Hiroshi Bogéa On line

Serra Pelada, entre o inferno e o purgatório

 

O poster tem uma posição histórica em relação ao futuro de Serra Pelada, algumas vezes reiterada aqui: ali não tem solução.

Os interesses, invariavelmente escusos, de supostas “lideranças”, jamais permitirão uma solução definitiva – e satisfatória -, para os imbróglios recorrentes.

Outra vez, a bagunça local se evidenciou, quando a mineradora Colossus investiu em todos os meios de comunicação pedindo “socorro” para uma anunciada invasão do local onde a empresa canadense implanta projeto de mecanização da mina de ouro.

Ao denunciar a operação-invasão, que não se concretizou,  a Colossus  conseguiu  atrair a  atenção das autoridades, reacendendo a velha chama beligerante que sempre marcou a relação em Serra Pelada.

Os chamados “líderes” do garimpo, sabemos, não valem o que o  gato enterra, apropriando-se de expressão de nossos avós.

São velhos conhecidos da  tática da sabotagem e dos atos de violência caracterizadores da vida garimpeira.

Essa empresa canadense, não fica muito atrás, embora use o poder econômico para fazer valer seus interesses, construindo imagem de grupo socialmente comprometida com os moradores pobres da vila.

Não é nada disso.

Sujo falando do mal lavado.

A Colossus, desde sua chegada ao distrito de SP, assentou o futuro dos investimentos de mecanização do garimpo num contrato eivado de vícios, a começar pelo que sobra para os garimpeiros.

Há suspeitas, inclusive, de que, ao fim e ao cabo, o fundo do tacho será raspado sem que os garimpeiros verdadeiros tenham direitos assegurados.

Portanto, deixando de lado a sempre oportunista presença de políticos na área (os “guardiões” da vez foram os deputados Wandenkolk Gonçalves e Arnaldo Jordy), no meio desse angu não tem santo.

Nem “empresa cidadã”, como a Colossus tenta fazer crer.

—————-

Atualização às 08:20

 

Só para reforçar o texto acima.

A Colossus fez chegar à imprensa, entre tantas notas veiculadas nos últimos dias, comunicado -, dando conta de que “forças policiais do Estado do Pará inibiram a tentativa de invasão ao projeto Serra Pelada” (no domingo).

Num parágrafo da nota, a canadense explicita acusação contra os dois deputados federais paraense.

Diz:

A tentativa de invasão, anunciada de forma pública antecipadamente e fortalecida em audiência no último dia 16 de agosto, teve apoio parlamentar dos deputados federais Arnaldo Jordy (PPS) e Wandenkolk Gonçalves (PMDB). A organização foi feita por grupos garimpeiros não reconhecidos pela Justiça do Pará como dirigentes da cooperativa sócia do projeto.”

Ora, ora, ora, senhores canadenses!

Serra Pelada é esse caldeirão de violência exatamente por falta de exatidão da Justiça do Pará,  pelo uso absurdo do garimpo como bandeira político de uns e outros, e   omissão dos governos estadual e federal.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *