Hiroshi Bogéa On line

Semas exige da CDP plano para retirar bois mortos do navio afundado

Termina nesta sexta-feira, 8, o prazo dado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) para a Companhia das Docas do Pará apresentar propostas para a retirada do gado morto que ainda está dentro do navio “Haidar”, de bandeira libanesa, em  processo de decomposição.

O titular da Semas, Luiz Fernandes Rocha, lembra que até o momento a Secretaria de Meio Ambiente ainda não recebeu nenhum plano para a retirada do resíduo.

“A CDP ainda não apresentou nenhum plano para que esse problema fosse solucionado. Fizemos essa reunião para cobrar celeridade em todo o processo, que afeta toda a população local”, afirmou.

Além de todos os procedimentos administrativos referentes aos autos de infração lavrados em desfavor dos responsáveis, a Semas já notificou a CDP e todas as empresas envolvidas direta e indiretamente no ocorrido, para que haja, no prazo de 24 horas, o cumprimento das exigências feitas pela Secretaria de Meio Ambiente, com relação à retirada imediata dos animais e tanques de combustíveis que ainda estão no local, assim como efetivar todas as medidas legais necessárias à regularidade do corpo hídrico no qual fora lançada material oleoso e feno (alimento bovino), sob pena de pagamento de multa diária desde já fixada em R$ 200 mil.

Em decorrência de todo o sinistro o órgão ambiental do Estado interditou temporariamente o exercício da movimentação de carga viva no Porto da Vila do Conde, tendo em vista a necessidade de apresentação imediata de um plano de contingenciamento de possíveis sinistros quando do transbordo da carga, o que será analisado pela equipe técnica do órgão. A Semas aguarda o plano de contingência para poder liberar novamente as atividades de carga viva no porto.

A Semas destacou uma equipe de fiscalização e licenciamento portuário em Vila do Conde para acompanhar todos os desdobramentos e encaminhamentos necessários a regularidade do acidente, inclusive disponível a compor o comitê de crise instalado em Barcarena.

O presidente da CDP é o ex-deputado estadual Parsifal Pontes.

 

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *