Hiroshi Bogéa On line

Jovem promoter de 23 anos morre em acidente na BR 155

Carol 2Em março passado,  Caroline completou 23 anos.

Jovem bonita, sonhadora, com formação em Produção e Gestão de Eventos, ela se revelava uma das mais criativas promoters, festejada pelo público jovem.

Carol Gontijo perdeu a vida na madrugada desta quarta-feira, 6, quando retornava do Parque de Exposição de Marabá.

Na BR-155, ela perdeu o controle do carro e bateu de frente com uma árvore, tendo morte instantânea.

Caroline era a única ocupante do veículo.

Até as primeiras horas da manhã, militares do corpo de bombeiros trabalhavam para a retirada do corpo da vítima, preso entre ferragens.

Carol estava sempre à frente de eventos promovidos nas casas noturnas Pulse e Predileto.

Fernando Pessoa, por ocasião da morte do também poeta português Sá-Carneiro, prestou homenagem ao amigo que se foi aos 26 anos, escrevendo o seguinte texto, que revigoro neste momento com intenção de confortar familiares e amigos de Carol:

 

Morre jovem o que os Deuses amam, é um preceito da sabedoria antiga. E por certo a imaginação, que figura novos mundos, e a arte, que em obras os finge, são os sinais notáveis desse amor divino. Não concedem os Deuses esses dons para que sejamos felizes, senão para que sejamos seus pares. Quem ama, ama só a igual, porque o faz igual com amá-lo. Como porém o homem não pode ser igual dos Deuses, pois o Destino os separou, não corre homem nem se alteia deus pelo amor divino; estagna só deus fingido, doente da sua ficção.

Não morrem jovens todos a que os Deuses amam, senão entendendo-se por morte o acabamento do que constitui a vida. E como à vida, além da mesma vida, a constitui o instinto natural com que se a vive, os Deuses, aos que amam, matam jovens ou na vida, ou no instinto natural com que vivê-la. Uns morrem; aos outros, tirado o instinto com que vivam, pesa a vida como morte, vivem morte, morrem a vida em ela mesma. E é na juventude, quando neles desabrocha a flor fatal e única, que começam a sua morte vivida.

(… São assim os que os Deuses fadaram seus. Nem o amor os quer, nem a esperança os busca, nem a glória os acolhe. Ou morrem jovens, ou a si mesmos sobrevivem, íncolas da incompreensão ou da indiferença. Este morreu jovem, porque os Deuses lhe tiveram muito amor.”

Estado em que ficou o carro da jovem, depois do acidente
Estado em que ficou o carro da jovem, depois do acidente
Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *