Hiroshi Bogéa On line

Pará tem 14 integrantes na vergonhosa “lista suja” do Trabalho Escravo

 

Proibida sua divulgação pelo governo de Michel Temer, o cadastro atualizado de empregadores autuados praticando trabalho análogo à de escravo finalmente foi vazado – depois de muita pressão da sociedade.

A chamada lista  suja totaliza 131 nomes.

Desse total,  quatorze são de proprietários de terra do Estado do Pará.

São Félix do Xingu, no Pará, lidera a lista com duas autuações.

Do município de Marabá, há um “representante” no vergonhoso cadastro, proprietário de terra às margens da Estrada do Rio Preto, em seu KM 220.

Eis a lista dos integrantes com imóveis no Pará:

 

 

Antonio Francisco Oliveira – Conceição do Araguai

Carlos Fernandes de Araujo – Goianésia

Celestoni Alécio Fuchina Facco – Ulianópolis

Delfino Francisco Kehrnvalt – Santa Maria das Barreiras

Edvam Carvalho Pereira – Itupiranga

Eudemberto Sampaio de Souza – Uruará

João Vicente Ferreira do Vale – Anapú

José Ronan Martins da Cunha – Altamira

Manoel Alves de Sousa – Marabá (Estrada do Rio Preto Km 220)

Mário Tavares de Lira – São Domingos do Araguaia (BR-153 Km 22)

Otaviano Aparecido Ferreira Caldas – Novo Repartimento

Saulo dos Santos Chaves – Bannach

Vanderson Ayres da Silva – São Félix do Xingu

Wanderson Batista da Silva – São Felix do Xingu

——————-

Lista com os  131 nomes, AQUI.

Autor 

1 Comentário

  1. Júlio Cézar

    26 de outubro de 2017 - 8:23
    Reply

    Novidade…heinnn!! E o Temer querendo acabar com o problema de crimes contra a humanidade jogando pra baixo do tapete…

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *