Hiroshi Bogéa On line

Tendência do preço da carne é aumentar em intervalos mais curtos

O consumidor do Sul do Pará, particularmente Marabá, tem observado uma sequência do aumento do preços da carne, durante o ano de 2019.

Uma combinação de entressafra e exportações fora do padrão estão elevando o preço da carne bovina.

Desde o fim de 2018, a China enfrenta queda da produção de suínos devido a uma grave crise sanitária na suinocultura, o que a fez elevar as compras externas e a procura de outras proteínas, como a bovina.

O Brasil, o principal exportador mundial de carne bovina e de frango, foi beneficiado por essa demanda chinesa. E essa demanda veio justamente na entressafra do boi, quando a oferta é menor –em parte por causa da diminuição de matrizes após a Operação Carne Fraca, há dois anos, que derrubou os preços do setor– e quando o consumo interno aumenta devido às festas.

O resultado foi uma disparada do preço do boi, que chegou a R$ 204,05 na terça-feira, 19.

A alta em 12 meses é de quase 40%.

As carnes vieram, semana a semana, aumentando de preço.

Como a produção de aves é mais rápida e a maior parte da produção é para consumo interno, a carne de frango sofre menos com a pressão externa.

Já para os supersticiosos que evitam frango no Réveillon porque a ave cisca para trás, os preços dos pescados estão estáveis.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *