20 anos depois de sua morte, Geraldo Veloso continua sendo apontado “melhor prefeito de Marabá”

Hoje, 2 de fevereiro de 21, completa o ciclo de 20 anos da morte do melhor prefeito que Marabá já teve, Geraldo Veloso.

Vítima de câncer, a morte de Doutor Veloso, como era carinhosamente chamado pela população, marcou profundamente a cidade e região.

Médico, Geraldo  era piauiense de Floriano, e chegou a Marabá no final do ano de 1961 como servidor federal trabalhando na Fundação de Saúde Pública (Fsesp).

De lá até sua morte, Doutor Veloso realizou mais de 20 mil partos.

Ou seja, mais de 20 mil crianças nasceram sob seus cuidados médicos.

Além desse magnífico trabalho de obstetra, o médico realizou outras intervenções cirúrgicas na área de clínico geral.

Em 1970, Veloso montou seu consultório particular na praça Duque de Caxias.

Mais adiante, por volta de 1974, construiu a Clínica Manoel Mendes, denominação em homenagem ao pai dele, na rua Getúlio Vargas onde atualmente encontra-se instalada a clínica cardiológica de Manoel Veloso, filho do saudoso médico.

Nesse prédio abandonada na Cidade Nova foi construída a moderna sede da secretaria de Saúde de Marabá.

 

Demostrando todo seu amor à Marabá, Geraldo decidiu ser mais audacioso construindo o Hospital Celina Gonçalves, hoje Hospital Regional do Sudeste do Pará.

Enveredando para a área política, Geraldo Veloso elegeu-se vereador de Marabá, nos anos 70.

De 1997 até o ano 2000, atuou como prefeito do município, quando foi reeleito mas não conseguiu cumprir seu segundo mandato, vítima do câncer.

E por que a História registra Geraldo Mendes de Castro Veloso como o melhor prefeito até hoje de Marabá?

Porque ele implantou obras macros na cidade que vieram transforma-la definitivamente.

Marabá tinha  características  de uma cidade simples, provinciana mesmo, um grande favelão proliferado em todo seu entorno.

Numa comparação em tempos distintos, pode-se dizer que Geraldo Veloso foi o Antonio Lemos de Marabá, preocupado que era em transformar a cidade, reduzir seus bolsões de pobreza e torna-la um lugar no qual se podia viver com  qualidade de vida.

Para quem não sabe, Antonio Lemos é considerado pelos historiadores o melhor prefeito de todos os tempos de Belém.

A rodovia Transamazônica, entre a ponte sobre o Itacaiunas e o acesso ao aeroporto era pista única tendo em suas laterais muitas baiúcas.Um verdadeiro favelão. Veloso transformou a área construindo pista dupla e urbanizando todo o entorno (foto abaixo)

 

Por nossas bandas, Geraldo Veloso amava o torrão que o acolheu.

E não há como negar seu protagonismo e amor.

Pode-se até dizer que Geraldo Veloso  foi um higienista urbano,  promovendo  o embelezamento da cidade.

Quem lembra de como era o chamado KM 6, na rodovia Transamazônica, tem consciência de que Veloso começou a transformar Marabá a partir da extraordinária obra de urbanização do local, aacabando com o vergonhoso estado de miséria e de abandono do local – covil de bandidos e traficantes de drogas -, além de ter edificado o Terminal  Agro Rodoviário “Miguel Pernambuco”, preocupado em oferecer um equipamento capaz de atender, fora do centro da cidade, quem chegava ou partia para lugares da zona rural e municípios vizinhos.

Como era o cenário de Marabá  à época e o retrato de sua periferia?

Total subdesenvolvimento.

O prédio da Prefeitura tinha em seu entorno muito matagal e abandono, dando espaço para a construção de uma bela praça (abaixo)

E não apenas isso.

Geraldo Veloso foi um reformador da cidade.

Ele tinha clareza de que  primeiro deveria “higienizar”  o espaço público para depois embelezá-lo.

A higienização entendida como acabar com os bolsões de favelas que caracterizavam as vias principais, coleta de lixo eficiente e abertura de ruas que melhorassem o fluxo do tráfego, já aquela época começando a causar engarrafamentos em determinados trechos.

Foi assim que surgiu a duplicação da Rodovia Transamazônica, entre a ponte sobre o rio Itacaiunas e o acesso ao aeroporto, na Cidade Nova.

Apenas alguns exemplos.

Frequentemente rememorado e evocado como o mais importante e melhor administrador municipal que Marabá já teve, quais as principais obras  transformadoras edificadas por Veloso?

Vamos lá.

Primeiramente, registrar que doutor Veloso fez uma revolução na gestão administrativa e organizacional.

Melhoria na arrecadação da cota parte do ICMS pela modernização tecnológica; gestão participativa com mais de 500 reuniões; implantação do Saci – Serviço  de Atendimento ao Cidadão, o primeiro implantado no Estado do Pará.

Foi o Saci que  inspirou a implantação de serviços parecidos, como hoje é o chamado Estação Cidadania.

Construção das modernas praças São Francisco (Cidade Nova), e da Prefeitura;

Edificação da Secretaria de Saúde, na Cidade Nova;

Construção da Secretaria de Assistência Social;

Edificação de 12 Centros de Saúde.

Veloso, em ato público, cercado eplos filhos Manoel Veloso e Renato, além da esposa, dona Dalva Veloso.

Observem a preocupação do então prefeito com a área de saúde, espalhando investimentos pesados, em um tempo em que  a arrecadação do município deveria representar apenas 40% da atual. Veloso não alcançou os repasses  extraordinários de royalties que hoje Marabá recebe da Vale e de outros projetos minerários.

Naquele tempo, a administração pública tinha que se virar com os repasses institucionais de ICMS e FPM. Nem havia ainda uma arrecadação própria eficiente, que passou a ser observada somente no último ano de seu mandato, consequência das reformas e modernização que realizava na máquina administrativa

Na área educacional, Geraldo Veloso também transformou o município, que tinha carências imensas de vagas escolares e prédios de qualidade.

Tocou o trabalho construindo 25 novas escolares e reformando outras 54.

Geraldo Veloso viria também oferecer seu olhar transformador ao implantar o DMTU, primeiro do Estado do Pará, começando a criar um ordenamento no trânsito que era extremamente caótico.

O Ginásio Osorinho, na Velha Marabá, também é obra de Veloso, bem como o Ginásio da Folha 16, que teve suas obras iniciadas na gestão dele. A morte não permitiu ao prefeito  concluir o empreendimento esportivo, que viria a receber o nome de Renato Veloso, em homenagem ao filho de Gerado, falecido um ano antes.

O setor cultural também foi revolucionado.

As modernas instalações de Fundação Casa da Cultura foram construídas pelo saudoso prefeito.

Passados 20 anos da morte de Geraldo Mendes de Castro Veloso a História registra  a seriedade de um governante e sensibilidade que ele teve para com a cidade que nem era a sua terra natal.

Pode-se dizer, sem nenhuma intenção de  elogio exacerbado, que Geraldo Veloso foi um cidadão de luz pelo  mecenato exercido,  colocando a cidade de Marabá no circuito nacional por boas  ações administrativas.