Hiroshi Bogéa On line

Sem-toras impunes

Desde 2008, o blog denuncia o banditismo nos municípios de Tailândia e Breu Branco formado por elementos de um tal movimento dos Sem-Tora.

Apesar das ações policiais na tentativa de eliminar as investidas dos fascínoras, já se passaram dois anos e a encrenca continua crescendo.

Agora, com confronto armado entre os comerciantes de madeira roubada e a polícia.

Essa patifaria só acaba um dia se todos os chefes da quadrilha forem pra cadeia.

E levados à juri.

Post de 

4 Comentários

  1. .....

    29 de setembro de 2011 - 17:46 - 17:46
    Reply

    Hiroshy, este NENEN DA DANYSAT foi preso em flagrante por vender mercadoria vencidas em seu supermercado em Tailândia. O mais ilari foi que o mesmo curtiu a pena num leito do hospital com slipt, TV LCD e outras mordomias mais. Lógico…É braço direito do Dep. Macarrão, coordena suas campanhas, é fornecedor financeiro das campanhas.
    BO registrado no dia 27/09/2011 em Tailândia) – MP foi quem flagrou!!!

  2. Anonymous

    19 de novembro de 2010 - 14:00 - 14:00
    Reply

    Vá fundo meu amigo… O chefe desta gang tem nome,endereço, CPF e sua "Ficha Suja" foi limpa com as lágrimas dos orfãos e viúvas deste pobre, miserável e prospero município.
    Segue a prova dos fatos….
    Quadrilha da madeira lucra R$ 90 milhões
    http://www.orm.com.br/ O LIBERAL
    Denúncia
    Este é o valor que o grupo criminoso arrecadou com fraudes no Pará

    Quatro promotores de justiça do Pará abriram investigação criminal para apurar um esquema de extração ilegal e venda de madeira e carvão em municípios do leste do Estado que tem como sede o município de Tailândia,Para derrubar a floresta e 'esquentar' cerca de 120 mil metros cúbicos de madeira ilegal, que teriam gerado R$ 90 milhões para os bolsos da quadrilha, seis projetos de licenciamento ambiental e exploração florestal foram fraudados, no final de 2006, dentro da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema).Os projetos fraudulentos, que estavam em nome de quatro pessoas e foram aprovados no tempo recorde de 18 dias, eram de áreas devastadas há mais de 15 anos. A segunda parte do plano foi financiar invasões de terra para a retirada da madeira de áreas onde ainda havia floresta em pé. Os invasores, conhecidos em Tailândia e municípios mais próximos como 'sem toras', se encarregaram de fazer o serviço com tratores, motosserras e caminhões das madeireiras.
    A partir daí, a madeira passou a ser comercializada à vontade e sem qualquer fiscalização dos órgãos públicos.Um detalhe chama a atenção na fraude: os documentos desapareceram da Sema depois de a madeira ter sido toda extraída e vendida para compradores que a investigação ainda não conseguiu identificar. Os seis projetos fraudulentos estão nos nomes das seguintes pessoas: dois em nome de Guaraci Mendes(GUARÁ) que exerceu cargo na Prefeitura de Tailândia; um em nome de Renato Lima Fialho; um em nome de um irmão da Hígia,mulher do prefeito 'Macarrão', José Agobar Frota Neto, e os últimos em nome de Francisco Farias do Nascimento – (Nenen da DANYSAT). (C. M.).
    A liberação dos projetos estranhamente coincidiu, com um surto de invasões de terra entre junho e julho de 2007 em Tailândia e municípios vizinhos. Dois exemplos de áreas invadidas foram as fazendas dos empresários Dario Bernardes e Armando Zurita Leão. As invasões teriam sido patrocinadas pelo prefeito 'Macarrão'.
    O empresário Armando Zurita confirmou a O LIBERAL que sua propriedade foi invadida por 'sem toras' e teve parte da floresta derrubada. Ele acredita que há muita madeira escondida à espera de oportunidade para ser negociada.

  3. Quaradouro

    19 de novembro de 2010 - 11:46 - 11:46
    Reply

    Pode até ser chamado de "Sem-Tora", mas o movimento tem dono e até elege seus políticos?
    Vê aí…

  4. guilherme marssena

    19 de novembro de 2010 - 10:39 - 10:39
    Reply

    Agora vai ficar mais difícil acabar com este movimento,pois seu líder se elegeu Deputado Estadual.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *