Hiroshi Bogéa On line

Salame adotará “economia de guerra”

 

 

Uma das primeiras batalhas do prefeito eleito João Salame, quando assumir o cargo, em Janeiro, é resgatar o registro de adimplência da Prefeitura Municipal de Marabá junto ao Tesouro Nacional.

O nome de Marabá está inscrito no CAUC (  Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias ), órgão do Tesouro Nacional que tem caráter de informar se um órgão público está ou não devendo prestação de contas ao governo federal.

O CAUC é uma espécie de SPC ou Serasa.

Marabá possui duas restrições no CAUC, estando, portanto, inadimplente para contrair novas linhas de financiamento.

Como o prefeito eleito João Salame já esteve em Brasília tratando de alocar recursos ao orçamento de 2013, com apoio dos deputados federais que lhe darão sustentação em Brasília, a prefeitura de Marabá necessita regularizar-se quanto a prestação de contas de recursos federais recebidos anteriormente.

Esse será  o primeiro desafio do prefeito eleito, além de torcer para que Maurino Magalhães deixe em caixa recursos para o pagamento do 13o salário – situação até agora indefinida, conforme revelam alguns auxiliares do atual prefeito.

Não é por outro motivo que a equipe de transição do prefeito eleito defende o  imediato início dos trabalhos de transferência de informações da atual para o futuro governo municipal, enquanto Maurino Magalhães sugeriu começar a partir de  1o. de dezembro.

“Se as equipes de transição começarem a trabalhar desde agora, teríamos razoável tempo para processar as informações necessárias. Se for apenas a partir do inicio de dezembro, não teremos nem quinze dias, já que na metade do próximo mês, o clima natalino e de festas de final de ano atrapalhará a evolução da coleta  de informações”, explica Luiz Carlos Pies, vice-prefeito eleito integrante da equipe de transição.

João Salame tem revelado a pessoas de seu círculo de amizade que tomará  medidas duras, no início do governo, adotando “economia de guerra” para consertar as contas públicas.

O blog não confirmou a informação, mas o prefeito eleito teria encomendado a análise de uma reforma administrativa sugerindo a fusão de algumas secretarias com intuito de reduzir os custos da máquina pública.

Post de 

7 Comentários

  1. jalila barros tavares

    30 de outubro de 2012 - 14:40 - 14:40
    Reply

    O João Salame é jornalista e sabe a importancia da comunicação no processo democrático.devendo publicar passo a passo a situação caótica dessa prefeitura,pra não correr o risco de dois meses após assumir,ser responsabilizado por todo o desastre administrativo desta cidade que tem sido saqueada há mais de 20 anos.a prova é que Lucídio é cria do Tião.

  2. Sônia do do Socorro Souza Sacramento

    30 de outubro de 2012 - 13:38 - 13:38
    Reply

    Temos que ter muita fé em Deus e esperar que tudo isso seja solucionado pela sua Misericórdia Divina. “Bote fé Que Vai Mudar”

  3. Hermano Duarte

    30 de outubro de 2012 - 12:57 - 12:57
    Reply

    Com certeza, o João Salame vai achar uma situação bem caótica na prefeitura, contudo confio na sua capacidade e boa vontade com relação ao cumprimento de suas propostas, principalmente com relação à recuperação da saúde no município, colocando a mesma pra funcionar, bem como convocando os concursados restantes da saúde, especialmente nós, odontólogos,pois há postos de saúde sem atendimento odontológico, por falta de profissional, mas tendo concursados, como no meu caso, pra serem convocados.

  4. Claudenor Peixoto

    30 de outubro de 2012 - 00:31 - 0:31
    Reply

    Acho que essa equipe de transição tinha que ter começado “ontem”. A gente sabe dos esforços do novo Prefeito eleito João ( ele não deve ser ingênuo) Mas o que se sabe é que esse atual governo ai anda “vendendo a alma pro capeta” ou seja tem muitos metendo a mão ou fazendo o chamdo “gatos” em muitas secretarias. O João precisa abrir o olho e vê que esse prazo que o MAUrino tá pedindo é uma jogadinha ensaiada pra tentar limpar a sujeira que ele tá deixando, ou pelo menos maquiar, é o que se houve nos corredores e bastidores das repartições. Acho que nã podemos cair no mesmo erro do Maurino é hora de atuar, é hora da equipe de transição mostrar a cara até mesmo pra resguardar futuros rolos que estão tentando passar

  5. Anônimo

    29 de outubro de 2012 - 20:36 - 20:36
    Reply

    Foi afastada a Secretária de Finanças. Não conseguiu atender as demandas da pasta, mesmo porque, ela reside em Belém e passa um ou dois dias da semana em Marabá quando despacha normalmente. Muitos dos pagamentos emperrados serão pagos até 6ª feira desta semana.

  6. João Dias

    29 de outubro de 2012 - 17:19 - 17:19
    Reply

    Gestão Administrativa NÃO é CARTÃO DE CRÉDITO.

    Nesses casos, aplica-se a Lei Complementar nº. 101, de 4 de maio de 2000, Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que trata da Gestão Administrativa do Executivo, seja para as despesas do exercício (contingenciamento, limitação de empenhos), seja para o grau de endividamento e, dispõe, ainda:

    A responsabilidade na gestão fiscal pressupõe a ação planejada e transparente, em que se previnem riscos e corrigem desvios capazes de afetar o equilíbrio das contas públicas, mediante o cumprimento de metas de resultados entre receitas e despesas e a obediência a limites e condições no que tange a renúncia de receita, geração de despesas com pessoal, da seguridade social e outras, dívidas consolidada e mobiliária, operações de crédito, inclusive por antecipação de receita, concessão de garantia e inscrição em Restos a Pagar.

    Que o novo prefeito possa resgatar, de fato, a nossa RICA e populosa MARABÁ. Boa sorte joão!

  7. Dario dos Anjos

    29 de outubro de 2012 - 14:13 - 14:13
    Reply

    Tem muito trabalho pro Salame e equipe, é arregaçar as mangas e mãos às obras!!! Boa sorte!

Leave a Reply to Hermano Duarte

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *