Hiroshi Bogéa On line

Deputado exige da Vale fim aos saques

 

Deputado federal Wandenkolk Gonçalves (PSDB) coloca a colher na panela.

Comentando a reação das principais lideranças empresariais de Marabá contra medidas discriminatórios da Vale às empresas regionais, o parlamentar paraense bate duro ao dizer que está na hora da mineradora deixar de saquear as riquezas estaduais.

O que diz Wandenkolk:

 

Hiroshi,
Acessando o seu(nosso)Blog,(aliás,leitura obrigatória e prazerosa),deparei-me com a manifestação de indignação e críticas,proferidas por importantes lideranças do setor empresarial de nossa região,direcionadas à companhia Vale.ALELLUIA! Agora,começo a encontrar os parceiros que sempre busquei,para cobrar da VALE a responsabilidade social ou até mesmo,o tratamento igualitário dispensado pela Mega-Empresa,à outras regiões. Chega de discriminação! Basta, do saque sobre o nosso patrimônio! Parabéns Gilberto Leite(volte logo!), Itálo e Tatagiba. A nossa luta continua! ” nem um de nós,é maior do que todos nós juntos!” Abraços.
Dep.Wandenkolk Gonçalves

Post de 

3 Comentários

  1. Italo Ipojucan

    29 de janeiro de 2012 - 11:29 - 11:29
    Reply

    Caro Hiroshi,
    Entendo que endurecer movimentos na defesa dos interesses da comunidade marabaense, entrincheirados e com a faca nos dentes, é de fato uma rotina nos padrões de comportamento de alguns representantes da sociedade local, isso é até histórico.
    O que distingue esse comportamento de outros tantos, é o fato dele não se prender às questões emocionais e ou oportunistas.
    Ele é real, objetivo e com foco estabelecido, prático. Identificar, apontar e buscar alternativas de resolução de problemas e ou demandas sociais. Sempre numa ação que busca envolver as partes direta e indiretamente interessadas.
    Infindas soluções e avanços significativos nesses relacionamentos em defesa da comunidade já foram objeto de contemplação nas ações associadas de atores diversos da comunidade local.
    Infelizmente pouco se divulgou no ”extra muros”, talvez exatamente em virtude dos movimentos buscarem por excelência o resultado, não a exposição festiva do feito.
    Um dos grandes registros nesse sentido, pouco conhecido, foi a construção das condicionantes vinculadas à aprovação dos grandes empreendimentos, um feito histórico.
    Grande vitória foi a transformação do tímido campus da UFPA e UEPA na referência que hoje representam e em continua evolução.
    O avanço dos investimentos na estrutura do IFPA-(Instituto Federal Educação).
    Em curso o movimento que disciplina questões e demandas antigas na relação com grandes empreendedores esta sendo construído, envolve governo estadual e setor produtivo.
    Estabelecer no Pará os centros de decisão, de suprimentos, de contratação da mão de obra local, da oportunidade dos jovens formandos ocuparem espaços nesse mercado. De investimentos públicos em setores vitais para que essa realidade possa se evidenciar, como a construção do Centro Tecnológico, são temas recorrentes e pautados em nossa agenda de reivindicações. São antigas.
    Isso é reflexo que os trabalhos estão apresentando resultados. O que demonstra que o avanço é possível. O objetivo definido, a ação exige movimentos planejados e equilibrados, lógico, dentro foco estabelecido. O resultado, por conseguinte será de realização, nesse jogo prevalece a máxima do ganho-ganha.
    Nesse sentido, o diálogo é sempre o caminho mais sensato. O avanço aqui relatado de forma simplista, foi construído dentro desse conceito.
    Em determinadas ocasiões, é evidente e natural que se registre momentos de tensão, entretanto, sempre o entendimento e o reconhecimento pelas partes, das necessidades e legitimidade das demandas, do que é possível ser feito ou contemplado deve prevalecer e nortear o processo decisório.
    Sem barulho, sem ações festivas mas com responsabilidade e foco.

    Abraço.

  2. Luis Sergio Anders Cavalcante

    25 de janeiro de 2012 - 14:17 - 14:17
    Reply

    Hiro, passei dias fora da blogosfera mas já retornei. Quanto mais pessoas baterem na Vale melhor. É ponto pacífico que a paciencia já está esgotada com a empresa. Mas, há que se saber separar, quem realmente tem interesses em que a região mude – e para melhor – com a devida ajuda da Vale. Que saibamos não nos deixar enganar por falsos profetas. Afinal, estamos em ano de eleições. Rememoremos que foi no governo de FHC e os cardeais emplumados do alto tucanato, que foi urdida/tramada e levada a efeito, a venda da empresa. Na ocasião, Simão Jatene, Almir Gagábriel e demais, caladinhos estiveram e permaneceram até hoje, bem como, em relação à Lei Kandir, que proporcionou grande prejuizo aos cofres paraenses. Muitos dos que serão candidatos a cargos eletivos, o farão com patrocínio financeiro da Vale. Fiquemos atentos. O “jogo” já começõu. Em 25.01.12, Marabá-PA.

  3. Anônimo Filho de Marabá

    24 de janeiro de 2012 - 19:02 - 19:02
    Reply

    Caro Hiroshi,
    Acho,que já ultrapassou todos os nossos limites de tolerância, para com a VALE. É chegada à hora, de uma grande UNIÃO sobre esse tema, tão comum entre nós,que é exatamente a falta de compromissos com Marabá e região,por parte Companhia VALE. Portanto, muito oportuna, a crônica do nosso Parlamentar,quando acusa a VALE, de saqueadora das nossas riquezas minerais.” A UNIÃO DO SIM,PARA DIZER NÃO E NÃO,À VALE”

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *