Hiroshi Bogéa On line

Zona de Exportação (ZPE) e siderúrgica da Cevital podem ser edificadas na mesma área industrial

 

Quem informa é Jackeline Chagas, do Correio:

 

Em visita técnica de reconhecimento da área onde será implantada a siderúrgica do Grupo Cevital, em Marabá, representantes do Conselho de Administração da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Estado do Pará (Codec), do próprio Grupo Cevital, da Associação Comercial e Industrial de Marabá (ACIM) e do Conselho Nacional das Zonas de Processamento de Exportação (CZPE) deram mais um passo rumo ao início das obras previsto para este ano.

De acordo com Paulo Hegger, representante do Grupo Cevital, a inspeção foi um convite do CZPE, ligado ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), para que este entenda melhor o projeto elaborado pelo Codec. “A ideia é que a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Marabá seja construída pela própria Cevital, dentro do terreno da Alpa. Viemos com o objetivo de mostrar para o Conselho Nacional de ZPE onde pretendemos instalar o centro administrativo da Zona de Processamento”, disse Hegger.

Ao CORREIO, Helvio Arruda, Diretor Administrativo e Financeiro do Codec conta que neste momento o projeto elaborado pela entidade que representa está sendo analisado pelo CZPE, em Brasília, e prevê que assim que o projeto industrial da Cevital for entregue e analisado, a obra deverá ser licenciada e iniciada, ainda este ano.

“É uma grande obra no campo da construção civil. A expectativa é gerar 18 mil empregos e, depois de quatro anos, quando a siderúrgica começar a operar, estima-se aproximadamente seis mil empregados diretos, além de gerar uma série de expectativas em torno [do empreendimento], porque vai atrair empresas menores”, aposta Arruda.

Todo o processo burocrático está caminhando dentro do cronograma, de acordo com o presidente da Associação Comercial e Industrial de Marabá (ACIM), Ítalo Ipojucan. “É um projeto de musculatura invejável no Brasil na área de siderurgia. Não tem um projeto sequer [no país] caminhando nessa direção. Marabá é uma exceção”, disse Ipojucan.

Para o atual secretário da Secretaria Municipal de Indústria, Comércio, Mineração, Ciência e Tecnologia (Sicom) de Marabá, Ricardo Pugliese, o projeto de implantação da siderúrgica, inserido no contexto da Zona de Processamento de Exportação, é o principal foco da secretaria em termos de investimentos para o município.

“A Cevital é considerada o grande marco para a mudança do perfil da economia de Marabá. É a partir dele que a gente deseja transformar o município no grande polo metalomecânico, trazendo outras indústrias que poderão verticalizar os produtos que sairão da Cevital, que era o grande sonho desde a ALPA (Aços laminados do Pará)”, disse.

Além da visita técnica ao terreno, o grupo tinha um encontro marcado com o prefeito Tião Miranda, com a Sinobrás e Correias Mercúrio. 

Post de 

1 Comentário

  1. Joaquim Dias

    18 de janeiro de 2017 - 00:08 - 0:08
    Reply

    MARABÁ: Terra do já teve e do vai ter

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *