Hiroshi Bogéa On line

Zé Geraldo empurra fã que invadiu palco

 

O cantor Zé Geraldo empurrou um fã que invadiu um palco durante o show realizado neste sábado (23), em Marabá.

O vídeo foi gravado por Gustavo Veras, que é amigo do fã que furou o bloqueio, Clésio Fima.

Veras contou que se surpreendeu com a atitude do amigo. “Estava gravando e não esperava que ele fosse fazer isso”, disse Veras.

Após o incidente, o cantor disse que teria o maior prazer de atender os fãs no camarim depois no show e pediu que o público não invadisse o palco porque atrapalharia a apresentação.

Ao final do show, Clesio, acompanhado de Veras e sua câmera, foi até o camarim do músico para se desculpar. Zé Geraldo recebeu bem o fã e o abraçou, desfazendo o atrito entre eles.

Zé Geraldo ficou conhecido pelas canções “Rio Doce” e “Milho aos Pombos”, que concorreram nos festivais de música realizadas pela Rede Globo no início dos anos 80.

Vejam o vídeo do incidente.

Post de 

25 Comentários

  1. Clésio Fima

    9 de Maio de 2013 - 21:50 - 21:50
    Reply

    kkkkk Fale baixo meu nobre amigo João Bala.

  2. joaobala

    24 de abril de 2013 - 17:20 - 17:20
    Reply

    meu amigo clesio,seu tivesse ai eu o seguraria pra vc agarrrar esse cabra.

  3. Clésio Fima

    28 de fevereiro de 2013 - 10:05 - 10:05
    Reply

    kkkkk Grande Victor Haôr, fique tranquilo, rsrsrs se fosse o Belchior aí sim rsrs

  4. Clésio Fima

    28 de fevereiro de 2013 - 10:03 - 10:03
    Reply

    ok meu nobre Hiroshi

  5. clesioio fima

    27 de fevereiro de 2013 - 20:29 - 20:29
    Reply

    Se os Deputados troca empurrões no congresso – Por que, que o Ze Geraldo não pode me empurrar. rsrsrsrs

  6. Victor Haôr

    27 de fevereiro de 2013 - 16:13 - 16:13
    Reply

    No show do DJAVAN vamos dar um jeito no Clésio… amarraremos ele na primeira barraca de cerveja……. até o fim do show..rsrss

  7. Clésio Fima

    27 de fevereiro de 2013 - 14:53 - 14:53
    Reply

    Maurivan Braga, não sei de onde vc é meu caro, mais quero te dizer que;
    EU ME ORGULHO DE SER PARAENSE
    PORQUE ESSA TERRA É PAID´GUA POR NÃO TEM INVERNO NEM verão TODO DIA CHOVE TODO DIA FAZ SOL,POPULARMENTE CONHECIDO COMO CASAMENTO DA RAPOSA.
    LUGAR ONDE AS MANGAS CAEM EM NOSSA CABEÇA E DE NOSSAS CABEÇAS SAEM OS ARTESANATOS QUE DO PARÁ SAEM PARA O MUNDO ENTEIRO FALAR EM MUNDO INTEIRO O NOSSO PARÁ TEM O
    AÇAÍ GROSSO TROCAR ESSA TERRA POR OUTRA NUNCA!!! NASCI AQUI E VOU MORRER AQUI EM MARABÀ TENHO ORGULHO DE SER PARAENSE…( Falar é completamente fácil, quando se têm palavras em mente que expressem sua opinião.
    Difícil é expressar por gestos e atitudes antes que a pessoa se vá…)

    • Hiroshi Bogéa

      28 de fevereiro de 2013 - 09:53 - 9:53
      Reply

      Clesio, da próxima vez escreva textos com letras normais. Há uma regra aqui no blog contrário a esse uso errado de textos todo em maiúsculas, oquei?

  8. Maurivan Braga

    27 de fevereiro de 2013 - 12:23 - 12:23
    Reply

    Só pode ser aqui no Pará mesmo esse tipo de atitude… Deus melivre. È por essas e outras que o Estado é o mais queimado do Brasil.

  9. Clésio Fima

    27 de fevereiro de 2013 - 10:59 - 10:59
    Reply

    Luis Sergio Anders,as palavras as vezes nos
    confundem, fiz uma nova leitura no que vc escreveu. Obrigado e Valeu!! Abs.

  10. Clésio Fima

    27 de fevereiro de 2013 - 09:17 - 9:17
    Reply

    Geórgia Fima, Desde já agradeço o apoio deste ombro que acredito e tenho certeza que além de uma prima vc é uma verdadeira amiga…Muito em breve estarei ai em Fortaleza pra ti dar um forte Abraço e uma flexada igual a que eu dei no Zé Geraldo rsrsrs.

  11. Luis Sergio Anders Cavalcante

    27 de fevereiro de 2013 - 00:56 - 0:56
    Reply

    Ô Fima às 11:56 hs. 26/02, é claro que não me sentí ofendido e muito menos me deves desculpas. Só citei as duas situações distintas por que passamos enquanto fãs – a sua mais emocional(atirada), a minha, digamos, melhor “pensada” e objetiva. Em nenhum momento pretendí critica-lo. Como diz o Rei RC, “o importante é que emoções eu viví “. Fica em paz. Em 27.02.13, Marabá-PA.

  12. Clésio Fima

    26 de fevereiro de 2013 - 15:51 - 15:51
    Reply

    Hiroshi – Muito obrigado pela mensagem, agradeço suas palavras e pode crer que as mesmas ficarão guardadas em meu coração.

  13. Georgia Fima

    26 de fevereiro de 2013 - 14:08 - 14:08
    Reply

    Atire a primeira pedra, quem nunca fez uma loucura pelo seu ídolo…só quem já fez ou tem vontade de fazer compreende perfeitamente a atitude do Clésio Fima e conhecendo como eu o conheço, a intenção foi tão somente de está perto e demonstrar todo carinho e admiração pelo trabalho do cantor Zé Geraldo que ele admira desde a sua adolescência..polêmicas a parte, “Amor de fã ninguém entende, mas a maioria julga!

  14. clesioio fima

    26 de fevereiro de 2013 - 13:46 - 13:46
    Reply

    Hiroshi muito obrigado pelas palavras verdadeiras, fico muito feliz Obrigado mesmo.

  15. Clésio Fima

    26 de fevereiro de 2013 - 11:56 - 11:56
    Reply

    meu caro Luis Sergio Anders Cavalcante, se vc se sentiu ofendido aqui vai minhas desculpas de coração, foi um momento de emoção e a musica que ele tocava na hora me fez lembrar meu filho o qual amarei para sempre…

    • Hiroshi Bogéa

      26 de fevereiro de 2013 - 12:33 - 12:33
      Reply

      Clesio, você não tem que pedir perdão a ninguém. Seu gesto passional apenas revelou o carinho pelo ídolo que se apresentava diante de você. Levado pela emoção de todo fã. O próprio cantor, em entrevista a o UOL, disse que entendeu sua reação. A publicação do post não teve intenção de criminalizar sua atitude, mas registrar o fato. Tenha minha solidariedade, e vá em frente, sem vergonha do que praticou. Foi bonito.

  16. Luis Sergio Anders Cavalcante

    26 de fevereiro de 2013 - 10:27 - 10:27
    Reply

    Acho que foi um “acidente de percurso”, nada mais. Após o susto de um(Fima) e a apreensão do outro(Zé Geraldo) tudo ficou em casa. Como diz o ditado : Cada doido com sua mania. Não correria esse risco. Explico : Na gestão da PMM passada, não lembro a data, teve um show na Orla, denominado Trilogia, com Nílson Chaves, Lucinha Bastos e Mahrco Monteiro. Pouquinho antes do início da apresentação, falei com o Sr. Melquíades Justiniano( então, Secret. Cultura) sobre a minha condição de fã e que se pudesse, gostaria de pessoalmente conhece-los. Educadamente, Melquíades nos conduziu(Pai, filha e neta) e apresentou ao trio, oportunidade em que solicitei e fui atendido, fazendo fotos e por último, tive o DVD original autografado. Fã é assim mesmo; uns mais atirados outros mais comedidos. Em 26.02.13, Marabá-PA.

  17. Paulo Couto

    26 de fevereiro de 2013 - 10:03 - 10:03
    Reply

    É bom que se registre: a história da área Vip foi criada pelo secretário de esportes Gaucho. Tão logo soube o prefeito João Salame mandou liberar a área para o público, que invadiu a quadra muito alegre

  18. Clésio Fima

    26 de fevereiro de 2013 - 09:44 - 9:44
    Reply

    Palavras de Hamilton – PAIXÃO TEM DESSAS COISAS!
    24, fevereiro, 2013
    Eu jamais sairia de casa pra assistir um show do Zé Geraldo, apesar de lhe considerar um bom profissional. Na noite de sábado pra domingo ele se apresentou em Marabá.

    Um amigo, que ainda conheci quando morava em Tucuruí, o Clésio Fima, não satisfeito em só assistir ao show, ainda entendeu de invadir o palco pra abraçar seu ídolo. Ele, o Clésio, parece gostar muito deste artista, só não avisaram ao Zé Geraldo, que talvez pelo susto, tenha empurrado o fã pra longe. Mas, como é negócio entre ídolo e fã, entre ser empurrado pelo Zé Geraldo ou por qualquer um, acho que para o fã foi melhor ter sido empurrado pelo ”ZÉ”. Paixão tem dessas coisas!

    O Clésio ainda deve ser um rapaz comunicativo (quando ele morava em Tucuruí era), e na época, tinha o desejo de se candidatar a um cargo político (acho que ainda tem). Com a situação que seu ídolo o colocou, com certeza, além de Tucuruí e Marabá, hoje, através da internet, o mundo lhe conhece: resta saber se esse conhecimento pode ser transformado, algum dia, em voto. Caso não dê certo em se candidatar, no mínimo ele ficará conhecido como “Aquele que o Zé Geraldo empurrou”.

    Clésio, meu amigo, Deus sabe o que faz: talvez este seja o teu momento.

  19. Clésio Fima

    26 de fevereiro de 2013 - 08:26 - 8:26
    Reply

    Obrigado Gilsin, As suas palavras são de VIBRAÇÕES, e eu Agradeço a Deus por ser assim.

  20. Func.HMM

    25 de fevereiro de 2013 - 20:02 - 20:02
    Reply

    Um Show com um cantor da quallidade de Zé geraldo só poderia ser de casa cheia e a invasão de palco realmente tira o brilho do espetáculo,ainda bem que ambas as partes se entenderam.Más o que se comenta em um outro blog é a polêmica que causou com a sepearação de público a eliate dentro da quadra e o povão nas arquibancadas,na minha humilde opinião pois faço parte do povão esse show teria que ser em praça pública já que era para marcar a abertura do jogos do centenário de nossa querida MARABÁ,tudo bem que os ricos os políticos e assessores entre outros,tivessem um tratamento especial mais não era para tando…!O voto do mais pobre tem o mesmo valor do mais rico.

  21. GIlsim Silva

    25 de fevereiro de 2013 - 17:09 - 17:09
    Reply

    É isso aí Clésio Fima ! Estive no Show , acho que aquele incidente não tirou o brilho daquela noite. Parabéns pela figura que você demostrou ser , transformando o limão em uma Limonada. Abs

  22. Clésio Fima

    25 de fevereiro de 2013 - 14:54 - 14:54
    Reply

    Quero aqui dizer aos amigos sobre a polêmica que se tornou a respeito do Show de Ze Geraldo uma coisa; Agora sim tenho o orgulho de dizer que fiz isso por ser um Fã verdadeiro, e estou me sentindo muito bem. Tem muita gente que me pergunta: ” Se eu me arrependí? Aí eu digo: “A vida é muita curta meu amigo meu compadre meu irmão…escreva sua historia pelas suas propria mãos

  23. Clésio Fima

    25 de fevereiro de 2013 - 14:48 - 14:48
    Reply

    Eu e Ze Geraldo. A História Meu primeiro contato com a música e a poesia do Zé Geraldo deu-se, no início da década de 80, por meio de uma rádio de Tucuruí que tocava constantemente “Milho aos Pombos” e “Cidadão”. Como não poderia deixar de ser, a profundidade das mensagens dessas duas músicas mexeram com a cabeça daquele adolescente cheio de sonhos e ideais, como também, despertou-me o interresse em conhecer pessoalmente o cara que tinha a coragem, em plena ditadura militar, de pronunciar ao vento palavras tão verdadeiras, carregadas com muitas emoções e ideologias.

Leave a Reply to Func.HMM

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *