Hiroshi Bogéa On line

Bancos processados por financiarem desmatamento

 

Decisão elogiável do Ministério Público Federal no Pará: ajuizou ações civis públicas contra o Banco do Brasil e o Banco da Amazônia

Motivo:  cessão de financiamentos  a fazendas com irregularidades ambientais e trabalhistas com dinheiro público.

O INCRA entra também na encrenca como réu nos  processos pela total ineficiência em fazer o controle e o cadastramento dos imóveis rurais na região.

Nove procuradores da República  fulminam nas ações:  “Desvendou-se, de forma factual, que as propagandas de serviços e linhas de crédito que abusam dos termos responsabilidade socioambiental e sustentabilidade não retratam essa realidade nas operações de concessão desses financiamentos a diversos empreendimentos situados na Amazônia, que em sua maioria são subsidiados com recursos dos Fundos Constitucionais de desenvolvimento e de outras fontes da União”.

Os empréstimos detectados pelo MPF descumpriram a Constituição, leis ambientais e regulamentos do Banco Central e do Conselho Monetário Nacional, além de acordos internacionais dos quais o Brasil é signatário. O MPF demonstra nos processos que o dinheiro público – de vários Fundos Constitucionais – vem financiando diretamente o desmatamento na região amazônica por causa do descontrole do Incra e das instituições financeiras.

Com participação da Ascom do MPFP

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *