Hiroshi Bogéa On line

Hospital Regional de Marabá orienta sobre câncer de próstata

Durante o ‘Novembro Azul’, o Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá (PA), tem intensificado as orientações sobre o câncer de próstata. Nesta quarta-feira, 22/11, os usuários ambulatoriais, que aguardavam a chamada para exames, participaram de um bate-papo sobre o tema.

Ana Lúcia Ramos, de 44 anos, foi uma delas. Depois de ouvir atenta o alerta, a dona de casa comentou que ainda é grande o número de homens que deixam de ir ao consultório médico porque o exame do toque retal é considerado um tabu. ‘Meu marido é um exemplo disso. Eu o incentivo. Já até marquei consulta, mas ele inventa várias desculpas e não vai. Ele tem 50 anos e não quer fazer o exame’, relatou a usuária.

Segundo o urologista do HRSP, Cassiano Barbosa, o exame é rápido e indolor. ‘A partir dos 50 anos, o homem precisa começar a fazer exame de PSA e de toque retal. Se houver histórico familiar de câncer de próstata, é a partir dos 45 anos’, explicou o médico. Além de detectar o câncer, o exame ajuda a identificar outros problemas de saúde, como prostatite (inflamação na próstata) e feridas na região anorretal.

Na próxima quinta-feira, 30/11, as orientações serão repassadas aos colaboradores do hospital pela equipe do Serviço Psicossocial. Também como forma de sensibilizar para a importância do diagnóstico precoce, até o final deste mês, o Hospital Regional do Sudeste do Pará está iluminando a sua fachada na cor azul em alusão ao movimento ‘Novembro Azul’.

Público e gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, ao longo do ano, o HRSP realiza outras ações de educação em saúde, com o objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população da região, como os projetos ‘Saúde na Escola’, que leva informação a crianças e adolescentes, e ‘Hospital Regional Amigo da Comunidade’, que aproxima a unidade dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) na zona rural e comunidades em situação de vulnerabilidade.

Autor 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *