Hiroshi Bogéa On line

Inferno de Dantas, começa agora

Mais de mil pessoas estão ocupando, desde a madrugada desta sexta-feira, a fazenda Maria Bonita, localizada no município de Xinguara, uma das 14 propriedades adquiridas por Daniel Dantas no Sul do Pará. A data escolhida para a invasão é simbólica: 25 de julho, Dia Nacional do Trabalhador Rural.

Maria Bonita foi comprada pelo Grupo Sata Bárbara ao fazendeiro Bené Mutran.

Esta é a primeira de uma série de outras invasões às propriedades de Daniel Dantas programadas pelo MST.

——–
atualização às 14:07:

A fazenda Maria Bonita fica localizada no município de Eldorado do Carajás, a 27 km de sua sede, às margens da Pa-150.

Post de 

4 Comentários

  1. Ronaldo Barata

    28 de julho de 2008 - 21:04 - 21:04
    Reply

    Caro Hiroshi
    Não pretendo polemicar com o poster das 10:05. Gostaria mtão somenet que ele formulasse as perguntas para a FETAGRI e para os movimentos negros do Pará. Na realidade enquanto presidente do ITERPA,determinei a maior titulação de lotes até 100 hectares, atendendo pleitos formulados pela FETAGRI, com quem sermpre mantive reséitosas relações, sem discriminações político-partidárias.
    Foi na minha gestão que o Pará foi o campeão nacional de titulação de áreas quilombolas.
    Pergunto ao poster: quantos títulos de doação foram entregues no atual governo? quantas áreas quilombolas foram trabalhadas? o que foi feito do programa raizes?
    abraçosd do
    Ronaldo Barata

  2. Anonymous

    27 de julho de 2008 - 13:05 - 13:05
    Reply

    Prezado Hiroshi

    Aproveito para solicitar ao ex-presidente ITERPA para que nunca mais ocupe um cargo público, as razões já foram expostas, ou senão, é só perguntar para aqueles que necessitaram dos serviços do orgão naquela época.

  3. Anonymous

    26 de julho de 2008 - 18:08 - 18:08
    Reply

    Deve ter sido o inferno também de quem ja presidiu o ITERPA e nada fez, aliás só fez em favor dos grandes prorietários.

  4. Ronaldo Barata

    25 de julho de 2008 - 19:53 - 19:53
    Reply

    Caro Bogéa
    A precipitada declaração da Governadora Ana Júlia, de que o Estado estaria analisando a possibilidade da retomada das fazendas adquiridas no Sul do Pará pelo grupo do Daniel Dantas, foi o detonador da invasão da fazenda Maria Bonita,realizada por mais de mil pessoas ligadas ao MST. Não causará espanto que sob a alegação de que tais fazendas foram adquiridas com recursos de3sviados do erário público, o MST alongue os seus braços e promova a ocupação das demais fazendas, sem levar em consideração de que ainda não restou provado que a aquisição de tais áreas foi realizada de forma incorreta e, principalmente ignorando que tais fazendas, na quase totalidade, são declaradas e cadastradas como produtivas, o que impede serem objeto de desapropriação.
    Tal condição sempre foi fator que contribuiu para que não fossem objeto de indicação, pelos movimentos sociais nas constantes listas apresentadas pelos mesmos, para o Incra desde o ano de 1985, data quee assinala a implantação do 1º Plano Nacional de Reforma Agrária.
    Agors, a basófia da Governadora precipitou a ação do MST. Restará ao Estado, se for acionado pela Justiça garantir a desocupação das áreas invadidas e/ou impedir a ocupação de outras.
    Não foi somente o inferno de Dantas que começou.
    Abraços do Ronaldo Barata

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *