Hiroshi Bogéa On line

IBCC continua se recusando a esclarecer destinação de recursos do DD

 

 

 

Nem Edson Calil, inicialmente, e, agora, Jaques Zajdsznajder , coordenador do IBCC.

Nem um  nem o outro, apareceu aqui no blog esclarecendo o foco principal da discussão aberta por mim sobre a destinação correta  da grana destinada à cobertura dos custos do Disque Denúncia de Marabá..

O primeiro, Calil, enviou dois textos, enfeitados mais do que pavão.

No meio das duas notas, olhando de cabo a rabo, não encontrei uma linha  reportando o cerne do debate: a transparência da planilha de custos do serviço.

Sem tecer sua versão a respeito dos questionamentos  produzidos pelo blog, Calil faz rodeios repetitivos exaltando a importância do DD, aqui prontamente reconhecido desde o dia 7 de novembro de 2011, quando o blog noticiou pela primeira vez a chegada do Disque Denúncia a Marabá.

De lá até os dias de hoje, dezenas de releases foram publicados,  aqui,  exaltando a eficiência do serviço.

Para tirar a prova dos nove, basta escrever a palavra  “Disque Denúncia” no espaço de pesquisa do blog,  localizado à direita da parte superior deste site.

Portanto, a questão  não é essa.

Agora, aparece outro personagem,  Jaques Zajdsznajder, procedendo do mesmo feitio: roda, roda, roda, mas neca de pitibiriba;  nadica de nada  em relação a transparência da planilha apresentada à Associação Comercial e Industrial de Marabá.

Jaques Zajdsznajder , em comentário enviado ao blog, dizendo-se Coordenador do IBCC, chega ao acinte de dizer o seguinte, quando tenta abordar a questão do orçamento:

 

Quero crer que se perde tempo discutindo detalhes do orçamento; como em todas as economias, públicas ou privadas, verbas podem, e devem ser remanejadas pelos seus gestores em busca de maior eficiência. A eficiência do projeto não se discutiu, ao contrário, os seus resultados, estampados na imprensa, tem sido objeto de aplauso generalizado.

 

Cara-pálida,  “se perde tempo discutindo detalhes do orçamento”?

Não! Não!

Considerar  futilidade exigir transparência na destinação de recursos para um serviço mantido pela sociedade, isto é nos desrespeitas mais ainda!

É preciso  que vocês esclareçam pontos nebulosos da planilha, sim!

Pegando apenas quatro colunas da tal planilha, a que se destina realmente essa grana aí?

 

Destinação Valor /Mês Valor / Ano
Consultoria suporte para inteligência policial (?) R$ 4.000, R$  48.000,
Consultoria captação de recursos (?) R$ 8.000, R$  96.000,
Premiação Gol R$ 3.000, R$ 36.000,
Prêmio Tim Lopes R$    800, R$  9.600,

 

Ao ano, repetindo o que eu disse no post anterior,  são quase 200 mil!

Nesse período de um ano, apenas seis policiais de Marabá receberam tão somente R$ 1.600,00 alusivos ao pagamento da tal Premiação Gol. Ou seja, R$ 133,00 por agente policial.

E o restante, hein?!

É futilidade querer saber disso?

Qual jornalista de Marabá foi agraciado com o tal Prêmio Tim Lopes?  Cite o nome de um deles!

Só que na planilha destina-se R$ 800,00 mensais  (R$ 9.600/ano) para esse fim.

A soma dos valores acima é de R$ 15.800,00/mês.

Ao ano, esse valor bate em R$ 189.600,00

Em outro trecho do  comentário do coordenador do IBCC, surge essa pérola, para tentar traduzir o objetivo de uma Consultoria de Inteligência:

 

No mais não me parece correta a demonização de valores de Consultoria de Inteligência (que é a utilização da força de trabalho, permanentemente disponível para consulta, da retaguarda de pessoal especializado, com quase 20 anos de experiência).”

Vocês entenderam, leitores queridos?

Se entenderam, favor mandar tradução.

O enfeite é bonito, mas neca de pitibiriba  para explicar o verdadeiro destino de R$ 48 mil/ano como pagamento da “Consultoria de Inteligência”.

Outra coisa: Jaques Zajdsznajder acha “um equívoco  comparar um Coordenador de Call Center com um Coordenador de um complexo serviço de Disque Denúncia”, razão pela qual ele tenta justificar o valor anual de R$ 177.276.

Não, senhor Zajdsznajder, não!

Um coordenador de Call Center é um coordenador de CallCenter, que dá conta, em sua escala de trabalho, da coordenação de, no mínimo, 120 pontos de atendimento, ou 120 telefonistas – caso das três empresas consultadas pelo blog. O fluxo de informações num ambiente de rush é mais complexo do que a destinação de relatórios captados por quatro pontos de atendimento da central do Disque Denúncia de Marabá .

 

Portanto,  nem um (Calil)  nem o outro (Zajdsznajder), apareceu com clareza, determinação e dados concretos, jogando luz ao debate.

Ao contrário, teimam em pontuar a discussão invertendo o foco.

Querem passar sentimento de que eu esteja trabalhando contra o serviço, mas não colocam a cara, como deveriam fazer, para contestar os questionamentos com a clareza que  o tema exige.

Querem a participação  “solidária” da sociedade de Marabá sem mostrar  transparência necessária.

 

Nas últimas horas, inclusive, a  patifaria passou a pontuar a caixa de comentários, com o surgimento de  anônimos e  parecidos, tentando  me desqualificar.

Uma tal de Anne Dantas (será que essa usa cueca?),  postou, às 08:06,  o seguinte comentário, reforçando comentário de outro anônimo que me classifica  como “de direita” :

 

 

Anne Dantas
1 aprovado
anne15@gmail.com
177.198.126.55
Enviado em 22/12/2012 as 8:06

Um comentário interessante, este acima.
O dono deste blog é de direita?
Bom, que gosta das elites isso sei que gosta! Amigos só os que possuem poder!
Uma das características de pessoas que gostam de poder é a pedofilia. Meninas estão no alvo de gente assim, certo Hiroshi?

 

O Calil, por duas oportunidades, tem se preocupado em pedir que todos os comentários enviados ao blog sejam publicados, sem  recusa de qualquer espécie.

Todos estão, inclusive a baixaria acima, Calil.

Como sei que isso faz parte do movimento de guerrilha suja a ser travada agora por quem está se sentindo encurralado pelos questionamentos do blog, limito-me a sugerir a busca, também no espaço de pesquisa deste site ( escreva “Pedofilia”, ou “Homofobia”,  aí na parte superior à direita), da luto que travo aqui contra  a pedofilia, homofobia e safadezas de toda natureza, inclusive daquelas que gostam de mamar o leite dos inocentes.

Post de 

8 Comentários

  1. Jaques Zajdsznajder

    26 de dezembro de 2012 - 07:25 - 7:25
    Reply

    Sr, Hiroshi,

    DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS? AS CONTAS DO IBCC JÁ FORAM AUDITADAS

    O Sr. “comentou” o meu comentário, sem publicá-lo, usando palavras que eu não registrei, desmoralizando conceitos tradicionais de gestão financeira e, sobretudo, abafando uma declaração que ameaça esvaziar o conteúdo da sua campanha – o fato de que, por obrigação contratual – no caso um Convênio – de todos os valores recebidos foram prestadas contas, todas acompanhadas dos respectivos documentos fiscais e devidamente auditadas e aprovadas pelos patrocinadores.

    Gostaria de aproveitar para mais lhe apresentar mais duas questões:

    VOCÊ QUESTIONA DESTA FORMA OUTRAS CONTAS?

    A primeira se você também questiona e discute a planilha de todos os preços que lhe são apresentados: medicina privada, odontologia privada, ensino particular, preços de remédios, restaurantes, hotelaria, passagens de avião, tarifas de energia elétrica, tarifas de aeroportos, táxi, etc. ou se considera, como quase todo mundo, a relação custo/benefício e/ou o seu poder de compra para a tomada de decisão? Pode exibir exemplos em seu blog?

    VOCÊ (O SEU BLOG) PODE EXPOR, COMO O IBCC, AS SUAS CONTAS?

    A segunda é se o seu blog poderia enfrentar idêntica situação, exibindo e submetendo as suas contas de receita e despesa, identificando a sua empresa com o respectivo CNPJ, os valores, deste exercício de 2012, dos seus patrocinadores e anunciantes, devidamente identificados, bem como os valores de salários, cargo a cargo, e recolhimentos de INSS, PIS, IRRF e FGTS dos valores pagos aos seus colaboradores, tal como fez o IBCC para os seus patrocinadores ? Poderia exibir estas informações em seu blog?

    Precisamos concluir este debate que, embora não possamos acreditar que seja a sua intenção, apenas estaria servindo de pretexto, para algumas pessoas, que não podemos identificar, se esquivem da sua co-responsabilidade social de custeio do Disque Denúncia.

    O IBCC tem uma capacidade de financiamento muito limitada e, neste momento, em visível situação de risco, não estamos amparados por valores suficientes para o custeio da operação.

    Aproveito o ensejo para reiterar o pedido de publicação da minha mensagem anterior, objeto dos seus comentários, como desta também,.

    • Hiroshi Bogéa

      26 de dezembro de 2012 - 09:05 - 9:05
      Reply

      Jaques Zajdsznajder, teu comentário foi publicado na íntegra. http://www.hiroshibogea.com.br/?p=19065#comments

      Os termos grifados foram retirados conforme tu colocastes no teu comentário, que não explicaram nadica de nada dos meus questionamentos. E agora, tu chegas aqui, de novo, sem responder as cobranças feitas. As perguntas que fazes demonstram o quanto estás sem tino, que nem cego em tiroteio. O principal, repito, não foi respondido.

  2. wilson

    23 de dezembro de 2012 - 18:23 - 18:23
    Reply

    Realmente causa estranhesa essas pessoas tão “HONESTAS”, acharem ruim os questionamentos feitos aqui neste blog, pois, TRANSPARÊNCIA, é o mínimo que exigimos para saber onde o dinheiro do povo estar sendo emopregado.

  3. Hiroshi Bogéa

    22 de dezembro de 2012 - 15:38 - 15:38
    Reply

    Leandro, você me passa uma informação de sublime importância. Tenho mais três comentários no mesmo sentido. Pode entrar em contato comigo pelo emeio hiroshyb@gmail.com? Ficarei grato.

  4. Anônimo

    22 de dezembro de 2012 - 15:02 - 15:02
    Reply

    O Disuq e Denuncia é um ótimo serviço so que o povo de Maraba tem que ter prrstcao de contas do que realmente é gasto no serviço. Vc tá certo hiroshi,

  5. Anônimo

    22 de dezembro de 2012 - 14:19 - 14:19
    Reply

    EI HIROSCHI essa ANNE DANTAS deve ser o mesmo calil. Coisa de gente que nao presta querer tirar da reta. O povo de maraba confio no seu trabalho amigo sempre nos ajudando com as informação que tanto precisamos. Os caras desse instituto deveriam vir dizer mesmo para onde estao aplicando o dinheiro que nao é pouco

  6. Anônimo

    22 de dezembro de 2012 - 14:15 - 14:15
    Reply

    HB quem é afinal de contas esse calil? de onde surgiu essa podridão que fica querendo fazer a gente acreditar que a grana que eles ganham em Maraba e em parauapebas é mesmo toda aplicada nesse disque denúncia?Bota quente nesses caras, que vem la do rio de janeiro arrotar bacaba.

  7. Anônimo

    22 de dezembro de 2012 - 13:51 - 13:51
    Reply

    Hiroshi essa turma deve estar achando que somos beiçudos do mato, querendo empurrar goela a dentro uma explicação que não explica nada. Você tem a credibildade da população do Pará para exigir desses caras maior transparencia. parabens pelas colocações.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *