Hiroshi Bogéa On line

Projetos prioritários da Unifesspa devem ter apoio da bancada paraense em Brasília

A Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) vem registrando importantes avanços no ensino, pesquisa e extensão. Apesar dos cortes e restrições orçamentárias impostas às instituições federais de ensino superior de todo o país, a Unifesspa cresceu em número de cursos ofertados, em espaço físico e vem ampliando significativamente seu quadro efetivo de servidores. Foi a universidade no país que mais recebeu vagas para concurso em 2017.

Para o reitor da Unifesspa, Maurílio Monteiro, os avanços são resultantes do esforço institucional e, principalmente, do apoio e reconhecimento da sociedade sobre o papel da Universidade na região sul e sudeste do Pará. Segundo ele, o apoio da bancada federal paraense aos pleitos da Unifesspa junto ao Ministério da Educação e do Planejamento, tem sido fundamental.

Após uma mobilização intensa, em Brasília, encabeçada pela Unifesspa, os parlamentares aprovaram uma emenda de bancada na LOA 2018 destinada à educação superior, beneficiando a Unifesspa e demais instituições federais de ensino superior da Região. Na última semana, o reitor da Unifesspa participou de novas audiências com deputados e senadores, ocasião em que apresentou os projetos prioritários para 2018, visando a consolidação dos campi da Unifesspa.

Entre os projetos estruturantes apresentados que necessitam de liberação de recursos estão: as obras do Galpão de Laboratórios do Campus de Santana do Araguaia, campus que deverá receber o curso de Engenharia Civil ainda este ano; a primeira etapa do Complexo de Saúde e Reprodução Animal, no Campus de Xinguara, atendendo, essencialmente, o curso de Medicina Veterinária; a conclusão do Bloco que abrigará o Campus de São Félix do Xingu; a construção do Centro de Cidadania e Empreendorismo da Unifesspa, no Campus de Rondon do Pará; a conclusão do Galpão de Artes e Logística do Campus de Marabá e, ainda, recursos para as obras de urbanização, construção do muro e pórtico de entrada da Unidade III do Campus de Marabá.

O reitor sensibilizou, ainda, os deputados sobre a necessidade de liberação de recursos de investimento para a conclusão do prédio multiuso de cinco pavimentos da Cidade Universitária do Campus de Marabá, considerada a maior obra de educação do estado do Pará, além de descentralização de recursos de custeio no valor de R$3 milhões para a Unifesspa.

Durante as audiências, o reitor Maurílio Monteiro agradeceu o empenho dos parlamentares para a liberação de códigos de vagas para professores e técnicos, viabilizando a realização de concurso público, parabenizou também o esforço para a aprovação da emenda impositiva e soliticou esforço adicional dos representantes paraenses para que haja a liberação dos recursos desta emenda para a Unifesspa.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *