Hiroshi Bogéa On line

Vale qualifica em Itupiranga

As oportunidades de qualificação profissional, por meio do Programa de Preparação para o Mercado de Trabalho, chegaram a Itupiranga, município vizinho a Marabá. Nesta sexta-feira, dia 23, os 700 inscritos nos cursos da primeira fase de capacitação participarão da Aula Inaugural, que será realizada no auditório da Secretaria Municipal de Educação. O programa tem a parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Sistema Nacional de Emprego (Sine), Prefeitura de Itupiranga e Centro de Ensino Técnico da Amazônia (Ceta).

Depois de capacitados nos cursos de pedreiro, ajudante de obras, carpinteiro, ferreiro armador, soldador e eletricista, os profissionais terão mais oportunidades de concorrer às vagas diretas e indiretas de emprego, geradas a partir da implantação da Aços Laminados do Pará (Alpa), em Marabá. De acordo com Adriana Lobo, analista de Recursos Humanos da Vale responsável pelo programa, a ampliação dos cursos para outros municípios contribui para o desenvolvimento de toda a região onde será instalada a siderúrgica. “Itupiranga é o primeiro município vizinho a Marabá que recebe os cursos de qualificação, o que representa um passo importante para o acesso às oportunidades de emprego geradas pelo empreendimento”, explica.

Realizado também em Marabá, o Programa de Preparação para o Mercado de Trabalho iniciou suas atividades em janeiro de 2010. Até o momento mais de 400 pessoas já concluíram os cursos oferecidos e outras 400 participam das 23 novas turmas em andamento até julho, quando será concluída a primeira etapa do programa. Em Canaã dos Carajás, o programa inicia sua primeira etapa oferecendo os cursos de ajudante de obra civil, motorista de caminhão basculante, pedreiro, ferreiro armador e carpinteiro. As oportunidades de emprego no município serão geradas com a implantação do Projeto Ferro Carajás S11D.
Fonte: Ascom da Vale
Post de 

3 Comentários

  1. Getúlio

    2 de janeiro de 2016 - 09:56 - 9:56
    Reply

    A alpa deveria ser instalada em itupiranga. Falta bom senso e força política da classe política de Marabá e Itupiranga, respectivamente. O pedral é uma barreira natural que impede a navegação e deve ser considerado os impactos ambientais de sua derrocada. Economicamente é mais viável que hidrovia aconteça para o bem do emprego. A alpa já teria sido ativada se estivesse em itupiranga. Essa ação tal obvia eliminaria os altos custos do pedral, haveria investimentos na infra-estrutura viaria entre Maraba e itupiranga, geraria milhares de empregos em ambos os municípios, o polo industrial de Marabá retomaria suas atividades do ferro gusa e a região como um todo evoluiria. Falta de inteligência e soluções concretas sem vaidade concertam o pais.

  2. Anonymous

    26 de abril de 2010 - 12:23 - 12:23
    Reply

    Hiroshi meu irmão,sem brincadeira,falo porque conheço; em termos de "QUALIFICAÇÃO DE MÃO DE OBRA"gente comprometida com trabalho,que vista a camisa da empresa e que honre a remuneração que recebe; tem muito,mas muito pouco mesmo, em Itupiranga. Não é preconceito,é coragem de falar uma verdade.Me desculpem …

  3. www.ribamarribeirojunior.blogspot.com

    23 de abril de 2010 - 21:28 - 21:28
    Reply

    Os engenheiros vem de Minas, São Paulo e do Rio

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *