Hiroshi Bogéa On line

Grupo Zucatelli investirá em cultivo de cacau em Marabá

O cacau virou a menina dos olhos de agricultores, produtores e exportadores paraenses.

Já são mais de 170 mil hectares de área de plantio de cacau no estado do Pará.

Por ano são plantados cerca de sete mil novos hectares o que gera a expectativa de um aumento ainda maior na produção.

Observação é do empresário Reinaldo Zucatelli, diretor-presidente do  Grupo Zucatelli, conglomerado de empresas que gera cerca de 800 empregos nos estados do Pará, Amazonas, Maranhã e Piaui, que está trabalhando para dar início a um projeto experimental de plantio de cacau no município de Marabá.

Nesse sentido, Reinaldo e seu filho, Eduardo Zucatelli, reuniram-se com   Daniel Mangas e João Guilherme , técnicos do Núcleo de Apoio à Pesquisa e Transparência de Tecnologia do Sudeste do Pará, da EMBRAPA (foto), para apresentação de  projeto idealizado para Marabá.

“Nesse encontro, nós pedimos apoio e assessoria da Embrapa para o plantio de dois mil pés de cacau em nossa propriedade aqui perto de Marabá, já que entendemos da necessidade de desenvolver essa cultura aqui na região. A capital do cacau hoje é Medicilândia, às margens da Rodovia Transamazônica, beneficiada pelo solo fértil  muito propício para a agricultura, mas temos certeza de que  a qualidade do terreno aqui nas cercanias de Marabá é também propícia à plantação de cacau.  Por isso nossa decisão de fazer esse experimento inicial. Nossa conversa com os técnicos da Embrapa foi muito positiva e vamos fazer esse investimento”, revela Reinaldo.

Em relação ao município de Medicilândia citado por Zucatelli, é sempre bom lembrar que, ali, hoje tem 36 mil hectares de lavoura de cacau.

A cidade produz em média entre 1.000 e 1.060 quilos de amêndoas por hectare com alguns produtores conseguindo até 2.500 quilos.

“O Pará produz uma média de 911 quilos de cacau por hectare, bem acima da média nacional que é de 500 quilos por hectare. O Estado da Bahia, segundo maior produtor do país, produz 250 quilos por hectare. Seria muito vantajoso economicamente para o Estado se houvesse a expansão dessa agricultura cacaueira  aqui para o Sudeste paraense. Por isso a decisão de meu pai em fazer esse experimento.  A partir de seus resultados, certamente  outras áreas de nossas propriedades receberão novos investimentos na plantação de mudas de cacau”, revela Eduardo Zucatelli, um dos diretores do grupo.

Nos últimos anos, produção fez com que o cacau paraense ganhasse destaque dentro e fora do Brasil.

Responsável por 55% da produção de cacau do país, o Pará exporta amêndoas de cacau principalmente para países da Europa e da Ásia como Japão e França.

“Se nosso experimento der os resultados que imaginamos, uma nova frente de geração de emprego e renda surgirá no entorno de Marabá, além de que o cultivo do cacau abrirá em nossa região outra porta para produtores locais: a fabricação de chocolate totalmente paraense. A forma como a amêndoa do cacau é cultivada interfere diretamente no sabor do chocolate que é produzido e isso faz a diferente colocando o chocolate produzido no Pará como um dos melhores do Brasil”, assegura Reinaldo Zucatelli que nos últimos tempos têm pesquisado muito sobre o assunto.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *