Hiroshi Bogéa On line

33 médicos brasileiros começam a trabalhar hoje, no Pará

 

Dos 1.096 médicos com diplomas do Brasil inscritos no programa Mais Médicos, 33  iniciam suas atividades no Estado do Pará, nesta segunda-feira, 12.

Eles devem trabalhar em unidades básicas de saúde do interior.

Municípios paraenses contemplados inicialmente com médicos brasileiros:

 

 Cinco médicos

Marituba (PA)

 

Quatro médicos

Acará (PA)

 

3 médicos

Ananindeua (PA)

Santarém (PA)

 

Dois médicos            

Benevides (PA)

Prainha (PA),

 

Um médico

Altamira (PA), Belterra (PA, Bragança (PA), Breu Branco (PA), Bujaru (PA), Colares (PA), Itupiranga (PA), Maracanã (PA), Palestina do Pará (PA), Peixe-Boi (PA), São João da Ponta (PA),  São João de Pirabas (PA), São João do Araguaia (PA, Vitória do Xingu (PA),

Post de 

2 Comentários

  1. Luis Sergio Anders Cavalcante

    4 de setembro de 2013 - 05:58 - 5:58
    Reply

    Hiro, em parte, concordo com o Agenor Garcia. A parte melindrosa e muito importante para os médicos cubanos, variante dessa questão, é o pagamento do trabalho realizado pelos médicos cubanos. Porém, há que se considerar, que tal situação, deriva exatamente do sistema de governo da ilha. Na vinda dos profissionais de saude cubanos ao brasil, está embutida, talvez, uma maior e melhor realização profissional de cada um, além do evidente alívio temporário a que são submetidos, por causa do modo de governo a que são submetidos. Se a maior parte do salario deles(Médicos) é redirecionado para o governo castrista, porquê não recompensá-los com outras vantagens locais ? Faço esse questionamento, pois sabe-se, que o salario pago aos cubanos, será inferior ao que recebe um médico brasileiro. Em 04.09.13, Mba.-PA.

  2. medicos cubanos

    2 de setembro de 2013 - 11:06 - 11:06
    Reply

    Caro Hiroshi,

    Que os médicos cubanos sejam bem vindos e possam fazer o seu trabalho. Medicina preventiva é tudo. Das crianças que morrem por causa de doenças como diarréia, contaminadas por todo tipo de lombrigas, tuberculose, desnutrição, segundo o frei Beto, “nenhuma é cubana”. Tudo bem, o que precisa ser esclarecido, no entanto, é a quadrangulação que fazem com o pagamento deles. O governo brasileiro paga para uma instituição da Onu, que credita o governo cubano e os irmãos Castro pagam os médicos de acordo com o mísero salário pago em Havana. É isso que está errado. Os médicos deveriam receber diretamente do governo brasileiro. Que, vergonhosamente, aceitou a imposição e, por conta disso, participa da exploração da “mais valia”, que caracteriza essa relação torta e covarde que tem a anuência do governo brasileiro. E isso, é muito triste. Pois os médicos cubanos são competentes, trabalham muito e não recebem nem cem dólares por mês. Que tal?
    Agenor Garcia
    jornalista

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *