Hiroshi Bogéa On line

SEFA pesquisa

A partir desta quarta-feira (23) os contribuintes estaduais vão avaliar a qualidade do atendimento oferecido pelos servidores fazendários. A pesquisa será feita até 14 de outubro nas unidades de todo o Estado, por empresa especializada e por meio de entrevistas presenciais. O levantamento vai avaliar o grau de satisfação dos contribuintes no momento do atendimento presencial nas unidades fazendárias da capital e do interior do Estado.

Na região metropolitana, a pesquisa será de 23 de setembro a 2 de outubro. No segundo momento, será nas unidades do interior, de 5 a 14 de outubro, e serão ouvidos 1.529 contribuintes. A amostra definida para a pesquisa baseia-se no número de processos recebidos nas unidades fazendárias. “Em 2008 foram foram recepcionados 85.815 processos”, explica o secretário da Fazenda, José Raimundo Trindade.

A Secretaria também fará uma pesquisa de clima organizacional, ouvindo os servidores no período de 18 de outubro a 4 de novembro deste ano. “O objetivo é medir o grau de satisfação do cidadão-usuário que procura o atendimento presencial da Sefa, o que vai permitir a análise de variáveis e na construção de indicadores de gestão e de eficiência nesta modalidade de atendimento”.

A pesquisa vai subsidiar o planejamento, a operacionalização e o controle das ações direcionadas à gestão de pessoas no âmbito da Secretaria da Fazenda, iniciando uma sistemática de planejamento contínuo de gestão de pessoas e uma sistemática de acompanhamento e controle permanentes, utilizando indicadores comparativos. “Os números aferidos na pesquisa também servirão para a gestão estratégica da Secretaria da Fazenda e do Governo do Estado, pelas informações socioeconômicas do servidor público estadual, constando elementos que permitam subsidiar uma política de melhoria de condições de vida, assistência e saúde ocupacional do servidor”, informa João Quaresma, coordenador de monitoramento e avaliação do Inovar Fiscal, programa de inovação da gestão da Sefa.

Fonte: Assessoria de Ímprensa
Post de 

1 Comentário

  1. Anonymous

    24 de setembro de 2009 - 10:09 - 10:09
    Reply

    Hiroshi acho que a procuradoria do estado deveria era quebrar o sigilo bancario e fiscal dos fiscais desta organização.

    Basta ver nos trailler montados e barreiras os "carrinhos" da moçada que fiscaliza a entrada de mercadorias e o comercio local.

    Não há compatibilidade material com a salarial.

    É evidente que nem todos são ovelhas negras. No rebanho existem pessoas honestas com salários altissimos.

    Esta avaliação tem que ser feita pela internet sem revelar o avaliador em hipotese alguma. Todos os seus direitos tem de ser resguardadados.

    Depois voce divulga o resultado. Não vai ter nenhuma surpresa…

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *