Hiroshi Bogéa On line

Com a palavra, o Juiz

O Juiz de Direito de Marabá, César Dias de França Lins, citando trecho de “Dom de Iludir”, música de Caetano Veloso, faz comentário ao post  Questão Pessoal, responsabilizando,  com elegância, o Ministério Público pelo insucesso dos Júris suspensos recentemente na cidade, foco de tensões entre o judiciário e o MP.

Texto do  magistratus:

É com muito respeito que aceito e agradeço as críticas negativas e positivas, pois isto é exercício da Democracia. 

Todos os sete júris foram marcados para dezembro, incluíndo os que não foram feitos. 

Não vou dizer quem está certo ou errado, mas convido o Senhor para participar dos eventos e formar sua própria convicção. Todavia, abandonar o plenário não se justifica de forma alguma!A OAB e seus advogados militam diariamente na Comarca, e ninguém melhor do que eles para se manifestarem sobre o trabalho de um juiz. Hoje, apenas para esclarecer, estou julgando réus em 4 a 6 meses da data da prisão.

Quanto a crítica de Novo Progresso, ali realmente é um local de desordem total, onde tive que agir com pulso firme para não ser expulso da Cidade como aconteceu com o último juiz e promotor, dando-se um desconto ao anônimo postante..rss… Mas como dizia o poeta: “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é…”

Abraços fraternais

Do seu leitor assíduo

César Dias de França Lins 

Nota do blog: a postura do juiz César Lins, em Novo Progresso, foi realmente de muita firmeza. O poster ouviu de secretário municipal daquela cidade elogios à conduta dele durante o tempo em que exerceu a função na Comarca. “Havia respeito à autoridade do judiciário, ao contrário do que ocorreu recentemente, quando juiz e  promotor fugiram com medo de ameaças”.

Explicado.

Post de 

9 Comentários

  1. Anonymous

    10 de novembro de 2008 - 12:18 - 12:18
    Reply

    FALTA A PRESENÇA DO ESTADO. POR ISSO AIMENTA A SEDE DE SEPARATISMO…

  2. Anonymous

    6 de novembro de 2008 - 18:54 - 18:54
    Reply

    A grande maioria da população de Novo Progresso e ordeira e seu maior desejo é a PRESENÇA DE GOVERNO EFETIVA E PERMANENTE !

  3. Anonymous

    6 de novembro de 2008 - 14:59 - 14:59
    Reply

    A quadrilha de Novo Progresso é liderada pelo prefeito derrotado apoiada pelo Paulo Rocha,Pedro Aquino,Wilmar Freire,e 96% dos madeireiros locais segundo o proprio chefe da guadrilha.

  4. Anonymous

    6 de novembro de 2008 - 14:55 - 14:55
    Reply

    “Novo Progresso, ali realmente é um local de desordem total, onde tive que agir com pulso firme para não ser expulso da Cidade como aconteceu com o último juiz e promotor,”

    Novo Progresso NÃO é um local de desordem.

    Apenas um grupo (quadrilha) liderada pelo famigerado prefeito Municipal que perdeu a eleição de forma vegonhosa e que ameaçava pessoas e instituições.

    São uma minoria em nossa Cidade com mostrou o resultado das Urnas.

  5. Hiroshi Bogéa

    6 de novembro de 2008 - 13:04 - 13:04
    Reply

    Em bom tom, né, Juva. A sensibilidade do juiz pode ser medida, em toda extensão, nos versos de Caetano escolhidos: “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é…”
    Muito bom.
    Abs parceiro.
    Ei, logo mais à tarde estarei aí.

  6. OLINTO

    6 de novembro de 2008 - 02:41 - 2:41
    Reply

    Concordo com o comentário acima.A maioria dos problemas enfrentados pelos juízes é o distanciamento( imposto por eles) da sociedade. A vitaliciedade produz um pseudo-endeusamento de alguns magistrados ( muitos). A postura do Juiz César Lins foi surpreendentemente …humana! Não senti que ele se justificou e sim, fez um comentário como um juiz, que enfrenta situações difíceis e age como tal. Sou advogado há 14 anos e já vi muitas atitudes embaraçosas provocadas por pessoas despreparadas para ocuparem cargo de tamanho poder. Quanto a ser seu leitor assíduo, isso é menos surpreendente, porque seu blog, Hiroshi, é leitura obrigatória de quem quer estar bem informado. Sou um aprendiz e convido-o a visitar o meu modestíssimo blog aqui em Parauapebas. (www.olintovieira.blogspot.com)

    Abraço.

  7. Anonymous

    6 de novembro de 2008 - 02:34 - 2:34
    Reply

    Parabéns ao nosso juiz de Marabá, por ser humano e não um “deus” do olimpo.

  8. Juvencio de Arruda

    5 de novembro de 2008 - 22:29 - 22:29
    Reply

    Sem entrar, ainda, no mérito da querela, gostaria de louvar a atitude – e, principalmente, o tom – do comentário do juiz Lins.
    Para quem, como eu, não se conforma com a arrogância e o distanciamento dos magistrados deste país em relação aos seus cidadãos, a civilidade demonstrada incita ao debate.
    Com a devida reciprocidade ao juiz.
    Parabéns , Hiroshi, pela cena rara e muito bem vinda.
    Abs pra vc.

  9. Anonymous

    5 de novembro de 2008 - 20:45 - 20:45
    Reply

    Meretissimo com todo respeito parabens pela sua postura.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *