Hiroshi Bogéa On line

O gato comeu

Durante doze longos anos, o famoso Pedro Abílio – ex-secretário de Transportes que nunca percorreu uma estrada inteira do Sul do Pará – mandou nos recursos da Setrans, que não foram poucos a passar pelas suas mãos. Doze doídos anos em que as rodovias Pa-150 e 275 se diluíram com o tempo. Só não desapareceram porque isso já seria o maior absurdo de uma geração de desgovernos. Mas chegou perto.
Hoje, 30, o governo do PT completa dez meses. Valdir Ganzer, à frente da secretaria, recuperou aproximadamente 100 km da estrada.
A Pa-275, entre Eldorado e Parauapebas, está com novo asfalto nas partes onde imensas crateras matavam gentes e davam prejuízos a motoristas.
Simples: o dinheiro está sendo aplicado corretamente pela atual administração.
Na Era Abílio, o gato, esfomeado, passava sempre pela secretaria.
Que digam os pequenos empreiteiros construtores do Sul do Pará.

Post de 

10 Comentários

  1. Anonymous

    5 de novembro de 2007 - 18:01 - 18:01
    Reply

    Não varreram para debaixo do tapete mas também não fizeram nada porque todos os 40 ladrões continuam soltos dando as cartas no PT no des-governo do molusco e até fazendo planejamentos estratégicos para a rereeleição do Alibabá. Isso é só papo furado.Não estamos num país sério faça-me o favor e deixe de hiprocrisia anônimo das 1:32PM. Isso é uma VERGONHA!!

  2. Anonymous

    5 de novembro de 2007 - 16:32 - 16:32
    Reply

    na verdade realmente, quanto aos 40 Alis, bom é uma vergonha, mas nós não admitimos, ao contrario dos Tucanos que sempre varrerão para debaixo do tapete.

  3. Hiroshi Bogéa

    5 de novembro de 2007 - 11:37 - 11:37
    Reply

    Querido Orly:

    Você captou, sim, corretamente, a mensagem do post, cujo conteúdo reflete tão-somente o que está ocorrendo atualmente em relacão ao que foi feito durante as gestões de Almir Gabriel e Simão Jatene.

    1- O saldo de 12 anos foi a intrafegabilidade, sim, da rodovia. Só para se ter idéia, uma viagem de Marabá a Belem, antes feita em até cinco horas, passou a durar oito horas, quando Jatene deixou o governo;
    2- Os investimentos feitos por Almir Gabriel na “recuperação” da Pa-150 não se justificaram. Em poucos meses todo o asfalto colocado nas partes danificadas ficou pior do que antes, prova evidente de que não trabalharam com seriedade na aplicação dos recursos;
    3- Em doze anos, tornou-se marca registrada os “serviços de emergência” de tapa-buracos realizados por Pedro Abílio (era sempre ele à frente, como Adjunto ou Secretário) vergonhosamente transformados em… nada. Caía a primeira chuva, tudo se ‘esfarelava’.
    4- A maioria das pontes de concreto citadas por você como obra de Almir foi um dos maiores micos pagos pelo contribuinte. Principalmente no trecho Marabá- Goianésia, o que se viu foi a aplicaçào de camadas de concreto sobre a estrutura metálica antiga das pontes existentes. Resultado: a péssima qualidade dos serviços era tão evidente que as construtoras tiveram de construir “lombadas” nas cabeças de ponte para conter a velocidade de veículos e, com isso, dar mais vida útil às gambiarras -, numa das maiores bandalheiras praticadas contra a paciência e a própria segurança de motoristas. Aa partir dessas lombadas, começou a proliferar a indústria dos assaltos na rodovia;
    5- Quando o post cita a qualidade dos serviços realizados agora em 100 km de rodovia recuperada pelo PT, é porque a realidade é essa mesma. Aprovada por quem dirige diariamente pela Pa-150. Em relaçào ao que foi feito em doze anos, querido Orly, há uma distância imensa.
    6- Por fim, peço ao querido e competente comentarista, sempre valorizando o blog com suas intervenções de alto nível, que não me considere “um pouco de mais para um lado, e um muito de menos para o outro”. Minha empresa não tem nenhum contrato de prestaçào de serviços com o atual governo como nunca teve durante os doze anos de governos tucanos. E niguém melhor do que você para avalizar isso. O blog não pode é esconder os fatos como eles ocorrem em nossa sempre sofrida região.

    Meu abraço fraterno e respeitoso.

  4. Anonymous

    4 de novembro de 2007 - 23:24 - 23:24
    Reply

    Quando o Almir Gabriel assumiu o governo em 1995, a PA-150 estava toda esburacada e as pontes, quase todas, quebradas. Tanto que eram conhecidas como pontes assassinas, tantas foram as vítimas causadas pelos acidentes, que aconteciam quase que diariamente. As pontes foram trocadas: de madeira ou ferro velho, vindo numa transação não muito bem explicada pelo governo da época, por concreto. E boa parte da rodovia ganhou asfalto de qualidade. E depois ainda veio a Alça Viária, fazendo a integração com a capital, Belém, e melhorando sobremaneira o transporte de quem fazia o percurso Sul do Pará.
    Sei que alguns trechos o serviço não foi bem feito e em outros não se fez a manuntenção que se devia. Mas daí dizer que praticamente no governo tucano, por 12 anos, se deixou a PA-150 intrafegável e que, agora, em 10 meses o governo do PT fez 100 KM, acho um pouco de mais para um lado, e um muito de menos para o outro.
    Mas como sei que você é uma pessoa criteriosa e que vive bem mais – e bote mais nisso, do que eu a região, quem sabe eu não tenha captado direito a sua mensagem?
    Um forte abraço,

    Orly Bezerra

  5. Hiroshi Bogéa

    30 de outubro de 2007 - 23:49 - 23:49
    Reply

    8:36 PM, eu não disse que o Abilio foi secretário doze anos. Disse que ele mandou na Setrans no período tucano. Primeiro como Adjunto e depois Secretário. Como adjunto, ele mandava tanto ou mais que o titular. E foi exatamente na curta gestão de Haroldo Bezerra que ele perdeu um pouco do poder, fato que não agradou ao poderoso José Augusto Afonso, superior dos dois, que tinha em Abílio seu preposto natural. Essa perda de poder do P.A. encurtou a permanencia de HB na Setrans.
    Discordo de você quanto a expressão “famigerado”. Tenho Haroldo Bezerra na conta de um dos raros homens sérios da política paraense. E um democrata que sempre abriu espaço para a manifestaçào das entidades populares. Lamento, profundamente, Haroldo ter abandonado a carreira política.
    Em todo caso, agradeço, honrado, seu comentário.
    Abraço.

  6. Anonymous

    30 de outubro de 2007 - 23:36 - 23:36
    Reply

    Hiroshi, só p’ra fazer um pequeno reparo, o Abilio não foi secretário de transporte durante todos os 12 anos dos tucanos, foram vários secretários sempre com as conversas de pé de ouvido, até o famigerado haroldo bezerra comandou a setran em um dos governos do Almir Gabriel.

  7. Anonymous

    30 de outubro de 2007 - 19:09 - 19:09
    Reply

    QUE MORAL TEM ESSES PETISTAS PRA FALAR DE CORRUPTOS? SE COLOCAR OS CACHORROS EM CIMA AQUI NO PARÁ MUITA COISA VEM À TONA NESSES 10 MESES.NA SETRAN PRINCIPALMENTE.

  8. Anonymous

    30 de outubro de 2007 - 18:07 - 18:07
    Reply

    Essa figura está riquissíma. Se fosse um país sério estaria preso junto com todos os ladrões do PT os quarenta. Lembram?O Zé Dirceu, Paulo Rocha, Silvinho Pereira,…somando são 40 ladrões.Coincidência esse número vcs não acham.Lembra uma historinha.São todos farinha do mesmo saco!!

  9. Anonymous

    30 de outubro de 2007 - 16:04 - 16:04
    Reply

    As setran no Sul do Estado era um escritório de negócios particulares durante o governo tucano.

  10. Anonymous

    30 de outubro de 2007 - 14:02 - 14:02
    Reply

    São famosas as histórias aqui em Redençào e Xinguara das vindas da turma do bílio “conversar” baixinho com os pequeos empreiteiros da região. Todo mundo sabe.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *