Hiroshi Bogéa On line

Pedrinho Correa defende presença mais efetiva do Dnit na BR-230 até a Unifesspa

Preocupado com o alto índice de acidentes do trânsito no trecho entre  o KM 6, da Nova Marabá e o Campus 3 da Unfifesspa (Universidade Federal do Sul/Sudeste do Pará), na km 12 da  rodovia Transamazônica, o presidente da Câmara Municipal de Marabá, vereador Pedrinho Correa (foto), disse que a situação de alto risco dominando a rodovia só será controlada definitivamente com a sua duplicação.

“São cerca de 6 km de tráfego intenso, saindo do KM 6 até o Campus 3, principalmente na hora do rush. O tráfego, basicamente, é formado por pessoas que se dirigem ou retornam da Unifesspa, moradores dos municípios de São João do Araguaia e São Domingos que estudam e trabalham em Marabá. Além disso, temos ali três grandes bairros em formação, com moradores indo e vindo toda hora para o centro da cidade -, sem falar nos universitários que estudam na Metropolitana localizada às margens da rodovia.  A tendência, caso não haja uma intervenção urgente do Dnit, é a pista da rodovia ser transformada numa grande pista de mortes e feridos, tal a dimensão de acidentes verificada atualmente e seu crescimento, com o passar dos dias”, avalia Pedrinho.

O presidente da Câmara  é hoje um das vezes que mais alertam para o problema, tentando encontrar uma solução.

Não apenas ele.

Segundo Pedrinho Correa,  também sensibilizado com a situação da BR-230, o prefeito de Marabá já decidiu alocar recursos para iluminar a rodovia.

“O Tião Miranda tem consciência da gravidade da situação. Tanto que garantiu a mim a implantação de iluminação  nos seis quilômetros da rodovia, até o acesso principal ao Campus da Unifesspa.  Essa participação da prefeitura fazendo investimento numa rodovia federal mostra o quanto o prefeito é sensível aos problemas de Marabá, principalmente num trecho onde transitam diariamente milhares de estudantes universitários. Essa ação da prefeitura certamente vai levar mais segurança a quem transita por ali, mas o Dnit tem obrigação de ter presença mais efetiva na gestão da rodovia que tantos problemas têm causado à população por falta de modernização”, avalia Pedrinho Correa.

Só que o presidente da Câmara Municipal projeta uma solução definitiva da demanda com a duplicação e alargamento da Transamazônica.

“A iluminação da rodovia trará mais segurança à noite, já que ali é tudo escuro. O trecho de seis quilômetros é temido por motoristas em razão do grande número de acidentes na área, inclusive com mortes. A implementação de mais uma faixa de rolamento em cada sentido da rodovia, com  instalação de separador de fluxo entre as pistas são ações fundamentais, e que cabe ao Dnit defini-las. Atualmente, a BR-230 no trecho questionado apresenta condição inadequada ao tráfego”, finaliza o presidente da Câmara Municipal.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *