Hiroshi Bogéa On line

Valorizando a chamada “prata da casa”

 

 

 

Com pedido de publicação,  leitora Wilma Paixão envia texto  deu sua autoria, tratando da nova administração municipal.

—————–

O Umbigo e o Prefeito

Wilma Paixão

 

Nos últimos anos, durante o período eleitoral, temos escutado discursos    políticos que na tentativa de nos convencer – nós os nativos, do seu “amor” por Marabá, além dos abraços característicos, destacam o fato de ter o seu umbigo enterrado nos bairros pioneiros. Mas, quando a eleição já é passado, desconhecem seus conterrâneos e contemporâneos antes tão exaltados, que são então recolhidos a uma atribuída insignificância, como seres sem inteligência, sem potencial criativo, burros e  preguiçosos. Cercam-se de pessoas de origem e caráter duvidosos- salvo raras exceções, que amealham fortunas dos cofres públicos e também tratam os nativos com ar de superioridade irritante e nauseante.

Tenho observado nestes primeiros lampejos da nova administração um gesto louvável de valorização das capacidades locais. Sem bairrismo ou paternalismo, vejo as oportunidades sendo abertas para muitos dos “nossos” que nunca foram vistos, ou a muito estavam deixados à margem, de enfim exercitarem seu amor por esta terra, participando, com seu trabalho, dos novos rumos que haveremos de tomar.

Na verdade um homem de caráter está onde está a sua mente e o seu coração, e não onde está o seu umbigo, pois esta parte do corpo tem sua função reduzida apenas a nutrir-nos enquanto estamos no ventre materno, não importado que depois que se desprende espontaneamente  seja comido por vermes ou abutres.

Os princípios que regem as relações humanas e nos impulsionam, e fazem de nós verdadeiramente seres humanos que sente afeto genuíno, como amizade, respeito, lealdade, confiança e tantos outros, não estão mortos no nosso umbigo extirpado, e sim vivos em nossas mentes e nossos corações

Post de 

3 Comentários

  1. Marcia

    15 de janeiro de 2013 - 18:47 - 18:47
    Reply

    Texto bem escrito. Mas sabemos que as oportunidades são dadas não a técnicos e sim à pessoas que os apoiem politicamente. Ou seja a formação e capacidade profissional nunca é levada em conta. Talvez por isso as coisas nem sempre dão certo. Temos como exemplo o governo anterior. E vamos pedir à Deus para que está gestão não cometa o mesmo erro.

  2. servidora

    13 de janeiro de 2013 - 10:37 - 10:37
    Reply

    sempre achei ridículo a expressão “meu umbigo…” como se isso fosse algum crédito. O povo quer saber de um prefeito q tenha empatia com o povo e não de um pavão alvoroçado em tempos de eleições. Parabéns pelo texto.

  3. Paulinho velha Marabá

    12 de janeiro de 2013 - 22:11 - 22:11
    Reply

    Parabéns, lindo texto, Wilma Paixão!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *