Hiroshi Bogéa On line

Juiz de Direito relembra Vasco e Flu no “submundo”

 

 

 

Torcedor rubro-negro, o juiz juiz André Luiz Nicollit, do Juizado Especial Cível de Cachoeira de Macacu:, usou do humor numa sentença  de um processo movido por um  cliente vascaíno contra a Sky. Ao tomar conhecimento de que o autor da ação era vascaíno e o advogado da empresa, um tricolor, o juiz, conforme diz, quis colocar tudo no seu devido lugar – e sapecou no despacho:

 

“É bem verdade que sua pretensão seria assistir aos jogos do Vasco da Gama, o que de certa forma atenua a proporção do dano, pois não é possível comparar a frustração de não poder ver um jogo de times que já frequentaram a segunda ou a terceira divisão com aqueles que nunca estiveram nestes submundos..”

 

Falando à imprensa,  André Luiz justificou a ironia contida na sentença:

 

– O autor da ação queria ver os jogos do Vasco. O advogado era Fluminense. Sabendo disso, fiz a brincadeira. Obviamente, aproveitei para colocar o Flamengo na sua devida posição de destaque – disse o juiz, que guarda na memória recente a virada do Rubro-negro sobre o Fluminense (5 a 3) em 2010 e a vitória de 5 a 2 sobre o Santos, com show de Ronaldinho Gaúcho, em 2011. – Sou torcedor de estádio.

André Nicollitt sustenta que o juizado especial é dotado de informalidade, o que até “aproxima o magistrado das partes”. Num trecho, ele ainda sentencia para justificar a indenização de R$ 2 mil ao vascaíno: “Exemplificando, se fosse o Fluminense, por ter jogado a terceira, valor ínfimo, o Vasco e o Botafogo, por terem jogado a Segundona, um pouco maior, já o glorioso Clube de Regatas do Flamengo, que jamais frequentou ou frequentará tais submundos, o dano seria expressivo”.

 

– A brincadeira não tem relação com a causa em si. Foi uma pontada de humor – disse, garantindo isenção caso tenha um dia que julgar uma ação do Flamengo contra um dos rivais.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *