Hiroshi Bogéa On line

MP de olho na dengue e no Lago de Tucuruí

 

 

Em duas frentes, membros do Ministério Público Estadual tentam mediar conflitos antigos e atuais.

O MP de Marabá, através da promotora de Meio Ambiente, Josélia de Barros, convocou servidores da Secretaria de Saúde do município para cobrar ações de combate a dengue, cujos altos índices da enfermidade transformaram o município num dos que mais registra casos da endemia.

Em outro plano, mais precisamente em Tucuruí, promotores daquele município e de Marabá, Goianésia, Novo Repartimento e Itupiranga anotaram reclamações de famílias atingidas pelo represamento do rio Tocantins.

Situações vexatórias que se arrastam desde o fechamento da barragem, num longo e inexplicável um ciclo de quase trinta anos, sem que as autoridades resolvam questões simples e complexas – envolvendo milhares de pessoas pobres, sofridas e usadas.

Na reunião de Tucuruí, o MP organizou uma agenda para discutir sua aplicação junto a Eletronorte e aos órgãos ambientais.

Post de 

1 Comentário

  1. Anônimo

    24 de janeiro de 2012 - 19:34 - 19:34
    Reply

    Hiroshi,
    Talvez, seja mais simples do que pensa o MP, basta fazer uma devassa em todas as secretarias de saúde, nesses municipios e nós veremos o resultado no futuro, com a redução da dengue e outras endémias,porque iram descobrir os desvios de verbas publicas,e colocar na cadeia todos os corruptos, com isso o nosso dinheiro,quem sabe séria usado para sua destinação final,atendendo as comunidades urbanas e ribeirinhas(lago de Tucurui). Portanto, sugerimos que a Dra. Josélia de Barros, crie um movimento denominado o mutirão da verba para saúde,com a participação dos MPF,MPE e POLICIA FEDERAL,para fiscalizarem a aplicação desses recursos.Pois, se depender das câmaras de Vereadores,nada vai acontecer, todos, ou quase todos os Vereadores, estão envolvidos com os desvios de recursos publicos, na maioria dos nossos municipios. Vamos tomar atitudes contra esses bandidos!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *