Hiroshi Bogéa On line

Sinobrás desenvolve capacidades

 

 

Ter acesso ao mercado de trabalho, sem preparo, é uma missão quase impossível, mas com capacitação tudo muda. Que digam os novos operadores de processos metalúrgicos, recém formados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI, pólo Marabá. “Eu sempre assisti na televisão empresas de outros estados oferecerem cursos de qualificação e empregarem pessoas como eu, portadoras de necessidades especiais, mas aqui em Marabá eu nunca pensei que isso fosse acontecer. Hoje eu realizei um sonho”, disse Vera Santos operadora siderúrgica.

Capacitada por meio do Programa de Treinamento e Qualificação a Pessoas com Necessidades Especiais (PNE), promovido pela SINOBRAS, em parceria com o SENAI, durante dez meses, a profissional encontrou a oportunidade buscada e agora iniciará, juntamente com outros 14 concluintes do curso, uma carreira na Siderúrgica. A SINOBRAS custeou o curso e integrará os novos técnicos ao seu quadro profissional.

Segundo Sidésio Martins, coordenador do SENAI, a matriz do curso foi desenvolvida para formar mão de obra na área industrial e se destina às pessoas portadoras de necessidades especiais. De acordo com ele, o mercado de trabalho está cada vez mais concorrido e a situação é mais preocupante para as pessoas portadoras de deficiência física. “Essas pessoas, além de todas as dificuldades, ainda têm que se deparar com o preconceito. Para que estes profissionais consigam garantir seu lugar, eles precisam estar capacitados e qualificados”, enfatizou.

Para Lídia Estumano, o curso foi bom, pois ela adquiriu conhecimento que nunca pensou obter. “Agradeço a Deus e a SINOBRAS por ter aberto essa porta para nós. Eu espero poder contribuir no setor que serei alocada. Estou muito feliz, pois meu sonho era trabalhar na SINOBRAS e agora o realizei”, festejou.

A gerente de Recursos Humanos, Cláudia Rodrigues, explica o quanto é importante superar obstáculos e conviver com as diferenças. “O grupo que foi formado no programa mostrou o quanto é importante observar a vida por outro ângulo. Os limites muitas vezes são ditados socialmente e, com força de vontade e dedicação, podemos chegar muito longe. Aprendemos também com as diferenças. Quando nos relacionamos com pessoas culturas e conhecimentos diferentes, novos aprendizados surgem”, disse Cláudia.

O grupo iniciou suas atividades na empresa esta semana, em diversas áreas como Aciaria, Engenharia, Logística, Almoxarifado, Trefila, Recursos Humanos, Tecnologia da Informação e na área de Segurança e em Medicina do Trabalho – SESMT.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *