Hiroshi Bogéa On line

Desmilinguido Águia

Depois de sagrar-se vice-campeão do Estado apenas pela campanha que fez no 1º Turno do Campeonato Paraense, o Águia desceu a ladeira e corre o risco de espatifar-se de forma irreparável nessa Série C do Brasileiro. Além de perder praticamente todo o time titular, a agremiação encontra dificuldades para contratar jogadores de fundo de quintal.

A direção do clube perdeu o tino. Não sabe qual caminho seguir.

De repente, uma marca que poderia sinalizar bons exemplos ao falido futebol paraense, segue a mesma rota.

Post de 

5 Comentários

  1. Anonymous

    21 de julho de 2008 - 18:38 - 18:38
    Reply

    Ferreirinha também tem crédito no sucesso do Águia. São poucos os abnegados: João Galvão, Ferreirinha e Tarcísio Marques são uns deles. Você não conhece nosso futebol DE PERTO, APENAS DE NOTÍCIAS DE JORNAIS. Ave agourenta, mantenha-se distante dos nossos jogos. Tenho certeza que você vai torcer para o Paysandu na quarta, mas em casa, ouvindoi pelo rádio, pois não tem coragem de ir ao Zinho.

  2. Hiroshi Bogéa

    21 de julho de 2008 - 11:16 - 11:16
    Reply

    10:08 PM, em verdade, não fiz nenhuma pergunta. Constatei um fato que não perde a dimensão com a heróica vitória do time em Bacabal. O crédito deve ser dado aos jogadores que restaram e ao treinador-presidente João Galvão, pessoa que morre pelo’Águia, tamanho o amor que tem pelo clube.
    Tomara o time volte a conquistar vitórias. Sempre torcemos por isso.
    abs

  3. Anonymous

    21 de julho de 2008 - 01:08 - 1:08
    Reply

    A resposta a sua pergunta está no resultado de hoje…rsrsrs. Águia venceu mais uma!!!

  4. Anonymous

    19 de julho de 2008 - 18:50 - 18:50
    Reply

    Também com este noco patrocinador daqui a pouco o time vai ser chamado de mais uma empresa do “grupo 100 marabaense”

  5. Anonymous

    19 de julho de 2008 - 17:37 - 17:37
    Reply

    Cadê os que viraram a cidade de cima para baixo faturando o título do primeiro turno?
    Estão ocupados fazendo campanha?

Leave a Reply to Hiroshi Bogéa

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *