Hiroshi Bogéa On line

Edivan: Polícia aprofunda investigação

 

 

Em Marabá, muita comoção acompanhou o velório de Edivan Alves Pereira, coordenador do polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB) e professor da rede estadual de ensino.

O corpo foi encontrado na última terça-feira (26), com perfurações pelo corpo. A polícia alega que, não descansará as investigações sobre o caso. Porém, ainda não se tem pistas dos assassinos. O que se sabe é que sua residência estava em estado de muita desordem e constando desaparecidos, vários objetos da mesma.

Também, informa a polícia que o carro de Edivan, embora encontrado a uma distância de aproximadamente dez quilômetros, estava com a frente completamente destruída, o que será objeto de perícia.

O luto estendeu-se a toda cidade, lamentando um desfecho tão atroz para um educador querido por muitos.

Post de 

13 Comentários

  1. Jorge Falk

    11 de abril de 2013 - 12:42 - 12:42
    Reply

    Um cara que sempre consegui Tudo que Quiz com seu esforço e Luta,
    Nos Vivemos em um mundo que as Pessoas Não Tão nem ai para Vida !!
    Queremos Justiça pois Só Deus te Direito de dar e Tirar Uma Vida,
    Que Deus conforte os corações dos Familiares.

  2. Dijé

    5 de abril de 2013 - 02:18 - 2:18
    Reply

    Saibam que ao subtrair a vida de Edivan, o impacto, não foi apenas em seus familiares, parentes, amigos,vizinhos,etc.,mas em todas as pessoas que ele poderia beneficiar através dos seus conselhos, incentivo, amizade, presença de espírito e aquele sorriso sincero e marcante.
    Era bom ficar perto dele. Era bom ouví-lo.Tudo o que saía da sua boca era bom.
    Ele era grande. Porque os seus planos eram abrangentes e inclusivos.
    Quem teve o privilégio de conhecê-lo sabe disso.
    Sentimos muito a sua a falta.
    Agradecemos todas as manifestações de carinho e amizade a ele dispensadas e o apoio aos familiares neste momento tão difícil.
    Que Jesus o acolha em sua glória!

  3. Gilsim Silva

    2 de abril de 2013 - 20:19 - 20:19
    Reply

    Caro Anônimo, realmente houve sim um erro quando expressei perca na verdade é PERDA.(Já que Perca e um Peixe)

    Caro Jorge Antony F. Siqueira, vc também foi importante pro momento e expressão correta é IRREPARAVEL e não Inreparavel.(Houve sim um erro ortográfico)

    Reitero meu sentimento pela PERDA IRREPARAVEL do Prof. Edivan.
    Minhas desculpas a vc. Anônimo e ao Jorge. A Família do Prof. Edivan, meus sinceros sentimentos. Abs.

  4. Jorge Antony F. Siqueira

    30 de março de 2013 - 20:04 - 20:04
    Reply

    Realmente amigos, a concordancia verbal do Ilustre Vereador Gilsim vai mal. A “perca” deveria ser perda, e “inreparavel” irreparavel. Caro verador, fica a dica. Quando da elaboração de requerimentos/ofícios/memorandos etc.. faça a devida correção antes de assinar/publicar. 30.03.13, Mba.-PA.

  5. Anonimo

    30 de março de 2013 - 09:02 - 9:02
    Reply

    e Tambem a palavra “perca” do verbo perder, em que tempo se conjuga este verbo ” VEREDAOR”, onde está vc OTTO PIOVESAN que não orienta seu vereador.

  6. anonimo

    29 de março de 2013 - 12:12 - 12:12
    Reply

    Gilsim me explica o que significa inreparavel ?

  7. GIlsim Silva

    28 de março de 2013 - 20:22 - 20:22
    Reply

    Meus sentimentos a todos Familiares do Prof. Edivan e a comunidade de Educadores de Marabá pela perca inreparavel . Que se faça Justiça !

  8. Samuel Costa

    28 de março de 2013 - 14:41 - 14:41
    Reply

    A Criminalidade,assola marabá,e o desgoverno do jatene,nada faz.numaverdadeira omissão.

  9. junior (irmao de edivan)

    28 de março de 2013 - 13:40 - 13:40
    Reply

    edivan era uma pessoa do bem, uma pessoa maravilhosa pra todos, estamos inconformados com tanta brutalidade.
    a famiia, os amigos e o municipio de maraba perdeu mt com a morte de edivan.
    edivan tem a historia limpa, uma carreira brilhante, a familia sempre teve orgulho e sempre teremos orgulho de vc meu irmao,,, q DEUS a tenha.

  10. Plinio Pinheiro Neto

    28 de março de 2013 - 12:04 - 12:04
    Reply

    Caro Hiroshi.

    Lamentável a perda da vida deste jovem idealista e estudioso, no entanto, diariamente, fatos identicos ocorrem sem chegarem à grande imprensa, fruto da condescendencia do poder público para com os transgressores da Lei, pois, quando quem não tem terra, pode tomar a terra de quem a tem; os sem-teto podem tomar casas e terrenos urbanos e até prédios público,sob as bençãos do Executivo e às vezes do Judiciário, é lógico que o raciocínio dos sem-dinheiro e dos sem bens de consumo, é no sentido de que a eles também é permitido tomá-los de quem os possua.Marabá recebe semanalmente um leva de pessoas sem qualificação profissional e muitas vezes sem documentos de identiificação, trazidos pela ferrovia, sendo urgente e indispensável que o Poder Público Municipal estabeleça convenio com a Vale, com a Policia Federal e com a Policia Civil, para implantar um posto de triagem na estação, pois inúmeros dos que aqui chegam são procurados e constam da internet, sendo fácil identificá-los e devolvê-los à origem para cumprimento de suas penas, evitando que se ponham a delinquir em Marabá.Marabá, só tem quatro asídas e se criando postos policiais na saida para São João do Araguaia (no Taurizinho), para a Belém-Brasília (no Flexeiras), para Itupiranga (no Igarapé Vermelho) e para Belém (no Km 25, após Morada Nova), em qualquer emergencia a cidade estará bloqueada facilitando a ação policial. Só com atitudes enérgicas e iniciativas coerentes se conseguirá aos poucos reconduzir Marabá à paz que almejamos.

  11. Antonio Carlos Pereira Santos

    28 de março de 2013 - 09:51 - 9:51
    Reply

    Sr. Hiroshi, além do seu blog, lí tambem no CT materia acerca da morte do Prof. Edivan. Percebe-se, de acordo tambem com o próprio irmão do morto, que ele gostava de adquirir eletro-eletrônicos de lançamentos, assim como o veículo que tinha, um Renault Duster de + ou – RS 70.000,00 demonstrando bom gosto . Bandidos sempre estão alertas. Em 28.03.13, MBA.-pa.

  12. Antonio Carlos Pereira Santos

    28 de março de 2013 - 09:38 - 9:38
    Reply

    Sr. Hiroshi, além do seu blog lí tambem no Correio do Tocantins materia acerca do acontecido com o Prof. Edivan. Antecipo que o que segue não tem por fim depreciar, muito menos desmerecer quem é vizinho ou mora naquele bairro do extinto. Extraiu-se do que foi citado pelo próprio irmão, que Edivan gostava tambem de possuir eletroeletrônicos de lançamentos(máquinas fotográficas, tablets etc…) além do veículo, um Renault Duster de valôr acima de

  13. Ana Rosa

    28 de março de 2013 - 09:33 - 9:33
    Reply

    Edivan, meu amigo tão querido. Sentirei sua falta por todos os dias de minha vida. Que Deus te receba em seus braços e te dê o conforto devido. Te amo!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *