Hiroshi Bogéa On line

Racionalidade

Terminada a exposição de Aroldo Mota, os deputados Wandenkolk Gonçalves, Asdrubal Bentes, Lira Maia, Giovanni Queiroz e Zequinha Marinho (na foto, aparecem em primeiro plano), disseram que agora podem municiar a sociedade com as informações necesssárias ao debate racional da questão. “Acabou-se o tempo das bravatas e de querer convencer

Continue Lendo

Planejamento

Deputado Giovanni Queiroz (Foto, ao lado de Aroldo Mota e deste poster), a quem coube a tarefa de coordenar os contatos com o Ipea, pretende anexar aos estudos concluídos, amplo levantamento de dados econômicos comparativos com a evolução do PIB de alguns estados, entre eles, Goiás e Mato Grosso –

Continue Lendo

Comissão apartidária

Val André, assessor do deputado Giovanni Queiroz, repassa informação de que a partir do momento em que o Ipea fez a entrega dos estudos de viabilidade socioeconômica, “será afinado o discurso do que os dados revelaram com objetivo de se formatar a postura a ser adotada pelos entes políticos interessados

Continue Lendo

Evolução comparativa

O blog oferece agora um aperitivo aos nossos queridos economistas e demais estudiosos de números cruciais da vida de um país. Peguemos o ano de graça de 1975, quando ocorreu a divisão territorial do Estado de Matogrosso: 1- Usando preços constantes do ano 2000, o IBGE mostra que o PIB

Continue Lendo

Até mais ver

Logo mais, às 10 horas, este poster estará na sede do Ipea, em Brasília, registrando a entrega dos estudos de viabilidade socioeconômica dos projetados Estados de Carajás, Tapajós e Pará remanescente. Atualização do blog, depois do meio-dia.

Parmalat

O investimento que a Parmalat anunciou pretende aplicar em Paruapebas na montagem de uma estrutura industrial pode provocar o fechamento, no futuro, de pequenos laticínios existentes no corredor de Carajás. Quem alerta é Antonio Sabino Filho, advogado de uma micro empresa produtora de queijo , ao analisar os critérios de

Continue Lendo

Distrito Pebas

Se depender mesmo das organizações ambientais o prefeito Darci Lermen dificilmente montará o Distrito Industrial do município, conforme antecipei na coluna que publico terça e sexta no Diário do Pará. As ONGs que já se organizam para peitar as pretensões da prefeitura de Parauapebas sustentam que não existe nenhuma liberação

Continue Lendo

Projetos pessoais

O blog recebeu e-mail de uma ONGs, cujo nome será publicado a partir da reunião que os ambientalistas pretendem fazer com diversas outras instituições, acusando Darci Lermen de “irresponsável ao lançar oficialmente o Distrito Industrial, que está sendo erguido nas imediações do maior Cinturão Verde do Sul do Pará sem

Continue Lendo

Atiçando ciúmes

Deputado João Salame (PPS) revelou surpreendente organização profissional ao espalhar pela cidade dezenas de outdoors com mensagens positivas saudando o PTP (Planejamento Territorial Participativo) e farta distribuição de folder prestando contas do que tem feito na Assembléia e com propostas de metas a cumprir no campo legislativo. Dizem que a

Continue Lendo

Esvaziamento a caminho

Importante político da região, ex-deputado estadual, detectou movimentos na prefeitura de Parauapebas com objetivo de esvaziar economicamente o município de Canaã dos Carajás. Diz não tardará o momento em que o prefeito do município ficará segurando apenas os passivos que passarão a surgir a partir das estratégias em movimento. Fica

Continue Lendo

Marketing ambiental

Tasso Azevedo, diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro, ao abrir a audiência pública de Açailândia, no Maranhão. – O Distrito Florestal Sustentável de Carajás não é contra nada. É a favor da natureza.

Pra repercutir

Este poster fará a cobertura da entrega em Brasília dos estudos de viabilidade socioeconômica dos Estados de Carajás, Tapajós e Pará remanescente, fazendo esforço para registrar quase on line depoimentos de técnicos do IPEA e da classe política. Amanhã, às 10 horas, na sede do Ipea.

Pra acelerar

Com Ana Júlia à frente, os prefeitos de Belém, Marabá, Ananindeua e Santarém, entre outros, encontram-se neste momento em Brasília discutindo nos ministérios a extensão das obras do Programa de Aceleração do Crescimento.

Cofre cheio

O valor exato de recursos em caixa da prefeitura de Marabá é de R$ 20 milhões. Tião Miranda começou a soltar licitações para obras de infra-estrutura a serem realizadas no período de oito meses. Ou seja, até o próximo inverno. Promete revolucionar a cidade. O prefeito tem um objetivo: eleger-se

Continue Lendo

Profissionalização

Descontando de cada associado 0,50 por tonelada de carvão vegetal comercializado, o Sindicato dos Produtores de Carvão Vegetal pretende criar um fundo destinado a financiar a classe no reflorestamento de áreas degradadas. Inicialmente, a entidade visualisa formar uma base financeira da ordem de R$ 200 mil, partindo daí para a

Continue Lendo

Carinho e afeto

Frase do deputado Paulo Rocha (PT), em conversa com empresários: – Vocês precisam cuidar bem de Marabá. O município vai crescer nos próximos anos bem acima da média nacional.

Canteiros regionais

Os números são do Sindicato das Indústrias de Ferro Gusa do Pará: existem 63 mil hectares de reflorestamento em municípios do Pará, Tocantins e Maranhão e Tocantins. Até 2015, a meta é plantar mais 400 mil hectares.

Evangélicos e Sexo

Repercutiu aqui no blog o post “Hemófobos & Tarados”. Os questionamentos são variados envolvendo principalmente o índice de 90% de casos de abusos supostamente praticados por evangélicos. Este próprio poster é apontado por um dos manifestantes como preconceituoso em relação a forma como abordou o tema. Alguns esclarecimentos: 1- Não

Continue Lendo

Ler para entender

Gigliola dos Santos foi bem clara na entrevista concedida ao Correio do Tocantins. O link para a matéria está em algum lugar aí do blog, mas só para refrescar, segue resumo de trechos interessantes do depoimento ao jornal: 1- O Projeto Colibri encontra dificuldades para colocar seus profissionais dentro das

Continue Lendo

Homófobos & Tarados

A edição desta terça-feira (15) do Correio do Tocantins circula com matéria a merecer premiação, dada a coragem da denúncia formulada por uma servidora pública e sensibilidade do jornal em focar com a intensidade que fez a questão de abuso e exploração sexual de menores, uma semana do Dia (18)

Continue Lendo

Alegria eficiente

Val André Mutran resolvendo tudo na assessoria de Giovanni Queiroz. Nas poucas horas em que permaneceu em Marabá ele não parou um minuto, atendendo colegas e conversando muito sobre tudo. Percebi também parece ter rejuvenescido. O clima de Brasília de baixíssima umidade relativa pode estar fazendo bem ao querido amigo.

Continue Lendo

Inferno nos fornos

O clima está pesadíssimo dentro da Cosipar com a demissão sumária de importantes executivos, entre eles, a pessoa responsável pela área de Licenciamento Ambiental, o gerente de Floresta, e o gerente da Usipar, em Barcarena. O primeiro recebeu Aviso sob alegação de que estava prejudicando a imagem da empresa, enquanto

Continue Lendo

Gestão desarticulada

Este poster considera impróprio fazer questionamentos das razões que levam dirigentes a demitir quem quer que seja nas empresas privadas. Isso é problema de fôro privado. Ocorre que a Cosipar se caracterizou por essa instabilidade interna nos postos de decisão. Ali ninguém esquenta cadeira.Em março de 2008, a usina completa

Continue Lendo

Regularização fundiária

Os debates na audiência pública realizada nesta segunda-feira, em Marabá, sobre a proposta de criação do Distrito Florestal Sustentável de Carajás pegaram fogo a partir do momento em que se colocou o limite da área de regularização fundiária na faixa de 500 hectares, com foco voltado exclusivamente aos micros e

Continue Lendo

Expansão do Distrito

Marcílio Monteiro causou surpresa durante sua palestra sobre ordenamento territorial do Pará ao declarar que a governadora Ana Julia defende a extensão da área a ser delimitada para o Distrito Florestal Sustentável. Exatamente como todos queriam, com a inclusão no projeto de mais 18 municípios localizados ao Sul do Estado.

Continue Lendo

Avaliação pessoal

Ao se inteirar da proposta de ordenamento territorial do Pará, apresentado em palestra pelo secretário de Projetos Estratégicos, o deputado federal Giovanni Queiroz fez a seguinte declaração: – Nunca conheci um governador paraense com a visão e sensibilidade dos problemas regionais como Ana Julia.

Monocultura, não!

– Não queiram transformar o assentado em plantador de eucalipto. Apelo acima foi feito, em tom de blague, pelo Coordenador Regional da Fetagri, Francisco de Assis, ao discordar de qualquer proposta embutida no Distrito Florestal Sustentável de transformação dos projetos de assentamentos em atividade de monocultura agrícola. Ele e Chico

Continue Lendo

Extensão do Distrito

O mapa sugerido para discussão daquilo que pode vir a ser o Distrito Florestal Sustentável de Carajás, pegando-se Marabá como referencia, se estende numa extensão de 150 km com formação de raio de 380º. Dentro desse círculo é que se formalizará através de decreto da Presidência da República o DFSC.

Continue Lendo

A favor do contra

Vinte entidades populares divulgaram nota justificando suas ausências das audiências públicas sobre a criação do Distrito Florestal Sustentável de Carajás alegando que a proposta, assim como já ocorrera no Oeste com a criação do Distrito Florestal da BR-163, não contempla a “discussão aberta e participativa da sociedade”. Entre os signatários

Continue Lendo