Hiroshi Bogéa On line

Sentindo o chão

É assim, o coração de quem nasceu sombreado por florestas, rios, animais e águas.

Estórias que João Caetano escreveu e canta em “Meu Coração”.

Adoro pegar a estrada. Ver lugares novos. Mas nunca fui turista.

Sou um viajante.

O turista não encara a intensidade dos lugares desconhecidos, o cheiro das coisas e gentes, demasiado assustador para ser real.

Ele não está interessado na poesia do cotidiano, incapaz da análise profunda dos fenômenos. Tudo é feito às pressas, sem entrega total, como se estivesse diante de uma série de ocos cartões-postais.

O viajante apalpa, respira e canta o chão que pisa.

Post de 

2 Comentários

  1. Hiroshi Bogéa

    27 de julho de 2008 - 18:27 - 18:27
    Reply

    Realmente, “uma bela saia levada pelo vento”, que você sabe também sentir e ver.
    Beijos, Cris.

  2. Cris Moreno

    27 de julho de 2008 - 17:04 - 17:04
    Reply

    O viajante faz parte da paisagem e o turista é visitante desta paisagem. Lindo, você, menino. Que música profunda, tanto quanto o texto. Uma bela saia levada pelo vento.

    Beijos.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *