Hiroshi Bogéa On line

Renato Veloso recebe justa homenagem

 

Justa homenagem da prefeitura de Marabá a um marabaense que nos deixou bem jovem: Renato Veloso, filho do saudoso ex-prefeito Geraldo Veloso.

Jornalista e Administrador, a morte de Renato, aos 32 anos,  pegou a todos de surpresa, no momento em que ele começava a assumir o controle da gestão público na qual tinha o pai como prefeito, recheado de boas intenções e com o desenho de um projeto macro para auxiliar o pai no desenvolvimento de ações modernas e estruturantes.

A perda de Renato deixou marcas e traumas – principalmente entre pessoas que conviveram diretamente com ele e sabiam de sua importância para a composição de quadros técnicos do governo – além do vácuo que viria a seguir no seio dos familiares de Veloso – culminando meses depois com a morte do próprio Geraldo Veloso.

A denominação da uma escola da zona rural de “Renato Veloso”  é a segunda homenagem póstuma.

A primeira, ocorrida ainda na gestão do próprio Geraldo Veloso, quando este batizou o ginásio da Folha 16 com o nome do filho.

Surpreendentemente, no entanto, vice-prefeito da época,  Sebastião Miranda, no exercício da função em razão da morte de Veloso, tomou irracional atitude de excluir o nome de Renato, sugerindo o nome de Ginásio Olímpico de Marabá – comportamento rasteiro que viria a merecer críticas de toda a sociedade.

Apesar dos esforços de Miranda em revogar a denominação original, o ginásio ficou mesmo sendo chamado de “Renato Veloso” pela sabedoria popular.

À solenidade de inauguração da Escola Renato Veloso, localizada no Projeto de Assentamento Talismã, o prefeito Maurino Magalhães colocou ao seu lado, o médico Manoel Veloso e o engenheiro Dário Veloso, filhos do ex-prefeito de Marabá.

Belo gesto de grandeza e reconhecimento.

Prefeito Maurino Magalhães, Manoel e Dário Veloso, descerrando placa
Post de 

19 Comentários

  1. anônimo

    9 de abril de 2012 - 19:51 - 19:51
    Reply

    Hiroshi,
    Diante de tantos comentários lindos, reverenciando os entes queridos, da familia Veloso. Me aparece esse tal Matheus Fernando, falando de PMN. Vai te catar, seu idiota. Nesse, espaço que nos é oferecido pelo Blog, não cabe tuas asneiras.

  2. anônimo

    9 de abril de 2012 - 19:17 - 19:17
    Reply

    Se, somados, os votos dos candidatos à vereador pelo PMN, não enche um Micro-Ônibus. Voces, estão de brincadeira com a gente, parem com isso !

  3. anônimo

    9 de abril de 2012 - 19:12 - 19:12
    Reply

    Matheus Fernando,
    Tú, deves acreditar em Matinta Perera, pra imaginar que esse PMN, tem algum valor ( VOTOS ). Amigo, essa, é mais uma sigla de aluguel que já deveria ter sido extinta no Brasil. Só, serve mesmo pra tomar dinheiro de candidato a prefeito ( RICO ), como por exemplo: O TIÃO DO NÃO !

  4. Matheus Fernando

    8 de abril de 2012 - 09:51 - 9:51
    Reply

    O PMN ainda não decidiu apoiar o Maurino, provavelmente será feita uma votação entre os candidatos a vereadores para decidir o rumo do partido.Pelo que lembro PMN não ajudou a eleger o Maurino e apoiou o PT nas eleições municipais do ana passado. O PMN não tem nenhuma ligação de fato com o partido do Maurino, nenhum cargo nem nada.

  5. Dalva Veloso

    7 de abril de 2012 - 12:42 - 12:42
    Reply

    Caro Hiroshi,
    Agradeço a você pela publicação desta homenagem que o Prefeito Maurino Magalhães, por intermédio do Secretário Ney Calandrini, prestou a nossa família, principalmente ao meu filho Renato, que era seu amigo do coração. Obrigada a todos que deram sua opinião, que me encheram de felicidade em saber que somos ainda queridos nesta terra que tanto amamos. Infelizmente, por me encontrar doente, não pude comparecer ao evento. Não tive oportunidade de agradecer pessoalmente ao Prefeito Maurino e uso desta tribuna para fazê-lo. Abraço a todos.
    Dalva Veloso.

  6. anônimo

    6 de abril de 2012 - 07:59 - 7:59
    Reply

    Hiroshi,
    Merecida homenagem : Bateu, uma saudade do Velhinho, ( PAI ) do homenageado Dr. Renato, que, pro meu alento, sairam algumas lágrimas de meus olhos. Que, tempo bom, para Marabá ” GESTÃO DO DR. VELOSO “. Um abraço, à D. Dalva, Dário e Manoel !

  7. Anônimo

    6 de abril de 2012 - 00:43 - 0:43
    Reply

    Duvido que estes partidos citados continuem com o maurino.Depois da primeira pesquisa que confirma as intensões das ruas, Tião Miranda na cabeça.Muitos partidos que fizeram a base do governo maurino, estão começando a repensar suas escolhas para a eleição de outubro, ninguém que estar ao lado de perdedor e o maurino e sua turma ja jogaram a toalha…

  8. Anônimo

    5 de abril de 2012 - 15:28 - 15:28
    Reply

    Seria ser muito mal informado. para uma pessoa que foi cinco vezês vereador, não conhecer a hisória de marabá.sobre o términal rodoviário,procure para o dr. felix Marinho,neto do sr Pedro Marinho que é o presidente do PMN,Partido aliado de Maurino.ele vai lhe informar quem fez a lambança.só falta vc ensinuar que a herança maldita da saúde . foi o Maurino que foi culpado é quem resolveu sobre um local apropriado para manuzear o lixo foi o Tião do Não. falar nisso o PP,DEM,PMN,PSL,PHS já decidiram apoiar Maurino para a sua reeleição.

  9. anônimo

    5 de abril de 2012 - 14:05 - 14:05
    Reply

    Mateus Fernando,
    Dúvido, muito, que o Maurino saiba quem foi Pedro Marinho de Oliveira. Aí, a falta de sensibilidade ( desinformação da história politica administrativa de Marabá ). Pergunte, a ele (Maurino ), ou para seus auxiliares direto, que nenhum sabem de nada. Eí, Maúrino, quem foi Francisco Coelho ?

  10. Matheus Fernando

    5 de abril de 2012 - 11:32 - 11:32
    Reply

    Falta a sensibilidade do Maurino de botar novamente o nome na rodoviaria Pedro Marinho, q atualmente aparece como rodoviaria de Marabá

  11. Silvia

    5 de abril de 2012 - 10:40 - 10:40
    Reply

    Homenagem é justa. Renato realmente foi uma grande pessoa. Até hoje, guardo algumas cenas que presenciei do Dr. Veloso, sempre sereno e sensato, mesmo nas dificuldades. Um momento me marcou em especial, quando, uma vez, numa tristeza profunda, em seu escritório, numa conversa difícil com Dário (estávamos eu, o sr. e eles dois) ele soltou: “não consigo ter forças após a morte do Renato, não consigo ter ânimo, nem vontade de seguir” , até hoje esta lembrança me emociona. A dor do pai, que perdeu o filho, amigo, conselheiro e parceiro de forma tão prematura e inesplicável.
    Qualquer homenagem a esta família é pequena diante da história que o patriarca construiu. Como marabaenses devemos honrar a memória do Dr. Veloso e seu filho Renato.

  12. Anônimo

    5 de abril de 2012 - 09:36 - 9:36
    Reply

    Parabéns Maurino,pela sua sensibilidade que faltou aos seus antesessores.

  13. Anônimo

    5 de abril de 2012 - 09:31 - 9:31
    Reply

    Merecida homenagem ao Renato Veloso.uma Fámilia que fez muito e continúa fazendo por Marabá.esta familia nunca deveria ter sido injustiçada pelos politicos que rodeavam,usaram e culparam Dário veloso,fogos foram explodidos, por judas após falecimento do glorioso Veloso.

  14. Plinio Pinheiro Neto

    4 de abril de 2012 - 16:50 - 16:50
    Reply

    Caro Hiroshy Bogea.

    Justissima homenagem ao jovem Renato Veloso.Toda terra necessita, visceralmente, de render preitos de homenagens aos seus pioneiros e a todos os que a dignificam, nascidos nela ou que a escolheram como lar e centro de suas atividades.Disse um pensador que “o ouro fino da gratidão e do reconhecimento, extraído dos veeiros mais profundos da fé, do amor e do ideal, é um ouro que se não enriquece, materialmente, a muitos engrandece, na terra e no céu.” Há um aforismo latino que diz “mors omnia solvit” ou seja “a morte tudo apaga” e assim, se condenável é a amizade que desaparece à beira de um túmulo, mais condenável é o ressentimento que vai além da sepultura. Não importa as divergencias politicas, ideológicas ou de qualquer outra natureza que possamos ter tido com alguém, o papel desempenhado pelas pessoas na história, as suas obras, os seus méritos, são inalienáveis e devem ser reconhecidos.Justa e merecida a homenagem ao Renato Veloso, que muita falta fez ao seu pai e à administração dele à época.Um povo sem memória é um povo sem história e sem raízes.Gosto de meditar sobre os gigantes que enfrentaram as vicissitudes do passado e construiram os alicerces desta cidade que tanto nos orgulhece (voce tem dois dentro de casa) e igualmente contemplo e reverencio a face de quantos conheci nestes meus 66 anos de vida marabaense e que lutaram pelo nosso desenvolvimento, às vezes, com o sacrificio da própria vida.
    Um grande abraço do amigo

    Plínio Pinheiro Neto

  15. Anônimo

    4 de abril de 2012 - 14:52 - 14:52
    Reply

    Hiroshi a escola Renato veloso ja existia, ela não foi criada no governo maurino.Na verdade ele esta inaugurando apenas uma ampliação e reforma da escola.
    E sem duvida é uma justa homenagem.

  16. João Salame

    4 de abril de 2012 - 14:05 - 14:05
    Reply

    Parabéns à iniciativa. Renato era um ser humano da melhor qualidade. profissional competente.Um grande amigo que perdi. Merece essa e muitas outras homenagens

  17. Osmary Brito

    4 de abril de 2012 - 13:43 - 13:43
    Reply

    Sou marabaense, professora e tive a honra de participar de alguns momentos da família Veloso. Dr Veloso, uma pessoa séria, profissional respeitado na cidade. Sem dúvida alguma, uma figura que merece sempre ser lembrado com respeito e muito respeito por todos.Lembro-me de uma ocasião: Ao retornar para Marabá, após período de tratamento, ele já bastante debilitado, pegou em minha mão e fez comentários engraçados…… Marabá, deve muito a esta figura singular, que adotou esta cidade com todo seu coração.

    Família Veloso, meus sinceros votos de respeito para com todos!!!

  18. Hiroshi Bogéa

    4 de abril de 2012 - 11:49 - 11:49
    Reply

    “Marabaense distante de Marabá”, quanto mais distante de Marabá tu estiveres – melhor, se realmente estiveres. Teu comentário foi pra lata de lixo, como deveria ir, também, a tua bajulação pelo teu patrão, e teu interesse em distorcer a realidade. Renato Veloso fez curso de Comunicação pela Universidade de Juiz de Fora, MG (inclusive, colega de Evaristo Costa, apresentador atual do Jornal Hoje), e era o conselheiro de seu pai – tendo participado desde a campanha pela primeira eleição de Geraldo Veloso. Ele não integrava nenhuma assessoria formal da administração porque Renato dedicava-se também à gestão do Hospital que pertencia ao pai, hoje Hospital Regional. Tantos comentários do nível enviado serão jogados água à dentro da descarga.

  19. ANONIMO

    4 de abril de 2012 - 09:43 - 9:43
    Reply

    Quem já tem alguma experiencia na vida,sabe que na política ninguém é santo, e na briga pelo poder (leia-se VOTO ,do incauto eleitor) faz-se tudo,ofensas aos familiares,vivos ou já falecidos,ofensas à candidatos,etc Resumindo ,é uma podridão total e generalizada,e de todos os lados,a ética é jogada no lixo. Então deixemos de demagogia,não é só seu Tião que tem tais atitudes como cita o poster, todos agem assim,todos, depende da ocasião.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *