Hiroshi Bogéa On line

Recomposição à caminho

No blog Espaço Aberto:

Dos 42 prefeitos do PMDB no Pará, apenas dez não compareceram – mas justificaram a ausência – à reunião desta tarde, na sede do partido.

Dos 32 presentes, 27 fecharam questão em favor de uma candidatura própria, mas apenas se Jader for candidato ao governo.

Apenas cinco é que se manifestaram favoráveis à candidatura própria em qualquer hipótese, ou seja, com Jader candidato ou com outro candidato qualquer do PMDB.

Uma resolução, com esse posicionamento dos prefeitos, foi aprovada na reunião e ficou de ser levada ainda hoje à tarde ao conhecimento próprio Jader.

O posicionamento dos prefeitos reforçará a posição do deputado de disputar mesmo o Senado, conforme o Espaço Aberto divulgou no início da manhã de hoje.

Um fator também pesa decisivamente para que o deputado do PMDB não apenas opte por disputar o Senado como se decida pela aliança com Ana Júlia: a subida de Dilma Rousseff nas pesquisas.

“Com a subida de Dilma, cresceu muito a influência de Lula no próprio PMDB. Hoje, o Lula está com tanta força que se dá ao luxo até de fazer exigências ao PMDB. E isso acabou nos atingindo aqui no Pará”, disse há pouco uma fonte ouvida pelo blog.

A fonte confirmou que a tendência natural será mesmo a que já se sabe: PMDB e PT juntos, com Paulo Rocha-Jader para o Senado e um peemedebista como vice na chapa de Ana Julia.

E agora, apostem, dificilmente isso vai mudar.

Pode até mudar.
Mas é difícil.
Post de 

2 Comentários

  1. Anonymous

    27 de maio de 2010 - 18:08 - 18:08
    Reply

    Política não passa disso: BRIGA, BRIGA… E NO FINAL SÃO AMIGOS. A verdade é que muitas vezes e quase sempre prevalece o interesse de cada um. Até quando vamos ter que suportar esse enfadonho sistema político brasileiro?

  2. Anonymous

    27 de maio de 2010 - 15:35 - 15:35
    Reply

    DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO
    Fantasma ficava só no restaurante; JVC demitiu na sexta-feira Wanda Avelino

    Nomeada em 2007, Wanda perdeu anteontem cargo no Senado.

    O senador João Vicente Claudino (PTB-PI) demitiu ontem a servidora Wanda de França Avelino. A exoneração foi publicada no Diário Oficial da União. Na sexta-feira passada, o jornal o Estadão revelou que a funcionária era fantasma. Em vez de cumprir expediente no escritório do senador no Piauí, ela trabalhava no seu próprio restaurante num shopping de Teresina.

    Ela fazia parte do grupo de 88 pessoas que não deram sinal de vida no recadastramento "caça-fantasma" do Senado.

    Wanda foi nomeada em abril de 2007 como assistente parlamentar com o salário de R$ 1,7 mil. Foi ela própria quem atendeu ao telefonema da reportagem do Estado no último dia 29 no restaurante, conhecido pela comida italiana.

    Questionada sobre o recadastramento do Senado, ela informou que "perdeu a vez de fazer". Também afirmou que fazia "pesquisas políticas'''' para o senador e reagiu com irritação ao ser informada de que era desconhecida no escritório de João Claudino. "Isso é problema deles", afirmou. Logo depois, negou-se a dar mais detalhes de sua atividade como servidora de confiança do Senado. "Não tenho que dar mais informações", disse.

    Outro caso descoberto pelo Estado foi o do capixaba Lincoln Pereira Uzai Silva, de 22 anos, que está lotado na liderança do PR há quatro anos. Ele ganhou o emprego do senador Magno Malta (PR-ES), mas ninguém o conhece em Brasília nem no escritório político em Vitória.

    Além de funcionários que recebem sem cumprir expediente, há servidores do Senado que trabalham como cabos eleitorais dos parlamentares. Um exemplo é Paula Raphaele Gomes Genuíno, que mora em Rurópolis, no Pará, a 1,6 mil quilômetros de Belém. Em maio de 2008, ela foi nomeada como assistente parlamentar do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) com salário de R$ 952. No escritório do parlamentar em Belém, ninguém a conhece. Por telefone, a servidora do Senado falou da sua função: "Ele não é muito conhecido aqui na região. Eu distribuo os jornais, os papéis que eles mandam."

    Fonte: Com informações do Estadão

    O que é incrível Hiroshi, é que Paula Rafaele Genuíno é filha do ex-prefeito de Rurópolis, José Paulo Genuíno, que pelo que eu saiba nunca trabalhou em Brasília, sequer saiu da cidade, residiu inclusive no município de Itaituba-PA e é mais uma fantasma que apenas recebe, o suado dinheiro pago pelo povo.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *