Hiroshi Bogéa On line

Prefeitura de Itupiranga esclarece sobre morte de recém nascido

O caso da recém nascida que nasceu no piso do banheiro do Hospital Materno Infantil, vindo a óbito, ganha nova versão, depois que a equipe técnica do hospital de Marabá  responsabilizou a falta de atendimento adequado por parte do médico do Hospital Materno Infantil de Itupiranga, onde a mãe da criança foi internada inicialmente.

Nota da Secretaria de Saúde de Itupiranga contesta a versão do médico marabaense, enviando laudo técnico  assinado pelo médico Gildásio Chaves Ribeiro, comprovando exames realizados na mãe do bebê.

Ao mesmo tempo, o blogueiro recebeu depoimento de Gardênia, relatando como foram os atendimentos, tanto em Marabá quanto em Itupiranga.

Abaixo, a nota da prefeitura de Itupiranga e cópia do laudo da ultrassonografia obstétrica realizada na paciente.

Em seguida o link que levará o leitor ao depoimento de Gardênia.

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO 

 

A Prefeitura Municipal de Itupiranga, através da Secretaria Municipal de Saúde, diante das ultimas informações veiculadas em mídia e redes sociais, esclarece que a paciente GARDENIA DE CASTRO LIMA foi acompanhada em toda sua gestação por profissionais da área da saúde do Município de Itupiranga, sem qualquer tipo de complicação.

Em Outubro de 2018 foram realizados exames laboratoriais, dentre eles Sífilis e HIV, todos com resultado NEGATIVO. O último ultrassom foi realizado em 10.01.2019, ou seja, 05 dias antes dos fatos, sem que nada de anormal fosse detectado. Em 15.01 a paciente foi recebida no Hospital Municipal de Itupiranga e diante de possíveis complicações no parto, foi encaminhada de ambulância e em caráter de urgência ao Hospital Materno de Marabá.

Diante da complexidade e urgência foi decidido que o procedimento de regulação seria providenciado posteriormente, seguindo a paciente em companhia de profissional da saúde com prontuário e documento Médico de Encaminhamento onde indicava o quadro clínico e o procedimento necessitado.

Segundo a própria paciente, foi recebida naquele hospital por volta de aproximadamente 01h00, permanecendo nos corredores com fortes dores e sem atendimento até as 04:00h, quando foi ao banheiro onde a criança veio a nascer e cair ao chão, só então foi atendida pela equipe médica.

Tais fatos foram inclusive declarados pela própria paciente em áudio que circula através dos meios de comunicação.

A Prefeitura de Marabá tenta transferir a culpa e responsabilidade para o Município de Itupiranga alegando perda de liquido há 3 semanas, entretanto, não cabe tal alegação se a paciente realizou ultrassom em 10.01.2019, onde atestou Líquido Amniótico NORMAL, bem como total NORMALIDADE do Cordão Umbilical e do Feto.

Os fatos devem ser apurados com imparcialidade, inclusive na apuração da real causa morte da criança. A Secretária de Saúde já determinou a instauração de procedimento administrativo para apuração dos fatos, com comunicação ao Ministério Público e Conselhos de Classe. Serão prestadas todas as informações aos órgãos competentes, inclusive disponibilização de documentos para comprovação dos fatos. Disponibilizamos nesta oportunidade Laudo de Ultrasson realizado em 10.01.2019.

 

Agora, clik  no link abaixo para ouvir Gardênia.

Post de 

2 Comentários

  1. Roberto

    19 de janeiro de 2019 - 08:47 - 8:47
    Reply

    Cadê as imagens do exame? Só tem o laudo?

    • Hiroshi Bogea

      19 de janeiro de 2019 - 12:48 - 12:48
      Reply

      na verdade, ROBERTO, o blog recebeu o laudo, na redação do texto é que houve o equívoco, já vamos corrigir no post. Obrigado;

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *