Hiroshi Bogéa On line

Sem-terras relembram massacre em ato que fecha a BR-155

 

Mais de duas mil pessoas estão neste momento na Curva do S, próximo a Eldorado do Carajás, participando de eventos organizados pelo MST para relembrar os 19 anos da morte de 19 sem-terras, naquela localidade.

Ostro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, e a presidente do Incra, Lúcia Falcon acabam de chegar ao ponto das manifestações.

A BR-155 encontra-se fechada, e assim permanecerá até às 11 horas, quando a comitiva se deslocará até ao Assentamento 19 de Abril.

O governo federal deverá anunciar  a desapropriação de fazendas, para o assentamento de mais famílias de agricultores.

O prefeito João Salame participa das manifestações.

Post de 

4 Comentários

  1. kaprãn

    17 de abril de 2015 - 22:45 - 22:45
    Reply

    Vinte anos passados, e alguns pícnicos inexpressivos, ainda tentam através da auto promoção , colher louros imerecidos. E a veia do jornalista ajudou a forjar a maior farsa da história do Pará, pois todos os sérios e estudiosos pesquisadores e historiadores, jornalistas isentos de camisa partidária, sabem que houve um conflito de um grupo de incautos liderados por irresponsáveis lideres do inútil mst , guiados pra morte . Como todos os canalhas fazem , não assumem suas cagadas e procuram alguém pra por a culpa de sua insanidade. Se tivesse servido de lição já seria slguma coisa.

  2. Marcos Costa

    17 de abril de 2015 - 12:06 - 12:06
    Reply

    Será que este fotógrafo é o mesmo que propôs emprego, em seu jornal, para o não menos consagrado Sebastião Salgado ? É bom divulgar esses relatos para compor a história do jornalismo e do não jornalismo para futuras gerações senhor Hiroshi.

  3. Apinajé

    17 de abril de 2015 - 09:54 - 9:54
    Reply

    Não devemos esquecer que nesse episódio,além de interditarem a estrada,também saqueavam cargas e obrigavam motoristas de automóveis a pagarem pedágio,ferindo o direito constitucional de ir e vir do cidadão,além do mais,foi da parte deles(sem terra)que saiu o primeiro tiro,provocando assim,o resultado conhecido.
    Eu até hoje não me convenci de que esses mortos foram vítimas da PM,se existe algum culpado,são seus líderes,mestres na arte de manipular pessoas.
    O Lula está do lado da tropa do Stádli,eu estou do lado da tropa do pantoja.

  4. agenor garcia

    17 de abril de 2015 - 09:19 - 9:19
    Reply

    Caro Hiroshi,

    Os acontecimentos da Curva do S, pegaram de surpresa a mim e João Salame naquela madrugada quando, nos dois estavamos fechando a edicão do OPINIÃO. Diante dos informes, sugeri a João a e ele a manchete de primeira página: “MASSACRE”.
    Foi a única, em todo Brasil. João, com a veia jornalística que ele tem, declarou assim, e não me esqueço jamais: “Garcia: isso vai dar o maior rebú. Não só no Pará, mas no mundo todo”, e deu mesmo.
    Eu morava alí perto do IML que funcionava onde hoje é a Maternidade, no antigo Sesp. E bem de manhã, acompanhei a chegada dos corpos, vindo de Curionópolis na carroceria dum caminhão. Presentes lá, eu e o Miguel Pereira, o primeiro que fotografou tudo. As fotos que sairam na edição de O Liberal, não honraram Miguél. Elas foram compradas dele pelo fotógrafo que veio de Belém. Eu presenciei a cena. O resto, é história.
    Abraços
    Agenor Garcia
    jornalista

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *