Hiroshi Bogéa On line

Polícia investiga se estava embriagado condutor da lancha que caiu no rio e deixou sozinha criança de 3 anos na embarcação desgovernada

Autoridades de Santarém iniciaram investigação para esclarecer as razões que levaram o piloto de uma lancha a cair no rio Tapajós, deixando uma criança de 3 anos dentro da embarcação cerca de 50 minutos, sozinha,  até ser resgatada por pescadores e outras pessoas que passavam pelo local em outros barcos.

Era para ser apenas um passeio no rio, mas por pouco não aconteceu uma tragédia. Uma criança de 3 anos ficou sozinha dentro de uma lancha desgovernada após o piloto da embarcação cair no Rio Tapajós, , no oeste do Pará.

O incidente aconteceu por volta das 18h30 de terça-feira (1º), próximo à Praia Maria José, em Santarém.

A menina estava acompanhada de um adulto (piloto) e uma criança de 5 anos, além de outra pessoa que estava em uma boia rebocada pela lancha, no momento do incidente.

Após uma manobra, o piloto perdeu o controle e caiu na água. Minutos depois a outra criança também caiu no rio.

As vítimas que foram logo resgatadas foram o piloto e a criança de 5 anos.

O adulto que ia na boia, logo após a lancha perder o controle, nadou cerca de 400 metros para a margem da praia.

Para o professor e servidor federal Roberval Santos, a operação de resgate parecia que não teria fim tamanha a angústia que todos sentiam vendo a menina sozinha. Ele estava em um barco e passava pelo local.

“Estávamos voltando para Santarém e nessa hora o nosso barco foi chegando próximo. A lancha já estava há alguns minutos girando. Ficamos jogando cordas no rio para ver se travava a hélice, daí chegou outro barco e tentou jogar cordas mais perto”, disse o servidor.

Após acionarem a Capitania Fluvial de Santarém, outra lancha com bombeiros civis prestou auxílio à operação de resgate. As cordas prenderam e travaram o motor.

 

“A criança ficou todo tempo segurando em um dos bancos, atracou e não soltou. Ela teve um instinto para ficar segurando, coisa que poucas crianças têm com essa noção de perigo. Tinha horas que a lancha parecia que ia virar, ela não soltou. Foi angustiante”, contou

 

Todas as pessoas que estavam na lancha usavam coletes salva-vidas. Roberval salientou que o uso do equipamento de segurança foi fundamental para não haver registro de feridos. Depois do resgate, todas as vítimas foram levadas para a cidade de Santarém. Nenhuma ficou com ferimentos graves.

Em nota, a Capitania Fluvial de Santarém (CFS) informou que recebeu a informação de que uma lancha estava desgovernada no rio Tapajós e que uma pessoa havia caído na água.

Após o chamado, uma equipe se deslocou para o local a fim de prestar apoio e ampliar as informações.

A Marinha do Brasil disse que as duas crianças permaneceram na embarcação durante o incidente.

Ainda conforme a nota, a lancha foi rebocada até a base de Inspeção Naval para perícia e verificar as causas do incidente. Não foi constatado indício de ingestão de bebidas alcoólicas no condutor.

Veja no vídeopostado pelo G1 a lancha desgovernada e o resgate da menina.

Momento de muita dramaticidade.

Por pouco, não ocorreu uma tragédia.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *