Hiroshi Bogéa On line

O humanismo médico de Fernando Monteiro

Durante o mês de outubro, que hoje se encerra, ocorreram manifestações de saudação ao Mês do Médico.

Somente AGORA, registro meu sentimento de respeito e admiração por muitos daqueles que estudam e se dedicam a salvar vidas, manter vidas intactas,  ampliar dias de vida.

Não generalizo o sentimento porque, como em outras profissões, há aqueles médicos que não honram  o juramento, e nem fazem questão de se mostrar bons profissionais.

E,  no meio daqueles que podem ser considerados verdadeiros Médicos, registro nome de um: Fernando Monteiro.

Não porque seja meu médico há tempos.

As qualidades de Fernando são medidas no dia a dia.

O cuidado que ele tem com seus pacientes extrapola o padrão.

Fernando comprova, todo dia, seja no seu consultório ou em outros locais de atendimento, honrar seu compromisso com os pacientes e com a Medicina.

Cuidadoso à exaustão ao investigar sintomas de enfermidades, Monteiro jamais minimiza a importância das ciências humanas em sua relação com o doente.

Figura extraordinária, calma, atenciosa, um médico que cumpre honrosamente a profissão.

O sistema mercantilizado jamais fez parte da sua estrutura profissional.

Principalmente, porque o exemplar desempenho da medicina pelas mãos de Fernando Monteiro não abstém de priorizar a ética e valorizar a humanização do atendimento, ainda que, muitas vezes, o ambiente apresente condições adversas e o sistema seja precário.

Em tempos de tecnologias cada vez mais acessíveis e em maior número, o humanismo do Médico (M maiúsculo, sim!) Fernando Monteiro ressalta  como imprescindível às interações sociais.

A medicina que ele pratica e oferece à sua comunidade é recheada de  humildade, prudência, diligência, e  perícia.

Pode-se dizer, sem hesitação, que Fernando é um especialista em cuidado com a vida e necessariamente um humanista.

A ele, votos para que tenha vida longa – e não nos dê mais o susto de meses passados, quando, numa viagem de rotina a Belém, teve que ser levado às pressas à uma sala de cirurgia coronária, retornando, depois,  a Marabá. recuperado, para felicidade de seus amigos e admiradores, como eu.

No Mês dos Médicos, Salve Doutor Fernando Monteiro!

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *