Hiroshi Bogéa On line

Marabá merece?!

Hilariante, desgraçadamente hilariante, Marabá ter como prefeito por um dia a figura do vereador Hilário – Antônio Hilário (PR).

O caratonha assumiu a administração durante ausência por 24 horas do prefeito Maurino Magalhães e da presidente da Câmara Municipal, Júlia Rosa.

Como o vice-prefeito Nagilson Amoury foge da cruz como também o faz o diabo, restou a opção constitucional do febeapá vereador.

Ele é o mesmo que praticou falta de decoro, publicamente, ao chantagear o prefeito com ameaça de que não votaria favorável a projeto da administração caso o diretor do DMTU (Departamento Municipal de Trânsito Urbano), coronel Antonio Araújo não fosse demitido do cargo.

Motivo?

Minutos antes da votação, na Câmara, o carro do parlamentar, sem documentação e com motorista dirigindo sem cinto de segurança, havia sido  rebocado para o pátio do DMTU.

Hilário exigiu, de pronto, a liberação do veículo e a demissão do competente diretor do órgão.

Claro, o pedido do babaca não foi atendido.

E a Câmara, desmoralizada, por negar-se a instalar processo de cassação do vereador por falta de decoro.

Post de 

7 Comentários

  1. Anonymous

    7 de junho de 2010 - 14:39 - 14:39
    Reply

    Caro Tiago esse não e um caso isolado, e o que mais acontence hoje em dia com todos os politicos incapazes de levar o Brasil adiante com essas atitudes… Não afetara a moral do vereador?? já afetou com certesa… E esse caso nao e caso de perfeição e sim de Moral… E como dizem; a esperança e a ultima que morre, espero acreditar que iremos agradecer por ter o vereador Hilario.

  2. tiago

    7 de junho de 2010 - 01:08 - 1:08
    Reply

    o vereador antonio, foi eleito pelo povo. e como verificamos em pesquisa, esse , é um caso isolado, que não afetará a moral do vereador, quem é perfeito ?
    creio que em pouco tempo iremos agradecer por ter um vereador como o antonio hilário. Assina: tiago wallker.

  3. Anonymous

    31 de maio de 2010 - 00:00 - 0:00
    Reply

    Fiquei triste por saber desse episodio ocorrido com o vereador Antônio Hilário, pois elegemos os nosso vereadores para que lutem a nosso favor e não contra. Espero que o vereador consciência que ele foi eleito para ajudar o povo e não para ser oportunista com o poder que foi para ele delegado.

  4. Anonymous

    30 de maio de 2010 - 00:10 - 0:10
    Reply

    Caro hiroshi, a vergonha não foi so para a câmara, mais para o prefeito que prontamente atendeu a barganha do vereador.Tanto que o carro do vereador foi levado pelos agentes ate a câmara encima do guincho.O fato só não foi mais desmoralizante porque uma vereadora protestou e ameaçou denunciar ao MP.Maraba passa por triste momentos, com este prefeito e vereadores.

  5. Jorge Alves

    27 de maio de 2010 - 16:47 - 16:47
    Reply

    HIroshi,

    Sem demagogia a situação do DMTU x vereador, posso te dizer o seguinte:

    O Agente de Transito nao pode ser arbitrario a ponto de saber que o veiculo é de "a" ou "b" querer ser autoritario que não tem nada a ver com autoridade de transito.

    O Agente tem que ser antes de tudo educador depois autuador pois os mesmos nao tem poder de policia.

    O que aconteceu talvez seria o caso de aguardar alguem que tem habilitação para remoção do veiculo mas, a infração tem de ser anotada. Isto não o exime da culpa de responsabilidade.

    Sem apologias ao Vereador ou ao DMTU, sendo imparcial,para que um veiculo seja rebocado ele tem que obedecer o que está escrito na Lei 9.503:

    Vejamos. O art. 162 dipõe como sansão a apreensão de veículos, para as infrações constantes em tal artigo, conforme retromencionado, contudo, no Capítulo XVII – Das Medidas administrativas, Art. 269, II, da Lei 9.503, de 23Set97, que instituiu o CTB, não se vê , portanto, a "apreensão" como de compentência dos agentes de trânsito, mas apenas a "remoção", in lide:

    "A autoridade de trânsito e seus agentes […] deverá adotar as seguintes medidas: I – Retenção do veículo; II-remoção do veículo; III – …"

    Diferentemente desta situação, verifica-se no Capítulo XVI, – Das penalidades, art. 259, CTB a competência exclusiva da autoridade de trânsito (delegados), para a "apreensão de veículos, conforme Art. 256, IV, CTB, in lide:

    "A autoridade de trânsito […] deverá aplicar, às infrações as seguintes penalidades: I – […]; IV – apreensão do veículo;"

    Assim, não resta dúvida que a competência pra "apreender" veículos é da autoridade de trânsito" e não de seus agentes, aos quais lhe são conferidos, por força do art. 267 do CTB, apenas as medidas administrativas.

  6. um membro da Familia Hilario.

    26 de maio de 2010 - 19:59 - 19:59
    Reply

    Expresso aqui a minha vergonha e chateação… Não por ser um membro da Familia Hilario mais por ser Cidadão brasileiro… São esse tipo de coisa que nos deixa sem perspectivas por um Brasil melhor. E esse episodio não e o primeiro nem será o ultimo entre nossos representantes. O que nos entristece e o nosso Brasil querido estar mais pobre naquilo no âmbito Moral, o povo realmente não merece isto que esta acontecendo. Lamento, pois gostaria de estar aqui elogiando nossas Autoridades, mas não é possível e se o fizesse seria Hipocrisia.

  7. Milton

    25 de maio de 2010 - 19:01 - 19:01
    Reply

    Meu caro Hiroshi.NO caso dos nossos lidimos representantes, especificamente no episodio do vereador Antonio Hilario X DMTU é bom lembrar que eles e elas, compoem uma camara desmoralizada e absolutamente desligada dos interesses da sociedade, com alguns rasgos de bairrismo de quando em vez,tão sem efeito como os requerimentos que normalmente criam os nossos edis e que via de regra vão para o lixo. Fica aqui o comentario:Diga-me com quem tu andas e te direi que és…

Leave a Reply to Jorge Alves

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *