Hiroshi Bogéa On line

Helder decreta suspensão do corte de água e energia por 30 dias

O governador do Pará, Helder Barbalho, proibiu a interrupção de serviços de energia elétrica e de abastecimento de água por 30 dias no Pará.

A determinação é uma das medidas de combate ao coronavírus que estão relacionadas com o impacto econômico gerado por conta da pandemia.

Em caso de inadimplência, a concessionária Equatorial Energia e a Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) não poderão suspender o serviço durante esse período.

É o que determina o decreto aprovado na manhã dessa sexta-feira (20), pela Assembleia Legislativa do Estado do Pará.

O objetivo desta determinação é preservar serviços essenciais e básicos para a população que agora precisa viver em isolamento social para que seja evitada a transmissão do novo coronavírus.

Essa medida é importante para garantir os cuidados da população com a higienização, além de apresentar a preocupação com as os paraenses e com as atividades econômicas que movimentam o Estado.

“Nós temos a sensibilidade de que nesse momento as pessoas passam por um momento de revisão das suas condições de renda. As empresas da mesma maneira estão tendo que conviver com a excepcionalidade e vivem um forte abalo na área de serviços e comércio. Por isso, para que tenhamos a compatibilização e a acomodação para este novo momento, tomamos essa medida”, disse Helder.

O presidente da Cosanpa, Jose Antonio De Angelis, ressalta que “o governador deixou claro que essa medida não significa anistia do pagamento por 30 dias, mas sim uma suspensão provisória do corte, que irá voltar assim que a situação normalizar no país”.

O presidente garante que a Cosanpa irá cumprir a determinação e alerta para que as pessoas procurem assegurar o pagamento em dia para a manutenção do abastecimento regular.

Por meio de nota, a Equatorial Energia Pará informa que está 100% mobilizada na prevenção ao Coronavírus e entende que o momento é sensível para todos os segmentos da sociedade brasileira, por isso tem feito tratativas conjuntamente com as distribuidoras de energia elétrica de todo o Brasil, ANEEL e Ministério de Minas e Energia – MME.  (AgênciaPará)

Post de 

1 Comentário

  1. Pedro

    20 de março de 2020 - 17:55 - 17:55
    Reply

    morreu rico, morreu pobre? ou remediado? Foi prefeito ladrão ou trabalhou para o bem da comunidade? Depois que o homem morre é que fica seu legado. Acho que Floriano, como todos nós cometeu seus erros, mas Deus deve apiedar-se de sua alma. Vá em paz.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *