Hiroshi Bogéa On line

Juíza indefere candidatura de Darci

O pedido de registro de candidaturas majoritárias ajuizadas pela Coligação “Parauapebas no Rumo Certo”, que tem à frente o prefeito Darci Lermen (PT) foi indeferido pela juíza Eline Salgado, da 75ª Zona Eleitoral de Parauapebas. Juízo seguiu mesma posição do Ministério Público que se manifestou pelo indeferimento do pedido, alegando que a coligação não observou o prazo estabelecido no Art. 8º, da Resolução 22.717-2008.

A juíza relata que o “Art. 8º, da Resolução 22.717-2008, dispõe que “as Convenções destinadas a deliberar sobre a escolha de candidatos a e formação de coligações no período de 10 a 30 de junho de 2008, obedecidas as normas estabelecidas no estatuto partidário”.
A ata da convenção da Coligação “Parauapebas no Rumo Certo” é datada do dia 5 de julho de 2008.

Por enquanto, Darci não é mais candidato. E a desobediência de prazos eleitorais costuma ser fatal nos tribunais.

A confusão está formada.

Post de 

13 Comentários

  1. William Bayerl

    4 de agosto de 2008 - 11:59 - 11:59
    Reply

    Darci já demonstrou ser ruim de acordo, qdo demitiu Fenelon e Jussara e extinguiu a Secretaria de Urbanismo do PDT.

    Demonstrou ser ruim de governo ao passar 3 anos e meio para poder dar um prego na barra de sabão.

    Demonstrou ser ruim de política qdo perdeu a vaga de candidato à prefeito para o vereador Wanterlor Bandeira, numa disputa interna do partido.

    E para fechar com chave de ouro, demonstrou saber nada de Lei e de contratação de assessores, perdendo a vaga de candidato, tropeçando no próprio cadarço.

  2. Bia

    2 de agosto de 2008 - 01:56 - 1:56
    Reply

    Boa noite, Hiroshi,

    Algum desgaste? Você é muito gentil…rsrsrs…Fui “persona non grata” ali por anos. Fama que mestre Faisal sempre fez questão de me garantir por lá!

    Lembro de já ter exposto aqui meus motivos. Eles eram sinceros. E corretos,naquele momento.

    Um abração.

  3. Anonymous

    1 de agosto de 2008 - 19:46 - 19:46
    Reply

    anônimo das 10:25 AM, lembro sim, sei muito bem quem é; mas? pode ele como procurador geral ser advogado da coligação? bem que não pudesse, assim o darci não estaria com esse abacaxi prá descascar.
    Obrigado pela informação.
    Mas lá do Pebas só vem tranquera pro Darci…

  4. Hiroshi Bogéa

    1 de agosto de 2008 - 16:51 - 16:51
    Reply

    Bia, não assisti a vaia que lhe dedicaram, mas acompanhei tua posição firme contrária à divisão do município. Fostes uma das poucas pessoas a se manifestar publicamente contrária à emancipação do Pebas. Acho até que isso te custou algum desgaste com a populaçào daquela área.
    Abração querida.

  5. Hiroshi Bogéa

    1 de agosto de 2008 - 16:41 - 16:41
    Reply

    Deputado, já tinha seguido a orientaçào do Juvencio, lendo atentamente a declaração de Renda da Valéria. Me dou por satisfeito, encerrando o caso. Agradeço sua atenção.
    Abs

  6. Anonymous

    1 de agosto de 2008 - 13:25 - 13:25
    Reply

    Anônimo 8:08 AM, a burrice é do “famoso” Hernandes Margalho (lembra dele?)

  7. José Lopes

    1 de agosto de 2008 - 12:37 - 12:37
    Reply

    Hernandes Margalho,que sabe-se lá por quais motivos, é mantido na condução jurídica da candidatura Darci, tem cometido uma sucessão inacreditável de erros.Este,o mais recente,pode custar a própria candidatura.E ninguém se rebela,o PT mudo e calado,caminha,bovinamente resignado,para o brejo.
    O desânimo é evidente.Por sorte da coligação da situação,o grupo de oposição,capitaneado pela Deputada Bel Mesquita,é igualmente incompetente na condução da campanha. Pelo jeito, vai terminar zero a zero.No meio do fogo cruzado,uma população pobre de um municipio rico, que,em 20 anos de existência,tem sido vítima de politicos desonestos,administradores incompetentes,toda uma horda de saqueadores,que fazem de uma das cidades com maior potencial econômico de toda a região norte,uma cidade sem rumo. Que pena!

  8. Bia

    1 de agosto de 2008 - 12:22 - 12:22
    Reply

    Bom dia, Hiroshi:

    confusão boa essa!

    Bem que eu fui contrária, há vinte anos, à divisão do município…rsrsrs…onde levei minha sonoríssima e única vaia pública!

    Abração.

  9. Anonymous

    1 de agosto de 2008 - 11:08 - 11:08
    Reply

    flavio sacramento, quem fez o pedido? foi a própria juíza? agiu ela de moto-próprio? A pedido da Bel ou do MP? Cumé que foi isso sumano? Isso é um atentado!! Denuncie!
    agora essa da ata do Darci é de uma burrice sem limites? Que será seu assessor jurídico que sequer orientou para trocar uma letrinha, um numerozinho?
    égua que burrice!

  10. Paulo Borges

    1 de agosto de 2008 - 03:54 - 3:54
    Reply

    Sobre o que diz Fabio Sacramento, lembrei de uma interpretação de Pedro Lenza no ESQUEMATIZANDO sobre isonomia que, deslocada daquele sentido, fica muito hilário aqui: “todos são iguais na medida de sua desigualdade” (alguma coisa assim, não estou com o livro aqui, lá ele falava sobre as diferenças homem e mulher, parece-me ). Bem, pois é Sacramento todos são iguais na medida de sua $$desigualdade$$. [To morrendo de rir aqui]

    Já o Darci Lermen, largou tarde demais igual o Barrichello. Vai ficar parece os piratas do comercial de cerveja: “Onde está o ouro?” ai o partido que pega essa bolada [Prefeitura] responde: – Esse ouro é nosso, é do “Pará”!
    Perceba as aspas no nome do estado.

    Fico refletindo o que falaria a Excelentíssima Senhora Governadora para o seu colega de partido. (Usei o pronome de tratamento correto?)

    Lembrando da governadora, recordei de um projeto de conectividade de alguns órgãos no estado do Pará. Não sei se seria StarOne, Wimax, Fibra… só sei que tinha um para interligar blábláblá dos órgão. Lembrei agora dele. Alguém sabe alguma coisa sobre ele?

    Como sempre “show de bola”.

  11. Anonymous

    1 de agosto de 2008 - 03:50 - 3:50
    Reply

    anônimo; com essa do erro primário da coligação parauapebas no rumo,(mas nas mãos errada) do não cumprimento do prazo estabelecido pelo TSE. E por essa razão Darci perde o direito da disputa de 05 de Outubro, pra mim não fica nenhuma dúvida de que eles são desorganizados. um abraço.

  12. Anonymous

    1 de agosto de 2008 - 00:57 - 0:57
    Reply

    Caro Hiroshi.
    No Quinta, o Juvêncio mostrou como entrar no site do TSE para ver a declaração de bens da Valéria da eleição de 2006. Está tudo lá, registrado.
    Venho aqui só pra dar uma satisfação e mais um esclarecimento pra você e seus leitores.
    Um abraço e sucesso.
    vic

  13. Anonymous

    31 de julho de 2008 - 20:03 - 20:03
    Reply

    Caro Hiroshi,
    Na última edição do jornal Correio do Pará, veiculamos como matéria de capa a notícia que a candidata a prefeita do município de Parauapebas Isabel Mesquita, teria tido sua candidatura impugnada. A informação que publicamos foi totalmente colhida no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
    Por conta da matéria, a Juíza da 75ª Zona Eleitoral de Parauapebas, Eline Salgado Vieira, através de uma mandado judicial, ordenou de imediato o recolhimento de todos os jornais que haviam sido distribuídos e proibindo, sob pena de multa, a distribuição dos jornais na cidade. Entretanto, a Juíza não deu nenhuma justificativa para tal ato. O jornal Correio do Pará por entender que decisões judiciais devem ser cumpridas, fez exatamente o que foi pedido pela Juiza Eline. O que nos surpreendeu durante o fechamento desta edição, foi que outro meio de comunicação também veiculou uma nota a respeito da impugnação da candidatura de Isabel Mesquita.
    O jornal O Liberal, Ano LXII – nº32.192 na edição do dia 31 de julho de 2008, na coluna Repórter 70, publicou a nota “Impugnada”, com o seguinte teor: “O primeiro julgamento de pedido de registro de candidatura para prefeito de Parauapebas foi julgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o resultado não foi nada agradável. Não para Bel Mesquita (PMDB), candidata à prefeita na coligação ‘Para o bem de Parauapebas’. Ela foi impugnada na mais alta instância da Justiça Eleitoral e a notícia já provoca uma série de rumores sobre o rumo da disputa em uma das cidades com o maior PIB do Estado e vultosas somas de recursos para a administração municipal oriundos dos roayties minerais”.
    O Correio do Pará quer saber: será que o pedido de recolhimento dos jornais também se estenderá ao O Liberal com tiragem aproximada de 50.000 jornais? Ou a justiça brasileira mostrará que tem dois pesos e duas medidas? Esperamos que as decisões judiciais sejam igualmente aplicadas a todos!
    A Constituição Federal é uma só, tanto quanto a isonomia, onde todos somos iguais, quanto a liberdade de imprensa.

    Flávio Sacramento
    Diretor presidente do Jornal Correio do Pará

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *