Hiroshi Bogéa On line

Ex-governador responde acusações de irregularidades no programa “Asfalto na Cidade”

Como já foi amplamente divulgada desde o dia de ontem, o  ex-governador Simão Jatene  e ex-secretários estaduais tiveram suas prisões temporárias pedidas pela Auditoria Geral do Estado (AGE).

Jatene liberou nota refutando as acusações.

Abaixo, íntegra da reação do ex-governador.

 

Nota

A acusação feita pela AGE, órgão atualmente ligado diretamente ao governador Helder Barbalho, comandada por um dos advogados da campanha do MDB, é absurda e descabida e sem nenhum fundamento. O ex-governador Simão Jatene jamais conduziu qualquer ação, quer para contração das empresas construtoras, quer para os pagamentos.

Trata-se, portanto, de mais um factoide com dupla intenção: desviar a atenção da população pela falta de obras do atual governo – que vem “inaugurando” obras executadas pela gestão anterior e, com a “denúncia”, deixa clara a intenção de tentar atingir politicamente o ex-governador Simão Jatene.

O programa Asfalto na Cidade existe desde 2003, e já mudou pra melhor a paisagem de dezenas de cidades. O ex-governador Simão Jatene lamenta o uso político-partidário de um órgão, que num passado recente foi reconhecido por sua isenção e transparência.

O órgão da administração direta que na prática funciona como uma espécie de controle interno do Executivo estadual, acusa Jatene e auxiliares  pediu a prisão temporária do ex-governador do Estado Pará, Simão Jatene 

De acordo com o titular da AGE, Giussepp Mendes, pelo menos, 12 cidades constam na lista de municípios beneficiados mas nunca viram a cor do asfalto. Em nota, o ex-governador Simão Jatene diz que a acusação é  descabidaAlém  e sem fundamento.

Ele ainda lamenta ”o uso político-partidário de um órgão (AGE), que num passado recente foi reconhecido por sua isenção e transparência”.

Acusação

A Auditoria Geral do Estado (AGE) pediu a prisão temporária do ex-governador do Estado Pará, Simão Jatene e ex-secretários estaduais de obras por suposto esquema de desvio de dinheiro do programa ‘Asfalto na Cidade’, criado pela equipe anterior do governo em 2012 para contemplar 129 municípios paraenses com pavimentação asfáltica.

De acordo com o titular da AGE, Giussepp Mendes, pelo menos, 12 cidades constam na lista de municípios beneficiados mas nunca viram a cor do asfalto.

Além de Simão Jatene, a AGE pede as prisões preventivas dos ex-secretários estaduais de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas Ruy Klautau, Pedro Abílio Torre do Carmo e Noêmia Jacob; dos proprietários das construtoras Leal Junior, Rodoplan e JM Terraplanagem, e de dois engenheiros da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (SEDOP), José Bernardo Pinho e Raimundo Almeida.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *