame, na  foto abaixo , ao lado de Rosangela Rugo,  em Brasília.

Além da Coordenação da Mulher, o município ganhou, também, em 2014, o Pronatec, do qual Cláudia Cilene  se tornou coordenadora.

E ela faz questão de registrar a importância da conquista do programa para o município.

“Antes de João Salame assumir, em 2013, Marabá não contemplava nenhum tipo de política pública para mulheres. A partir de 2014, ganhamos nossa coordenadoria depois de extenso trabalho junto ao governo federal e total apoio da prefeitura”, conta Cláudia Cilene, que atuou como Coordenadora do Pronatec, também importante conquista das mulheres marabaenses.

E qual a finalidade do Pronatec, para a comunidade?

“Formar adequadamente a população mais carente e necessitada de se profissionalizar. Esse o objetivo do Pronatec, que trouxe a possibilidade das pessoas terem sua autonomia e poder se desenvolver. Quando vem as obras e oportunidades,  necessário que a cidade tenha mão de obra qualificada”, afirmou.

Cláudia (foto) lembra também que o município foi premiado pelo governo federal por ter se transformado no primeiro da Região Norte, ao bater todos os recordes na  articulação, mobilização e encaminhamentos.

“Naquele ano de 2014, muitas turmas foram abertas e muitas pessoas foram pro mercado de trabalho. A conquista nos deixou cheia de orgulho, mais pelo reconhecimento à seriedade do trabalho que desenvolvemos em favor da formação de mão de obra qualificada”, relembra Cláudia Cilene.

Cilene diz ainda que nos dois anos seguintes centenas de jovens, em sua maioria mulheres, foram formados nos cursos do Pronatec e que as metas do programa  ambiciosas estavam sendo batidas por causa da prioridade dada a ele.

Na passagem da Semana Internacional da Mulher, pesquisa realizada  pelo blog, na Internet, mostra que nesse período, de 2013 a 2016, as mulheres marabaenses tiveram muitas conquistas.

Foram inauguradas sete creches, todas climatizadas, atendendo crianças na  periferia e zona rural.

A prefeitura, no período, climatizou 600 salas de aulas em escolas.

Três mamógrafos foram instalados no Hospital Municipal, UBS da Folha 33 e bairro Laraneiras.

Houve melhorias físicas e aquisição de novos equipamentos no Hospital Materno Infantil – bem como instalação do CRAS no bairro Amapá.

Ou seja, fortalecer a luta das mulheres por conquistas de mais saúde, educação, qualificação de mão de obra,    acolhimento e aprimoramento das políticas públicas  -, é totalmente possível.

Basta haver vontade política e determinação.

Recursos o município de Marabá  tem.

——————————-

Nota do blog: entrevista feita com a jornalista Bia Cardoso Salame, anteriormente anunciada para publicação hoje, será editada amanhã.

Uma pequena checagem em uma informação da própria entrevista, já editada, se faz necessária – o que estamos fazendo, aguardando o retorno de Bia.