Hiroshi Bogéa On line

Pará ganha em 2018 cerca de mil leitos a mais em hospitais públicos

Há previsão também de entrega de quatro novos hospitais estaduais que estão em diferentes fases de construção, são eles: os regionais de Itaituba; Abelardo Santos (Icoaraci); Castanhal e o Hospital Materno-infantil de Capanema, que atenderá cerca de 500 gestantes ao mês, inclusive com referência em gravidez de alto risco.

Paralelo a isso, o Hospital Regional do Sudeste do Pará (HRSP), em Marabá, passa por reforma e ampliação para ofertar serviços de hemodiálise, hemodinâmica, e ainda aumentar mais 30 leitos, criar salas multiuso para ensino – incluindo residência médica.

Enquanto issoo Hospital Materno-infantil de Barcarena está nos últimos ajustes e deve ser entregue em breve para a população.

Toda essa ampliação somará a oferta de 954 leitos previstos ainda para este ano.

A estrutura hospitalar em andamento, incluindo requalificação dos municipais e construção dos hospitais regionais soma aproximadamente 900 milhões de investimento do Governo do Estado.

“O investimento somente nestas obras representa 714 milhões. Além disso, serão investidos mais 187 milhões em equipamentos para estas novas unidades implantadas. Poucos estados neste país estão fazendo tanto pela área da saúde quanto o Pará para ofertar serviços à população. Isso é um marco histórico para a rede hospitalar paraense diante do cenário econômico atual que vive o Brasil”, destacou o secretário estadual de Saúde Pública, Vitor Mateus.

Vale ressaltar que a população terá outro ganho significativo com a entrega, no final do mês de maio, do primeiro Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR) do Brasil, que passará a ofertar serviços de assistência médica, odontológica, reabilitação, capacitação, oficinas para produção de próteses às pessoas especiais no Estado.

O Centro inclui atendimento para deficiência visual, auditiva, intelectual e física; Oficina Ortopédica com dispensação, confecção, manutenção, ajustes de ósteses, próteses e meios auxiliares de locomoção, ocular, auditiva.

O complexo de reabilitação está instalado em uma área com mais de 40 mil metros quadrados à beira da baia do Guajará. Assim, a população ribeirinha também será contemplada com o atendimento do CIIR.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *