Hiroshi Bogéa On line

Sindicato dos Jornalistas publica nota contra acusações de Joaquim Campos

O Sindicato dos Jornalistas do Pará (Sinjor-PA), divulgou nota de repúdio contra o vereador Joaquim Campos (MDB), que usou as redes sociais para acusar a assessoria de imprensa do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de fazer montagem de documentação sua e de seu filho, Gaspary de Oliveira Campos, que atropelou um ambulante em Salinópolis, na noite da sexta-feira, 13.

Os agentes de fiscalização de trânsito e os policiais flagraram inúmeras latas de cervejas já consumidas no carro dirigido por Gaspary, que foi detido embriagado e no dia seguinte obteve habeas corpus pelo desembargador plantonista do Tribunal de |Justiça do Estado, Leonam Gondim da Cruz.

A nota do Sinjor assegura que o Joaquim Campos foi desrespeitoso com a jornalista Cristiani Sousa, Coordenadora de Comunicação e Assessoria de Imprensa do Detran.

O vereador gravou um vídeo, proferindo ofensas contra a assessora.

“Mesmo não tendo identificado a  jornalista em seu vídeo, citou o cargo e o órgão onde ela trabalha, ou seja, na prática, o vereador dirigiu todo o seu desrespeito à assessora do órgão”, divulgou a entidade.

“Na noite da última sexta-feira, 13, infelizmente mais um crime de alcoolemia foi registrado pelas nossas equipes de fiscalização no trânsito no município de Salinópolis.

Para atender às primeiras demandas da imprensa por informações do caso, me dirigi até a delegacia do município para obter as informações corretas e prestar o atendimento, que é minha obrigação na condição de assessora de imprensa, presente no município a trabalho, como tenho feito nos finais de semana deste mês de julho, divulgando as ações de educação e fiscalização do Detran em um dos locais com a maior aglomeração de pessoas durante o verão paraense.

Na delegacia fiz o meu trabalho jornalístico como qualquer profissional ético faria.

Entrevistei a vítima e fotografei a lesão no braço, sem identificá-la. Em nenhum momento induzi o vendedor ambulante, vítima do atropelamento, a falar qualquer coisa que denegrisse a imagem do acusado pelo crime de trânsito, e os áudios da entrevista comprovam isto.

Inclusive, perguntei a ele se era de acordo com as ações preventivas e de fiscalização realizadas pelo Detran e pelo Sistema de Segurança como um todo, e ele foi enfático ao responder, dizendo concordar com a fiscalização.

A pergunta foi feita a ele porque, mais do que o simples trabalho de cobertura, acredito que mostrar os riscos destas ocorrências ajudam a conscientizar a população do quanto as medidas educativas e de fiscalização são importantes na redução das causas de acidentes como o sofrido pelo vendedor.

“Digo apenas que se a vida de seu filho esteve em risco, isto deve ter ocorrido bem antes dele ter sido preso em flagrante por lesão corporal, quando ainda trafegava pelas ruas de Salinópolis, sob efeito de álcool, situação confirmada no exame de verificação de alcoolemia, que constatou um índice alcoólico 4 vezes acima do permitido. E este jovem infelizmente não arriscou só a própria vida, mas também a de outras pessoas. Ao fazer meu trabalho de apurar as informações asseguro que ele não correu nenhum risco dentro do Sistema de Segurança, onde recebeu o tratamento dado a todos os cidadãos na delegacia, o que logo foi presenciado por um tio do acusado e seu advogado, que estiveram na delegacia para acompanhar todos os procedimentos”, profere a nota, assinada pelo Sinjor e pela jornalista, que assessora o Detran, Critiani Souza.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *