Partidos esclarecem doações “criminalizadas” pela JBS

Alguns partidos que tiveram nomes de políticos citados pelos delatores da JBS como recebedores de propinas, em eleições passadas, enviaram notas ao blog esclarecendo que a grana repassada às legendas teve origem declarada à Justiça Eleitoral.

Como muitos políticos não receberam doações diretamente da JBS, mas da direção de seus partidos, casou estranheza aos próprios personagens a aparição de seus nomes na relação da multinacional.

O blog publica a seguir notas do PT e do PCdoB.

————-

 

Nota de esclarecimento PCdoB

Esta semana foi noticiado que a minha candidatura a deputado federal em 2014 e a candidatura do deputado estadual do PCdoB, Lelio Costa, constam na lista da delação premiada do dono da JBS. Sobre esta questão venho esclarecer:

  1. As campanhas do PCdoB no Pará em 2014 receberam doação legal de nossa direção nacional, doação esta que consta da prestação de contas de nossas candidaturas enviadas ao Tribunal Regional Eleitoral. Repasse originado de doação legal da JBS ao PCdoB nacional, devidamente registrada e informada na prestação de contas do Partido;
  2. Não houve nenhum contato meu, do deputado Lelio Costa e nem de ninguém do PCdoB no Pará com algum representante desta empresa;
  3. Estranhamos a divulgação de informações sobre nossas condutas e nossas campanhas sem nenhum tipo de contato, para checar informações e para nos ouvir. O bom jornalismo se faz assim, ouvindo todos envolvidos na notícia dada. Qualquer tipo de procedimento diverso disso deixa de ser o exercício do bom jornalismo;
  4. Reafirmamos nosso compromisso na luta em defesa do Brasil, da democracia e do povo, esta é a razão da luta do PCdoB e de nossos mandatos. Entendendo que é através da política e do aprofundamento da democracia que poderemos construir caminhos da construção de um Brasil mais justo e desenvolvido.

Jorge Panzera
Presidente do PCdoB no Pará

 

NOTA DO PT PARÁ

O Diretório Estadual do PT Pará reitera que as doações recebidas pelo partido foram realizadas somente e estritamente em conformidade com a legislação eleitoral vigente.

No caso específico noticiado no Jornal Liberal 1ª Edição de hoje (22/05/2017), relativo à doação do Diretório Nacional que tem como fonte originária a empresa JBS, o PT informa que os respectivos recibos eleitorais foram declarados na prestação de contas apresentadas e aprovadas pelo TRE Pará, como previsto e dentro da mais absoluta transparência e legalidade.

—————

Nota do Blog: O então candidato a vereador por Marabá, Luiz Regason Bressan, do PT, ao invés de enviar nota ao blog esclarecendo a questão, partiu para a agressão, ameaçando processar o blog pela divulgação de seu nome.

Em verdade, o ex-secretário de Educação e candidato várias vezes derrotado em eleições proporcionais deve se reportar à Justiça Eleitoral ou, eventualmente, à direção do PT, instância última responsável pela elaboração da listagem de candidatos petista beneficiários de doações.