Hiroshi Bogéa On line

Psiquiatra agride senhora em seu consultório, depois de negar-se atender paciente

 

O médico Hermes Mariano de Almeida Prado, com especialidade em psiquiatria, está sendo acusado de ter agredido a uma senhora, na recepção de seu consultório, no 4º andar do edifício AMAZON Center,.

O fato ocorrera por ocasião do retorno de uma paciente do acusado, a sobrinha de Maria Ivo (senhora agredida), levada pela mãe sob condição de retorno, para o médico avaliar a situação clínica da paciente, depois da primeira consulta.

Ao chegar no consultório, na tarde daquele dia, o médico negou-se a atender a jovem paciente, alegando que em seu consultório “o retorno também é cobrado a metade do valor da consulta”.

Dias antes de seu retorno, a mãe da moça pagou R$ 400,00 pela consulta.

Portanto, o médico exigia o pagamento também de R$ 200,00.

Ao ser perguntado se podia receber o pagamento do valor através de cartão de crédito, “já que eu não estava sabendo que teria a obrigação de pagar pelo retorno”, disse a mãe), Hermes Mariano disse que não.

A mãe então pediu a ele um voto de confiança, ao garantir que na segunda-feira seguinte depositaria em conta bancária os R$ 400,00.

O psiquiatra também disse não, exigindo pagamento à vista.

Desolada, a mãe retirou-se, escorraçada do consultório.

Enquanto dirigia-se para apanhar o elevador e descer do 4º andar, sua filha começou a ter transtornos, debelando-se contra a genitora, que tentava acalmá-la, próxima aos elevadores, num hall  do prédio.

A forma agressiva como o médico as tratou deve ter contribuído para a moça desesperar-se, e começar a falar alto e gritar nos corredores.

Imediatamente, a senhora fez uma ligação para a cunhada, Maria Ivo, pedindo ajuda.

Minutos depois, Maria já estava no prédio.

Após tomar conhecimento do ocorrido, e ao ver a situação desesperadora da sobrinha se debatendo nos braços da mãe, , Ivo  andou alguns passos até o consultório, para saber do médico as justificativas que ele tinha para se negar atender a jovem.

Consultório de Hermes Mariano de Almeida Prado no 4o andar do Amazon Center
Consultório de Hermes Mariano de Almeida Prado no 4o andar do Amazon Center

A senhora entrou no consultório com o gravador de vídeo do celular ativado, colocando em direção ao médico.

– Doutor, por que o senhor se negou a atender uma jovem que está ali no corredor, ela é minha sobrinha, tudo é questão de dinheiro?, perguntou Maria Ivo

(Conversando comigo em sua casa, na tarde de quarta-feira, 29, Maria Ivo disse que usou o recurso da gravação para documentar um fato que ela considera grave: a forma desrespeitosa como um profissional trata pacientes).

Ao ver o celular na mão de Maria em sua direção, o médico peguntou se ela estava gravando a conversa.

A senhora confirmou a gravação.

Como um animal, Hermes Mariano de Almeida Prado avançou em direção da interlocutora, dando-lhe violento tapa.

Em seguida, arrancou-lhe o celular da mãe, agredindo-a com um lado do aparelho.

Posteriormente, o médico trancou-se por uns cinco minutos em sua sala, retendo o celular de Maria, enquanto na recepção pacientes que aguardavam hora de atendimento saiam em debandada, assustadas com o comportamento anormal do dono do consultório.

Uma das pessoas que testemunhou a agressão, registrou em seu perfil do Facebook a indignação com a selvageria do psiquiatra.

Leiam abaixo

 

 

 

DESABAFO!! Nesta sexta feira passada, presenciei uma cena muito triste e humilhante, situação essa causada por um médico de nossa cidade, que agrediu fisicamente a tia de uma paciente que estava em crise dentro de seu consultório, o mesmo negou atendimento por que a acompanhante não tinha dinheiro em espécie, para pagar a consulta de retorno, sendo que a primeira consulta tinha sido feita 8 dias atrás, e ele não trabalha com cartão, nem débito, nem crédito. A tia foi questionar com ele o motivo que estava levando ele a agir de tal forma, ao mesmo tempo a mesma gravava a conversa, quando ele percebeu que estava sendo gravada toda a conversa, do nada deu um tapa violento no rosto da mesma. Foi acionada polícia, e seguiram para a delegacia, foi acionada duas emissoras de TV para fazer a matéria e levar ao ar, para que toda população ficasse conhecendo o agressor médico e não passassem pela mesma situação que a mesma. Ontem fiquei ligada na TV no horário do jornal local de nossa cidade, sempre mudando de canal, pois estava confiante que a matéria iria ao ar. Pois bem, não sabendo o motivo, as emissoras não levaram a matéria ao ar. Fica a pergunta, será por que? acreditei que fossem emissoras sérias, que nada as impedissem de usar de sua ética profissional. Más estou certa que a Justiça de Deus irá lhe dar a punição cabível, pois essa é a unica justiça que podemos confiar, ela tarda, más nunca falha….Confio em ti senhor!!

Quando abriu a porta de seu consultório, na recepção, Hermes Mariano de Almeida Prado entregou o celular à vítima, sem a parte da gravação da agressão.

O que se deduz?

Os minutos usados por ele de porta trancada foram para deletar o vídeo que comprovaria o tapa e a pancada com o celular, no rosto de Maria.

Só que o rosto da senhora ficou marcado, devido a agressão.

Observem fotos abaixo.

Agressão 2

Agressão

 

A agressão gerou boletim de ocorrência.

Na delegacia de polícia, ouvido pela autoridade de plantão, o médico confirma que agrediu Maria Ivo.

Observem bem quando ele confirma seu ato tresloucado, no vídeo abaixo.

 

Maria Ivo foi submetida a exame de corpo de delito, no IML.

Expectativa, agora, é sobre o teor do relatório desse exame.

O médico, diante do crime por ele praticado em seu consultório, contratou advogados, e já entrou com queixa crime contra Maria Ivo.

A velha tática de atacar, para se defender.

Ele insinua que o agredido foi ele, ao mesmo tempo em que esquece da confissão da agressão,  em vídeo gravado, e do gesto desumano de negar-se atender uma paciente que já estava sob seus cuidados.

As pessoas buscam ajuda psiquiátrica por muitas razões. As diversas questões que envolvem a vida podem tornar-se avassaladoras. As relações podem tornar-se problemáticas.

Isso certamente está ocorrendo na vida da jovem.

E o médico Hermes Mariano de Almeida Prado sabe muito bem disso.

 

Familiares da jovem temem que o psiquiatra use sua influência para “alterar” os rumos do exame.

Para eles, essa influência começou a partir da não veiculação, em duas emissoras de TV locais, de reportagens feitas na delegacia, registrando o fato.

“Estranhamente, as matérias não foram publicadas”, diz um dos tios da jovem.

Maria Ivo também contratou advogados.

“Nós não queremos saber de indenização, nada disso. Queremos que a Justiça faça uma pessoa como esse médico deixar de clinicar, porque ele é um mal para as comunidades. Minha cunhada é do bem, sua filha passa por momento de grande dificuldade, não custava nada ele esperar que o depósito referente ao valor do retorno fosse feito na segunda-feira como ela propôs. Se houvesse maldade nas intenções dela, minha cunhada não teria proposto pagar os R$ 400,00 através do cartão, em seu poder naquele momento. Só não dava para pagar em dinheiro, já que ela não tinha levado esse valor, por desconhecer a cobrança do retorno”, desabafa Maria

O blog vai acompanhar esse caso de perto, inclusive de olho no laudo do IML.

Maria Ivo conta ao blog o terror vivido na clínica psiquiátrica de Hermes Mariano de Almeida Prado
Maria Ivo conta ao blog o terror vivido na clínica psiquiátrica de Hermes Mariano de Almeida Prado
————————-
Atualização às 16:57
Ao contrário do anunciado acima, a  gravação do vídeo foi feita no próprio consultório do médico agressor, após a chegada da polícia no local.
Post de 

23 Comentários

  1. hugo

    21 de maio de 2018 - 15:06 - 15:06
    Reply

    esse médico é um fudido, por sorte dele, a sua secretária foi questionar por mim um laudo que ele havia me dado dias antes, a resposta dele foi “se ele tiver achando ruim, que procure um psiquiatra particular”. isso foi no CAPS, eu digo que foi “por sorte dele”, pois se ele tivesse falado isso na minha frente e de minha mãe, ele teria a fuça toda arrebentada, safado, viado de uma figa!

  2. ROSEMARA LAMOUNIER

    22 de fevereiro de 2016 - 20:31 - 20:31
    Reply

    ALEM DESSE MEDICO,EXISTEM AINDA VARIOS COMO ELE,QUE AGRIDEM,E NAO ACONTECEM NADA.PORQUE PENSAM QUE SAO DEUSES,E O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA OS PROTEGEM.

  3. Beltrano

    1 de junho de 2015 - 16:32 - 16:32
    Reply

    O Médico é filho de um empresário de Marabá,
    que desembolsou uma graninha para a noticia não chegar em nenhuma emissora de tv, e nem em jornais.
    O Pai empresário enviou o médico para os Estados Unidos, para que permaneça por lá até que as coisas se acalmem.
    Sou intimo da família do médico, por isso sei de tais informações.
    Sinto muito pelo que ocorreu com a senhora que foi agredida, mas a realidade é que o pai rico não deixará nada ocorrer com o filho.

  4. kaprãn

    8 de maio de 2015 - 23:39 - 23:39
    Reply

    Já expressei minha opinião, não defendo ninguém, o correto é apurar com rigor o ocorrido, e agressão não se justifica. O melhor seria ter atendido e na próxima consulta ,fazer o devido acerto. Me informei sobre a posição do CRM , o órgão só agirá mediante denúncia feita por escrito , na delegacia do conselho, que fica na Cidade Nova . A partir daí, as partes são ouvidas e s for o caso, as punições vão desde repreensão sigilosa até cassação do direito de exercer a medicina. Repito , apuração rigorosa.

  5. Fran

    5 de maio de 2015 - 08:51 - 8:51
    Reply

    “Um indivíduo consegue hoje um diploma de curso superior sem nunca ter
    aprendido a comunicar-se, a resolver conflitos, a saber o que fazer com a raiva e
    outros sentimentos negativos” (Carl Rogers)

  6. MARIA NILDES BATISTA SILVA

    4 de maio de 2015 - 10:20 - 10:20
    Reply

    Bom dia!
    Estou indignada com a postura desse médico. Sugiro que a família vitimada leia a resolução 1.958/2010 do Conselho Federal de Medicina, a qual diz que os retornos médicos não devem ser cobrados.
    É lastimável que profissionais mercenários e desequilibrados como esse continuem clinicando em nossa cidade.

  7. Obimp

    4 de maio de 2015 - 10:03 - 10:03
    Reply

    Médico é proibido de cobrar por retorno
    O retorno depois da primeira consulta não pode ser cobrado, de acordo com resolução do Conselho Federal de Medicina
    Os médicos estão proibidos de cobrar por retornos quando se trata da continuidade da primeira consulta (entrega de resultados de exames, por exemplo).
    Os planos de saúde, por sua vez, não podem impor prazos de intervalo entre as consultas com o mesmo especialista. Hoje, a maioria deles veta ou não reembolsa uma segunda consulta feita no mesmo mês da primeira.
    As novas determinações constam em resolução do CFM (Conselho Federal de Medicina) publicadas ontem no “Diário Oficial da União”.
    A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) não estabelece o prazo que deve haver entre uma consulta e outra. Também não proíbe a operadora de definir isso.

    Leia a integra da Resolução abaixo:
    RESOLUÇÃO N. 1958 de 15/12/2010.
    A Resolução n.º 1958 de 15/12/2010, emanada pelo Conselho Federal de Medicina – CFM, publicada no Diário Oficial da União de 10/01/2011 .
    Seção 1 estabelece normas e critérios sobre a cobrança de retorno dos pacientes às consultas.
    A briga se desenrola há anos, vez que vários convênios não reembolsam as consultas de retorno,
    outros impõem prazos para tais.
    A Agência Nacional de Saúde não fixa prazos e também não proíbe que as operadoras os estabeleçam.
    A idéia é a de que para as operadoras que fixarem prazos de retornos, os seus diretores médicos venham a ser processados por infração ética.

    Eis a íntegra da Resolução

    “Art. 1º Definir que a consulta médica compreende a anamenese, o exame físico e a elaboração de hipóteses ou conclusões diagnosticas, solicitação de exames complementares, quando necessários, e prescrição terapêutica como ato medico completo e que pode ser concluído ou não em um único momento.
    § 1º Quando houver necessidade de exames complementares que não possam ser apreciados nesta mesma consulta, o ato terá continuidade para sua finalização, com tempo determinado a critério do médico, não gerando cobrança de honorário.
    § 2º Mesmo dentro da hipótese prevista no §1º, existe a possibilidade do atendimento de distinta doença no mesmo paciente, o que caracteriza novo ato profissional passível de cobrança de novos honorários médicos.
    Art. 2º No caso de alterações de sinais e/ou sintomas que venham a requerer nova anamenese, exame físico, hipóteses ou conclusão diagnostica e prescrição terapêutica o procedimento deverá ser considerado como nova consulta e dessa forma ser remunerado.
    Art. 3º Nas doenças que requeiram tratamentos prolongados com reavaliações e até modificações terapêuticas, as respectivas consultas poderão, a critério do médico assistente, ser cobradas.
    Art. 4º A identificação das hipóteses tipificadas nesta resolução cabe somente ao médico assistente, quando do atendimento.
    Art. 5º Instituições de assistência hospitalar ou ambulatorial, empresas que atuam na saúde suplementar e operadoras de planos de saúde não podem estabelecer prazos específicos que interfiram na autonomia do médico e na relação medico – paciente, nem estabelecer prazo de intervalo entre consultas.
    Parágrafo único – Os diretores técnicos das entidades referidas no caput deste artigo serão eticamente responsabilizados pela desobediência a esta resolução.
    Art. 6º Revogam-se todas as disposições em contrário.
    Art. 7º Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação.”
    Fonte:
    http://www.procon.sc.gov.br/index.php/component/content/article/96-bannersright/163-medico acesso 04 mai 2015 às 10h00min

  8. Andre Figueiredo

    3 de maio de 2015 - 20:59 - 20:59
    Reply

    Se essa senhora tivesse algum grau de parentesco comigo eu, itia mostrar pra psiquiatra doido como se bate.

  9. Mirtis

    3 de maio de 2015 - 18:30 - 18:30
    Reply

    Não podemos deixar pra la, temos denunciar sim. Colocar nas redes sociais, comentar…divulgar falar para amigos….
    Na sua posição de médico (pelo menos se diz),
    lida com pessoas sensiveis tem que haver mais compreensão que todos ali (bom senso, sensibilidade, respeito pela condição do outro…)
    Tem que responder judicialmente sim!

  10. Mirtis

    3 de maio de 2015 - 18:16 - 18:16
    Reply

    Será que é o mesmo???
    Psiquiatra de Hermes Mariano de Almeida Prado
    Endereço de atendimento
    Rua Batuira, 400
    Assuncao – São Bernardo do Campo/SP
    CEP: 09861-550
    Telefone(s): 43442222 (Mencione o catalogo.med.br quando ligar.)

    • Maria Nelia

      5 de maio de 2015 - 09:37 - 9:37
      Reply

      Bom dia Mirtis. Hermes Mariano Almeida Prado. Atende em Marabá Pará. Desequilibrado, não tem respeito nenhum por seus pacientes. Tem que ser punido

  11. Marcus

    3 de maio de 2015 - 11:44 - 11:44
    Reply

    O Hiroshi, bem que você poderia conversar com as emissoras de TV pra ver o por que das reportagens não terem sido divulgadas. Abraço

  12. Apinajé

    2 de maio de 2015 - 17:08 - 17:08
    Reply

    já dizia um provérbio chinês:”toda história tem três verdades,a minha,a sua e a verdadeira”
    vamos deixar para justiça mediar esse conflito.

    • Elem

      4 de maio de 2015 - 19:25 - 19:25
      Reply

      Oi Apinajé! Em neste caso, é obvio e claro q ñ existe 3 historias, se ñ a verdadeira. No video gravado mostra claramente como as sido tudo ñ??? Contra fatos, ñ há argumentos. Por favor…

      • Apinajé

        5 de maio de 2015 - 13:09 - 13:09
        Reply

        agrediu!perdeu a razão,o que eu quero dizer é:alguma coisa que ainda não está claro serviu de centelha para essa explosão ainda não justificada.

  13. casemiro

    2 de maio de 2015 - 12:07 - 12:07
    Reply

    Sem palavras!!! Que história mais bizarra. Essa é a mais pura falta de bom senso. Eu entro nos comércios, cartórios, repartições públicas e grandes empresas, e o que se vê são clientes e atendentes ignorantes e sem nenhum bom senso. As pessoas deveriam perceber quando elas estão sendo ridículas. Ao médico coube 99% da falta de bom senso, porque ele sabe que os pacientes que o procuram na maioria dos casos tem problemas mentais ou algo do tipo, logo ele deveria ter um cuidado todo especial ao explicar a situação para o paciente. Mas se mostrou completamente desequilibrado. Será que durante seu curso ninguém lhe preparou para as situações adversas que a sua profissão lhe reservaria? Talvez ele seja um despreparado mesmo ou talvez a universidade que forma profissionais cada vez mais despreparados seja a culpada. Mas repito, é uma situação completamente bizarra.

  14. Wanderley Mota

    1 de maio de 2015 - 08:46 - 8:46
    Reply

    SE FOSSE AQUI EM PARAUAPEBAS ESSE “TRUCULENTO” IA VER O QUE É BOM PRA TOSSE, A IMPRENSA AQUI NÃO DÁ MOLEZA,E AINDA SE DIZ PSIQUIATRA “Ô DOIDO” KKKKKKKKK

    • Maria Ivo

      5 de maio de 2015 - 14:26 - 14:26
      Reply

      E isso ai Wanderlei Mota, vcs da impresa são a voz do povo e devem ser dignos desse privilégio. Um abraço!

  15. eraldo seabra

    1 de maio de 2015 - 06:07 - 6:07
    Reply

    olha que conheci esse rapaz levando o Tio dele em uma consulta no hospital da Climec, e ele falando que estudou nos estados unidos, entre outras coisas, filho de uma das pessoas mais correta dessa cidade, que eu conheço, agora vem com uma dessa, pelo amor de Deus, quem precisa de Médico e ele e não a paciente

  16. Marcos Lima Câmara

    30 de abril de 2015 - 22:12 - 22:12
    Reply

    Além de estúpido, grosseiro e mercenário, ele é mentiroso. Cadê o Conselho Regional de Medicina? Outra coisa: lamentável que as emissoras de TV (era bom dar os nomes delas) tenham silenciado diante de um caso grave desse. Maria da Penha é o que ele merece.

  17. Cris

    30 de abril de 2015 - 22:11 - 22:11
    Reply

    Não vou nem comentar a questão das emissoras porque a omissão parte da única justificativa “Quem manda é o dinheiro”. Agora quanto ao medico agressor, esse lida com emoções humana e deveria ter conduzido à situação com ética e principalmente dignidade, tal ação o colocou em uma posição lamentável perdendo a razão e ainda agredindo uma mulher, que na condição de homem é inadmissível, por se falar tanto em violência contra a mulher.
    Fico indignada com uma sociedade corrupta e sem escrúpulos e fico ainda mais chocada por profissionais como esses se acharem no direito de causar traumas em pacientes, uma vez que ele está ali para exatamente tratar essas patologias.
    Fica a pergunta será que esse mundo tem jeito meu Deus? cadê os valores da família, a estrutura da sociedade está totalmente quebrada e a confiança desconstruída.
    Agora ele está em uma situação de descrédito total pelos outros pacientes que presenciaram o terror da situação, a Maria totalmente abalada e com um ferimento causado pelo médico que sem dúvida as marcas deixadas vão além das físicas, a criança sem o devido atendimento, e resumindo ninguém ganhou nada pelo contrário, houve perdas irreparáveis de um fato que não se apaga da memória das pessoas envolvidas.

  18. kaprãn

    30 de abril de 2015 - 14:16 - 14:16
    Reply

    Sabe-se que deve ter havido insultos verbais ao médico na frente dos pacientes e na contra partida houve o “trôco” por parte do facultativo , na mesma proporção. À partir daí perdeu-se o controle da situação , e à se confirmar a lesão corporal na reclamante , o médico perde toda a razão pois nada justifica o ato. Complicada essa situação , faltou habilidade e experiência ao profissional, pra evitar tudo isso.

    • Maria Ivo

      5 de maio de 2015 - 09:44 - 9:44
      Reply

      Prezado Kapran, te asseguro q não houve nenhum tipo de insultos. Ele como não tem outra coisa para se defender esta mi acusando disso. Mas no primeiro momento q ele falava c os policias ele confessava q realmente me agrediu, mas não disse nada q eu tinha injuriado ele..apenas queria explicação da falta de atendimento dele..ele foi instruído pelo advogado e passou a mudar a história. Um abraço Kapran.

Leave a Reply to Maria Ivo

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *