Hiroshi Bogéa On line

Ponte União: não falta mais nada, somente a inauguração, marcada para esta sexta-feira, 31

O tráfego de veículos pela Alça Viária será reaberto amanhã.

Não falta mais nada.

Apenas a oficialização da nova ponte edificada no Rio Moju.

Hoje pela manhã , o secretário e Obras do Estado Pádua Andrade acompanhou  o teste de carga realizado com 15 caminhões, cada um pesando 30 toneladas.

Houve o ensaio estático, com os caminhões parados.

E o ensaio dinâmico, com os caminhões em movimento.

Houve, portanto, a certificação estrutural da ponte, disse o titular da Secretaria de Estado de Transportes (Setran), Pádua Andrade, ao lado do presidente do CREA-Pará, Renato Milhomem, que também supervisionou a obra:

 

“A ponte está certificada. Concluímos agora os testes estático e dinâmico, com toda a aceleração e frenagem, com carga máxima, para ver como se comportava estruturalmente. A gente fica muito feliz. Na realidade, a gente já tinha todas as certezas, porque acompanhamos toda a obra”, afirmou o titular da Setran.

“A ponte está linda, está segura. E está liberado o trânsito a partir de amanhã,  quando o governador descerrar a faixa. Estará liberada para o tráfego de carros de passeio, caminhões com cargas. A sua fluidez será liberada normalmente”, avaliou o secretário Pádua.

Abaixo vídeo do teste de carga:

 

 

Certificação de qualidade

Projetada para suportar carga máxima de mil toneladas na base de sua pista de rolamento a ponte União (antiga ponte Rio Moju) teve excelente desempenho durante o teste de carga que foi submetida desde as 3 horas da madrugada desta quinta-feira, 30, até às 11 horas da manhã.

A operação executada pelo doutor em ponte pela Universidade de São Paulo (USP), o engenheiro civil paraense Pedro Almeida teve a supervisão do presidente do Crea-Pará Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Pará, Renato Milhomem, que acompanhou de perto e fez várias vistorias as obras de construção da ponte, desde o dia que a ponte foi derrubada por uma embarcação clandestina que navega no local, em 6 de abril do ano passado.

“Hoje se faz história, é uma quebra de paradigmas para a engenharia paraense e brasileira, em relação ao tempo, a celeridade de uma obra e em termos de segurança. Estamos finalizando a obra sem nenhum acidente de trabalho e isso é extraordinário. Obra de tamanha complexidade em relação à logística que foi colocada para a obra não parar durante 24 horas ao dia, também em relação a soluções de engenharia excepcionais que hoje se reafirmam com os testes de cargas executados com total êxito por uma das maiores autoridades em ponte estaida do Brasil, o engenheiro Pedro Almeida”, destacou o presidente do Crea.

Foram feitos vários ensaios com 15 caminhões em situações de repouso ou de frenagem para fazer o monitoramento do comportamento da estrutura, que foi construída durante cerca de sete meses e, será entregue à população de Belém nesta sexta-feira, 31, às 10 horas, pelo governador Helder Barbalho.

A construção da ponte em tempo recorde devolverá a população do Pará um dos principais acessos terrestres da Região Metropolitana de Belém (RMB) com o Sudeste e Sul do Pará.

Para garantir a robustez e segurança da obra, na ponte na base de sustentação da ponte foram utilizadas 45 estacas fincadas em média a mais de 50 metros de profundidade, algumas chegaram a 70 metros de profundidade e ainda 40 estais-com cordoalhas- conjunto de cordas de alta performance.

O mastro que sustenta o sistema da ponte foi construído com dois pilares de 3,5m por 5,5m, que atingiram a cota de 95 metros de altura, construídos sobre um bloco de concreto armado com 16m de largura e 28m de comprimento, escalonado numa altura de 10,80m.

Ao todo a obra construiu 268 metros que se juntaram aos outros 600 metros remanescentes da ponte, totalizando 868 metros.

Toda a ponte está dotada de iluminação com sistema de captação solar distribuídos em 26 postes novos de um lado da pista a cada seis metros de distância um do outro.

A ponte União também recebeu nova sinalização náutica no tabuleiro a 30 metros de altura.

Além da qualidade da obra, a ponte está protegida em seus pilares ao longo do canal de navegação por defensas, que foram construídas com um casco de aço anelar, que envolvem os blocos de fundação, alcançando 57 m no diâmetro maior e 36 m no diâmetro menor.

Os segmentos dessas defensas visam impedir o afundamento imediato diante dos impactos de balsas, possibilitando sua reparação em tempo suficiente após um impacto.

“Estamos devolvendo a população do Estado do Pará uma ponte de excelente qualidade testada e certificada, com sistemas de defensas em seus canais de navegação, que agora estão ampliados de 68 metros para 164 metros cada um”, disse Pádua Andrade.

A Setran concluiu o asfaltamento da Ponte União nesta terça-feira (28), assim como a instalação dos três dolfins de proteção dos pilares da ponte, nos dois canais de navegação.

Na quarta-feira (29), a obra de construção de 268 metros da ponte entra na fase de sinalização horizontal e vertical.

A ponte, que foi construída de forma estaiada (com cabos de sustentação) e com dois vãos de navegação de 134 metros de largura cada um, também passará por limpeza fina, para voltar a se integrar ao complexo Alça Viária, beneficiando cerca de um milhão de pessoas que utilizam diariamente as quatro pontes ao longo da Rodovia PA-483, que interligam a Região Metropolitana de Belém e o nordeste paraense às regiões sudeste e sul.

A Ponte União será devolvida à população com sistema de proteção dos pilares compostos por três dolfins, que ficarão nos pilares 6 e 11, e no pilar central, denominado agora de pilar 20.

Os três dolfins chegaram à ponte na última segunda-feira (27), em uma operação de navegação autorizada pela Capitania dos Portos. São estruturas gigantescas, a maior com mais de 70 metros de diâmetro.

A Ponte Rio Moju desabou em abril do ano passado após uma embarcação clandestina bater em um dos pilares. Quase 700 quilos de escombros foram depositados no fundo do rio. A retirada desse material tem sido a operação mais complexa de toda a obra da ponte. Quase 15% desse material ainda estão sendo retirados do fundo do rio.

“Por conta disso, apenas um canal de navegação entre os pilares 6 e 20, o outro canal, próximo aos apoios 20 do lado do pilar 11, estará liberado depois da conclusão da retirada total dos entulhos dentro do prazo de 30 dias”, informou Pádua Andrade.

A Ponte União será inaugurada nesta sexta-feira (31) pelo governador Helder Barbalho. Após a solenidade, estará liberada para o tráfego de veículos. Ponte está certificada e com habite-se, acrescentou o secretário Pádua, da Setran.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *