Hiroshi Bogéa On line

Cheiro repugnante

 

 

Quem chega de repente ao Pará, alheio aos seus problemas, e compra os dois maiores jornais do Estado,  interessado apenas em se informar, deve ficar sem saber se está lendo jornais ou alguma publicação apócrifa, quando se depara com a virulência com que os “grandões” da imprensa local se engalfinham,  vergonhosamente.

A podridão que exala das páginas de O Liberal e o Diário do Pará é algo inaceitável, beira a perversão.

É como se as duas folhas paraenses sofressem de algum desvio patológico.

E, de depravação em depravação, o pouco de credibilidade, se ainda resta, desce pelo ralo, junto com as fezes saídas de suas entranhas.

Post de 

3 Comentários

  1. Alberto

    30 de maio de 2011 - 12:00 - 12:00
    Reply

    Tenho outra visão do assunto. Para mim esta briga é da maior importância, pois mostra o que está escondido há bastante tempo e que mostra os pés de barro dos gigantes da comunicação do estado. Mostra que a corrupção é fato sabido pela elite e que somente o povo “ignorante político” , sempre enganado, nunca teve acesso, a não ser nessas condições, em que as vísceras da “elite do poder” são expostas. Queremos saber mais, queremos que o Mário Couto, como prometeu, informe no Senado as manobras torpes do Jader e que Jáder mostre, por seu turno, o que outros fizeram com o dinheiro público. E, ainda que a Polícia Federal, Ministério Público, TCU, etc. venham fazer seu dever de casa.

    • Hiroshi Bogéa

      30 de maio de 2011 - 12:24 - 12:24
      Reply

      Alberto, analisando por esse plano, você está prenhe de razão. Abs

  2. Prof. Alan

    30 de maio de 2011 - 09:31 - 9:31
    Reply

    Hiroshi, ainda que a briga seja fétida, dá pra gente fazer alguma análise e algumas ilações sobre o fato. E, pra mim, a pergunta que não quer calar é: até quando Jader Barbalho vai ficar apanhando feito boi fujão do Grupo Liberal?

    Por muito menos o Jader mandou o ACM calar a boca (e o ACM calou…). A impressão que se tem, daqui do Planalto, é que o Jader está nas cordas. Que não tem munição pra reagir.

    Digo sem munição, pois essa conversa macia de “orgulho de ser paraense” e as tentativas de atingir o grupo político d’O LIberal via Tapiocouto estão sendo quase o mesmo que nada, perto do que estão falando dele.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *