Hiroshi Bogéa On line

“Olhos de Ressaca”, de João Bosco Maia, será lançado nesta quinta

O escritor paraense João Bosco Maia lança nesta quinta-feira, dia 04, o livro “Olhos de Ressaca”.

O lançamento será a partir das 18h, na Ná Figueredo, bairro de Nazaré, em Belém, com sessão de autógrafos e apresentação do músico e violonista Rafael Guerreiro, da cantora Zara Hir e da banda Baixo Reduto. A entrada é franca.

Trata-se de uma ousada ficção sobre a história de Bentinho e Capitu, da obra machadiana Dom Casmurro, que conquistou o Prêmio Samuel Wallace Mac-Dowell, da Academia Paraense de Letras (APL), em 2018.

A publicação tem 170 páginas e foi impressa na gráfica da Imprensa Oficial Estado do Pará.

João Bosco faz o leitor saborear a inversão das origens, propondo um jogo de mudanças de estatuto da intrigante personagem de Machado de Assis – Capitu, que passa a ser a narradora-protagonista da obra, em um emocionante discurso de autodefesa.

Na apresentação do livro, a pesquisadora da Universidade Federal do Pará (UFPA), Sheila Maués Autiello, destaca que alguns aspectos são fundamentais nas memórias de Capitu.

“Desde a elegância com que descreve a dramática situação familiar que envolveu a sua mais tenra adolescência até a tomada das rédeas ao lar e da sua própria vida, quando da morte da sua mãe.

A pobreza, a maturidade forçada, a descoberta de si e do amor.

A tocante narrativa em desconstruir a imagem de mau caráter, descortinando, para isso, segredos íntimos e, por vezes, constrangedores para uma mulher do século XIX”, comenta Autiello.

O autor da obra, João Bosco Maia, explica que por diversas vezes, teve vontade de deletar o livro.

“Não é uma tarefa fácil mexer com um clássico de Machado de Assis, construindo uma narrativa em primeira pessoa, mas consegui chegar ao final”, contou ele, que se disse surpreso com a premiação ao submeter o livro para apreciação do concurso da APL.

Ele esclarece que embora não seja o primeiro a esmiuçar a obra machadiana, mantém o ar de suspense considerado um dos aspectos mais geniais da obra de Machado de Assis, que questiona a integridade de Capitu, se ela traiu ou não o Bentinho.

“A Capitu carrega essa traição há mais de cem anos, muito já se escreveu sobre o assunto, mas ainda paira a dúvida”, ressaltou.

Para o autor, “Olhos de Ressaca” é um debruçar-se sobre a condição feminina que foi exposta pelo personagem Bentinho, na obra “Dom Casmurro”, de Machado de Assis.

“Agora, ela conta a versão dela, a partir de seu exílio para a Suíça, quando relembra a infância ao namoro”, relatou ele.

João Bosco Maia nasceu em Ananindeua, no Pará. É autor dos romances “Olhai por nós”, “As cartas anônimas de Robledo”, o “Folhetim das Sanchez (do luar às flores)”, “A circunscrição do breu” e dos premiados “Memórias quase póstumas de um ex-torturador”, “Sob o silêncio das mangueiras” e “666 – o tragicômico percurso”.

Escreveu ainda o livro de contos “O ciclo dos velhos pastores” e a também premiada dramaturgia “Após as três badaladas”.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *